fbpx

Você não quer melhorar suas finanças? Então adeque seu Padrão de Vida!

Você deve estar reclamando da crise, mas, independentemente de momentos como esse em que vivemos, o padrão de vida deve ser o foco principal das suas mudanças para melhoria financeira.

padrão de vida

Você deve estar reclamando da crise, mas, independentemente de momentos como esse em que vivemos, o padrão de vida deve ser o foco principal das suas mudanças para melhoria financeira.

Quando temos a redução de ganhos de pessoas ao nosso redor, a engrenagem econômica e financeira tem como resultado uma redução do giro do recurso que chamamos de dinheiro. Consequentemente, nós teremos também impactos diretos e indiretos em nosso cotidiano.

Um destruidor ferrenho do padrão de vida, que poucos de nós conseguimos enxergar é a perda do poder aquisitivo do nosso dinheiro. Se viajarmos no túnel do tempo, há 5 anos atrás, a quantidade de itens que você comprava com R$ 100,00, hoje você compra apenas 20% desses mesmos itens. Faça o seguinte exercício:

  • Busque pelo valor do seu ganho mensal há 5 anos atrás e compare com seu ganho atual. Quanto teve de aumento em %?
  • Busque pelo valor do seu gasto mensal há 5 anos atrás e compare com seu gasto atual. Quanto esses produtos aumentaram em %?

Certamente você ficará surpreso. É muito provável que esta relação entre seus ganhos, comparados com os seus gastos, sofreu grandes impactos nessa perda do poder de compra. Isso antes da crise. Porque essa perda está sendo muito maior, já que grande parte dos ganhos/salários tiveram reduções drásticas, ou seja, uma perda frontal e quase irreparável em seu padrão de vida. Digo quase, porque você pode construir essa nova história.

Mas, o que é padrão de vida?

Diferentemente do que muitos falam, o padrão de vida não é o que você gasta. Quando falamos de padrão de vida, estamos falando em um contexto em que você quer se posicionar em sua vida, por exemplo: se eu ganho R$ 3.000,00, gasto R$ 2.000,00 e guardo R$ 1.000,00, as pessoas dizem que o padrão de vida é de R$ 2.000,00 o que não é uma verdade. Nesse caso, o padrão de vida é de R$ 3.000,00. O ato de poupar uma parte dos recursos ganhos, pode ter diversos destinos: ficar na conta corrente, guardar para os sonhos, reserva estratégica ou até a independência financeira.

Já num outro contexto, em que a pessoa gaste mais do que seu ganho, nesse caso, ela estará buscando por um complemento de recursos financeiros, que chamamos de crédito. Seja de uma instituição financeira ou até mesmo de algum amigo ou parente. Quando isso acontece, o padrão de vida dessa pessoa será o total de gasto praticado. Analisando o exemplo anterior, onde a pessoa tem como ganho R$ 3.000,00 e gaste R$ 4.000,00, o seu padrão de vida será de R$ 4.000,00. 

Dito isso, apresento um novo conceito: Padrão de Vida é o agente regulador da vida financeira, e flutua junto ao movimento da entrada e saída de dinheiro. Ele é determinado pelo comportamento de nossas escolhas, independentemente do seu destino. Seu autor principal é o ganho que norteia o seu ponto de equilíbrio.

O verdadeiro poupador, não é aquele que investe, e sim aquele que reduz seus gastos de forma contínua, como o cortar da sua própria unha. Pense nisso!

Gostou do artigo? Quer saber mais sobre Educação Financeira, como adequar seu padrão de vida e como guardar dinheiro para realizar seus sonhos? Então entre em contato comigo. Terei o maior prazer em responder.

Reinaldo Domingos
Contador e PhD em Educação Financeira
https://info.dsop.com.br/empreendedores-de-sucesso-franquia

Confira também: O verdadeiro vilão do seu dinheiro

 

Reinaldo Domingos é PhD em Educação Financeira, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e da DSOP Educação Financeira. Está a frente do canal Dinheiro à Vista, é colunista do de diversos meios de comunicação. Autor de diversos livros sobre o tema, como o best-seller Terapia Financeira e o livro Empreender Vitorioso.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa