Você confia em você? Seis atitudes para fortalecer sua autoconfiança

Autoconfiança é o estado emocional de alguém que acredita em si mesmo, em suas próprias qualidades e decisões a serem tomadas. E você, confia em si mesmo?

Você confia em você? Quer conferir?

Faça a si mesmo as seguintes perguntas e reflita sobre suas respostas:

  • Como é para você escolher entre duas alternativas ? Fácil ou um dilema?
  • Como é para você falar em público? Evita a qualquer custo ou coloca suas opiniões com tranquilidade?
  • Como é para você trabalhar em grupo? Você se inclui com tranquilidade ou prefere trabalhar sozinho?
  • Você se sente confortável para dizer Não ou fica se justificando com medo de magoar o outro?

Esses são alguns dos dilemas que uma pessoa sente quando lhe falta autoconfiança.

Autoconfiança é o estado emocional de alguém que acredita em si mesmo, em suas próprias qualidades e decisões a serem tomadas.

Muitas pessoas confundem ser autoconfiante com ser inflexível e rígido em suas opiniões. Essa rigidez pode ser apenas uma defesa. Uma opinião diferente da sua não significa que você esteja errado. Significa apenas que o outro se expressa baseado em crenças diferentes das suas.

Existem pessoas que acreditam que autoconfiança é o mesmo que autossuficiência. Mas é bem diferente! Autossuficiência refere-se ao estado de não necessitar de qualquer ajuda, apoio ou interação de outros, para sobreviver. É claro que autoconfiança lhe dá mais autonomia, mas o ser humano é um ser social que se transforma pelas interações humanas.

Seis atitudes para você adotar e fortalecer sua autoconfiança!

  1. Desenvolva uma Visão Positiva de si mesmo e qualifique melhor seu autoconceito. Descubra quais são suas maiores forças e virtudes e use-as a seu favor se apoiando nelas para se sentir seguro emocionalmente e, certamente, essa segurança vai refletir em seus posicionamentos.
  2. Faça um exercício de autoaceitação. Pare de se criticar e olhar seu jeito de ser como uma total postura negativa. Autoaceitação envolve a consciência dos seus pontos de melhoria, mas cuidado para não generalizar e enxergar tudo em você como ruim. Você pode e deve sim evoluir e melhorar seu jeito de ser, porém não perca de vista suas forças e virtudes. Assim, toda vez que receber um feedback negativo, olhe positivamente como você pode transformar esse ponto negativo em forças e virtudes. Veja-o realmente como ponto de melhoria. Entenda que autoaceitação é também conviver com suas fragilidades, dando-lhes musculatura emocional para enfrentar as situações de risco.
  3. Desenvolva sua Credibilidade para inspirar pessoas com sua postura firme, equilibrada e decidida. Para ser percebido como alguém digno de confiança sua comunicação deve refletir uma congruência entre sua intenção, suas ações e a sua forma de se comunicar. Credibilidade é o resultado de SER e PARECER.
  4. Aprenda a se conectar com as pessoas através de uma comunicação empática. Ouça e aprenda com outras pessoas. Você pode utilizar três tipos de empatia que vai depender de sua disponibilidade emocional influenciada pelo contexto, pelo relacionamento que você tem com a pessoa e com o seu jeito de ser. Assim você pode escolher:
    • a empatia cognitiva e entender o que e porque o outro pensa e sente;
    • a empatia emocional e sentir o que realmente o outro sente; e
    • a preocupação empática que é se sensibilizar pelo problema do outro a tal ponto de se envolver e querer ajudá-lo .
  5. Tenha Flexibilidade mental para conviver bem com a diversidade e não se abalar diante do conflito e divergência de opiniões. Não permita que a teimosia e a vontade de sempre ter razão contamine sua comunicação e sua escuta ativa. Seja argumentador sim, defenda suas ideias com vigor, porém use uma argumentação equilibrada com a empatia. Dessa forma, sua comunicação será consistente e firme, incorporando em sua argumentação o pensamento do outro. A flexibilidade mental é condição básica para o diálogo necessário em situações de negociação de interesses pois facilita a relação assertiva e a filosofia ganha-ganha.
  6. Conserve sua energia e motivação para não desistir nunca e assim atingir suas metas. Não tenha dúvida, se você desenvolver essas cinco atitudes positivas anteriormente citadas, você diminuirá a ativação do seu sistema líbico e sua amígdala cerebral se acalmará, o que diminuirá seu medo de correr riscos, e simultaneamente, aumentará sua coragem para vencer obstáculos, juntamente com sua vontade para atingir a meta desejada.

Interações bem resolvidas e produtivas são alimentos nutritivos para seu bem-estar e segurança emocional, reverberando em autoconfiança.

Um grande abraço!

Vera Martins Author
Vera Martins é autora dos livros: “Seja Assertivo!” e “O Emocional Inteligente”. Trabalhou por 21 anos como Executiva em Recursos Humanos e há 18 anos atua em consultoria de desenvolvimento humano. É educadora com especialização em desenvolvimento de pessoas. Possui mestrado em Comunicação e especialização em Medicina Comportamental. Atua como coach, palestrante, facilitadora de seminários e professora de universidades, tais como: Fundação Vanzolini e Escola de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo em cursos de pós-graduação. Através de intensos estudos e publicação dos seus livros tornou-se precursora da competência Assertividade e especialista em comunicação e inteligência emocional. Por isso, vem atuando fortemente nos diversos níveis profissionais nas empresas, em competências que envolvam a comunicação relacional, tais como: Estratégias de Negociação, Gestão de Conflitos, Comunicação e Influência, Liderança Assertiva, Inteligência Emocional, Coaching, Gestão de Pessoas, Formação de times e competências correlatas. É fundadora da Assertiva Educação e Cultura.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa