Você já praticou o Autocoaching?

Na coluna “Dimensões do Sucesso”, Mario Divo trata de um assunto do tipo “faça você mesmo”: Você já praticou o Autocoaching? Uma leitura imperdível que recomendamos a todos. #ficadica

Já vimos, a partir dos comentários desenvolvidos nos artigos anteriores, que um fundamento do Coaching está naquele famoso conceito do “conhece-te a ti mesmo”, uma entre tantas contribuições que Sócrates legou à Humanidade. E hoje vamos trazer um exemplo de que a expressão é real nos tempos atuais, até para viabilizar objetivos pessoais extremamente arrojados. Com alguns cuidados, é claro!

Deu no globo.com a notícia que “jovem cria método para emagrecer com controle da mente e perde 40 kg”. Segundo o jornal, “ele usou técnicas de PNL e Coaching e agora ajuda os outros a emagrecer”. Ainda mais, nessa reportagem “o emagrecimento comprovou as teses do jovem e o transformou em um Coaching do emagrecimento e, agora, ele ajuda outras pessoas a perder peso com a ajuda da programação neurolinguística”.

Vamos tentar entender essa notícia por partes. É normal e até frequente o uso do Coaching como forma de apoiar as pessoas a alcançarem objetivos pessoais legítimos, incluindo aí a quebra de crenças limitantes, enfrentamento de traumas e até mesmo o emagrecimento. Curiosamente, há nichos de atuação de um Coach muitas vezes impensável, como por exemplo o apoio a pessoas que perderam um familiar, a pessoas com diagnóstico de doenças críticas, aposentados em uma nova fase de vida, e outras tantas possibilidades que poderíamos relatar.

Também sabemos existir uma corrente de pensamento que assume como muito forte o elo entre o Coaching e a Programação neurolinguística, algo que já citamos em artigo anterior. Portanto, o jovem apresentado nessa matéria jornalística nos dá um exemplo bem interessante de que qualquer pessoa pode praticar o Autocoaching, bastando ter muita disciplina, informação e método. Aparentemente, isso parece ser fácil, mas praticar é muito complicado. Por essa razão, para atingir o mesmo objetivo de emagrecimento há pessoas que recorrem ao apoio de um Coach. E para atender essas pessoas, há Coaches que são especializados no tema e aplicam seu método e conhecimento.

Aí, a notícia parte para outra informação. O jovem, entusiasmado com o sucesso de sua empreitada pessoal, agora se lançou no mercado como um profissional que aplica o Coaching de emagrecimento. De minha parte, salvo melhor juízo, espero que ele possa ajudar muitas pessoas com problemas de excesso de peso. Mas fica aqui a referência de que é preciso estudar bastante, bem além daquilo que ele pode aprender em sua experiência pessoal, e principalmente no que diz respeito à capacidade de lidar com as emoções alheias. Ou então, ele poderá criar situações de descontrole emocional sem ter a competência devida para contornar a situação. Se para Coaches experientes, muitas vezes o momento é complicado para conduzir, imagine-se para alguém inexperiente nesse quesito.

Depois, mais um alerta. Esse jovem irá ajudar os outros com o Coaching de emagrecimento “ensinando” suas técnicas? Pois aí o seu trabalho não poderá ser chamado de Coaching, e quando muito será uma forma de Mentoria. É óbvio que, para quem tiver sucesso com a ajuda desse jovem, o termo correto pouco importa. Mas para o leitor deste site, que busca por informação correta e confiável, vale a pena perceber a profunda diferença. Logo, sempre tenha muito cuidado com o que você lê por aí…

Mario Divo Author
Mario Divo tem incrível experiência profissional, tendo chegado a meio século de atividade ininterrupta, em 2019. É PhD e MSc pela Fundação Getulio Vargas, com foco em Gestão de Negócios, Marcas e Design, Marketing e Comunicação Corporativa. Tem formação como Master Coach, Mentor e Adviser pela Sociedade Brasileira de Coaching e pelo Instituto Holos. Consultor credenciado para aplicação do diagnóstico meet® (Modular Entreprise Evaluation Tool), Professor e Palestrante. CEO e Coordenador Executivo da plataforma Dimensões de Sucesso, acumulando com o comando da MDM Assessoria em Negócios. Foi Diretor Executivo do Automóvel Clube Brasileiro e Clube Correspondente da FIA – Federação Internacional do Automóvel, no Brasil. Foi titular do Planejamento de Comunicação Social da Presidência da República (1997-1998) e, anteriormente, comandou a Comunicação Institucional da Petrobras. Liderou a Comunicação Institucional e a Área de Novos Negócios da Petrobras Internacional. Foi Presidente da Associação Brasileira de Marketing & Negócios, Diretor da Associação Brasileira de Anunciantes e, também, Conselheiro da Câmara Brasileira do Livro. Primeiro brasileiro no Global Hall of Fame da Aiesec International, entidade presente em 2400 instituições de ensino superior em 126 países e territórios, voltada ao desenvolvimento das potencialidades das jovens lideranças em todo o mundo.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa