Anúncios

Você sabe lidar com um conflito?

Alguns não fazem suas escolhas para não criar conflito. Outros as fazem, mas não permitem aos demais que façam as suas. Então como lidar com conflito?

Como lidar com conflito?

Existem pessoas que não fazem suas próprias escolhas para não criar atritos com alguém, preferindo a submissão para obter aprovação e aceitação.

Existem outras pessoas que fazem suas escolhas, mas não permitem ao outro fazer as suas. Para elas, o conflito é um mal que deve ser debelado, usando a lei do mais forte.

Quando um conflito é positivo ou negativo nas relações interpessoais?

Se o conflito prejudica um dos lados, então é negativo.

Uma guerra é um conflito que resulta em sérios prejuízos e principalmente em vidas interrompidas. Por outro lado, uma divergência de opiniões sobre um mesmo problema pode ser salutar. Soluções criativas normalmente são oriundas de polêmicas entre pessoas com ideias diferentes, as quais, analisadas segundo os princípios da cooperação, levam a uma resposta mais eficaz, pois são consideradas as diferentes visões do mesmo problema.

Então você pode concluir que o problema não está na existência do conflito e sim na forma de enxergá-lo e administrá-lo.

Saia dessa…

Qual comportamento você escolherá para resolver a seguinte situação e lidar com o conflito?

Depois de um dia de trabalho intenso, você encara o trânsito de volta para casa. Toma um banho relaxante, senta-se à mesa com sua família para saborear um jantar delicioso e aconchegante. De repente recebe uma mensagem no seu celular. É aquele amigo que sempre precisa conversar com você. Você diz que está iniciando o jantar, mas ele insiste e diz que é muito importante. Você quer ser assertivo e não consegue, pois ele já o envolveu emocionalmente dizendo que precisa de sua ajuda. Como dizer um não sem se sentir culpado?

COMPORTAMENTOS

A

Você concorda que o horário é inadequado para atender seu amigo, com frequência. Você já está ficando irritado com ele, já deu dicas que o horário não é o mais adequado, e ele não desconfiou. Quer resolver este problema de uma vez por todas. Atende o telefone e lhe diz que ele interrompe seu jantar todos os dias para jogar conversa fora. É melhor ele falar rápido e nas próximas vezes ligar em outro horário.

B

Você concorda que o horário é inadequado para atender seu amigo, com frequência, mas não tem coragem de dizer-lhe isso, pois tem medo de ofendê-lo. Se você falar ele pode pensar que você não gosta dele e ficar magoado com você. De repente seu celular toca e vê que seu amigo não desistiu. Você ficou sem saída, agora tem que atender o amigo.

C

Você concorda que o horário é inadequado para atender seu amigo, com frequência. Pensa que já é hora de resolver o problema. Você não é do tipo que fala direto, por isso usa a brincadeira como uma forma mais amena de dizer uma coisa que está lhe incomodando. Atende ao telefonema e diz: “Você tem bola de cristal? Adivinhou que eu estava jantando, só para eu não engordar, não é? Isso que é amigo.” O outro, constrangido, pede desculpas e diz que ligará mais tarde. Você concorda com isso e ambos desligam o telefone.

D

Você concorda que o horário é inadequado para atender seu amigo, com frequência. Pensa que isto está lhe causando um conflito com sua família, mas o amigo não tem culpa, pois não sabe do ocorrido. Decidido a resolver este problema de uma vez por todas atende o telefone, cumprimenta seu amigo, procura saber se o assunto de hoje é urgente. Se for, você ouvirá e, ao final da conversa, falará a ele que nas próximas vezes, procurar ligar em outro horário, pois das 19 às 20 horas sua família costuma se reunir para o jantar e você não gosta de interromper esse momento que lhe é precioso. Você sugere a ele ligar após as 20:30 horas.

Confira a seguir qual é o tipo de comportamento em cada alternativa:

Se você age de acordo com a alternativa A, é bem provável que esse amigo não telefonará mais para você, pois sua escolha é um comportamento agressivo. Vê o conflito como guerra em que um tem que vencer e outro tem que perder. Torna-se defensivo e usa a raiva para controlar a situação. Dessa forma, consegue manipular e desprezar os sentimentos dos outros. Usa, principalmente, a expressão “Eu estou certo.

Se sua escolha é a alternativa B, você terá a cada dia mais problemas, pois você escolheu agradar o amigo e desagradar a você e à sua família. É o comportamento passivo. Vê o conflito como algo maléfico às relações e por isso quer sair logo da situação. Sua tendência é concordar rapidamente, em detrimento dos seus direitos; assim, é facilmente manipulado pelo agressivo. Em nenhum momento mostra irritação. Usa expressões como “Você está certo”, “concordo com você.”

Se sua forma de reagir é a alternativa C, seu amigo deve ter ficado constrangido e sem saber se está agradando ou não. É o comportamento passivo/agressivo que não se exprime com clareza e objetividade, normalmente utilizado quando a invasão do outro nos causa desconforto e não conseguimos valer nosso direito de explicitar nosso sentimento, por isso eu diria que é um “sapo” que não foi bem digerido e está arranhando a garganta.

Mas se sua forma de agir se assemelha a alternativa D – é bem provável que você fará muitos jantares agradáveis com sua família, sem perder o amigo. O comportamento assertivo é o mais adequado para resolver o problema definitivamente, sem ferir os interesses das partes envolvidas.

A assertividade nos ajuda a melhor lidar com o conflito e a evitar o impasse, dois aspectos que, não bem trabalhados, podem comprometer os resultados das comunicações pessoais e profissionais.

Vera Martins
https://vera-martins.com/

Vera Martins Author
Vera Martins é autora dos livros: “Seja Assertivo!” e “O Emocional Inteligente”. Trabalhou por 21 anos como Executiva em Recursos Humanos e há 18 anos atua em consultoria de desenvolvimento humano. É educadora com especialização em desenvolvimento de pessoas. Possui mestrado em Comunicação e especialização em Medicina Comportamental.Atua como coach, palestrante, facilitadora de seminários e professora de universidades, tais como: Fundação Vanzolini e Escola de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo em cursos de pós-graduação.Através de intensos estudos e publicação dos seus livros tornou-se precursora da competência Assertividade e especialista em comunicação e inteligência emocional. Por isso, vem atuando fortemente nos diversos níveis profissionais nas empresas, em competências que envolvam a comunicação relacional, tais como: Estratégias de Negociação, Gestão de Conflitos, Comunicação e Influência, Liderança Assertiva, Inteligência Emocional, Coaching, Gestão de Pessoas, Formação de times e competências correlatas. É fundadora da Assertiva Educação e Cultura.
follow me
Anúncios
Neste artigo


Participe da Conversa