fbpx

Você aceita esse meu desafio

É impressionante como as pessoas estão dependentes das maquininhas chamadas “smartphones”, chegando quase um vício em ligar e clicar a todo o instante. Parece que eles ocuparam o lugar mais nobre de qualquer ser humano, a capacidade e o prazer de conviver consigo próprio.

Tenho viajado com mais frequência, neste período de início de ano, o que em parte me atrapalhou no compromisso que tenho com o leitor desta coluna, que é o de atualizar nosso conteúdo todas as 3ª feiras e 6ª feiras, em cada semana. Assim, começo por me desculpar pelo fato e comentar que, curiosamente, está nessas viagens a minha inspiração para o texto de hoje. Vem comigo?

Aliás, com a expressão “Vem comigo” faço homenagem ao meu grande amigo Goulart de Andrade, um jornalista de primeiro nível e que, a partir dessa chamada convida as pessoas a acompanhá-lo em uma determinada matéria jornalística, em uma investigação ou até em um pensamento. No meu caso, quero trazer o leitor a um desafio pessoal. Outra vez: vem comigo?

É impressionante como as pessoas estão dependentes das maquininhas chamadas smartphones, chegando a um nível quase que de vício em ligar e clicar a todo o instante. O que deveria ser apenas um “celular inteligente” passou, ao que parece, a ocupar o lugar mais nobre de qualquer ser humano, que é a capacidade e o prazer de conviver consigo próprio.

É interessante como as pessoas ficam clicando e deslizando o dedo pela tela do aparelhinho até o último instante, quando o avião está por decolar. E tão logo haja a aterrisagem, antes mesmo de começar o desembarque das pessoas, lá está o passageiro ansioso a ligar o seu celular (em tempo, há quem dependa de dois ou até três para dar cabo de tanto compromisso e relacionamento). Fico com a impressão que dependência química e dependência frenética do celular devem ter algumas raízes e explicações psicológicas similares.

E o que isso tem de importante em um espaço com a temática Coaching?

Como já comentei aqui mesmo, as bases teóricas do Coaching remetem a Sócrates e à expressão “conhece-te a ti mesmo”. Desenvolva a capacidade de reflexão e encontrará os caminhos mais adequados que o atenderão em suas necessidades, sejam elas materiais, físicas, comportamentais ou espirituais. Para isso, é fundamental que a pessoa saiba olhar para dentro de si, conversar consigo mesma, entender que o seu mundo interior merece a mais ampla atenção e cuidados.

Ora, como fazer isso se uma pessoa tem dependência do celular inteligente, a tal ponto, que abandona a própria inteligência do processo de reflexão? Como alguém pode ter atenção consigo mesmo se quem determina a agenda do que essa pessoa vai fazer é o mundo exterior? Como ser o senhor de si próprio se, até mesmo no momento de refeição em família, está também presente a ansiedade de uma chamada ou da nova informação que chega pela rede social?

Pois bem, o desafio que eu faço para o leitor é o seguinte: Sente-se em uma local tranquilo de sua casa, diminua ou apague a luz, desligue o celular, coloque uma música relaxante, feche os olhos e… converse com você mesmo. Deixe o pensamento viajar em todas as dimensões de sua vida, busque respirar profundamente e sinta as batidas do seu coração. Faça isso frequentemente por cerca de quinze a vinte minutos e, dessa forma, você estará explorando o seu mundo interior com a prioridade que ele merece.

Pode ser difícil, complicado e, eventualmente, até chato … mas não deixe de ser perseverante. Não desista. O seu mundo interior tem um riqueza que você deve descobrir, conhecer e praticar. Para isso, você precisará desconectar-se do mundo exterior e conectar-se a si próprio com prioridade. E então, aceita o desafio? Que tal começar por desligar o celular em todos os momentos de refeição? Que tal usar os momentos em trânsito para se dar esse tempo precioso com o celular desligado?

Mario Divo Author
Mario Divo tem extensa experiência profissional, tendo chegado a quase meio século de atividade ininterrupta, em 2020. É PhD e MSc pela Fundação Getulio Vargas, com foco em Gestão de Negócios, Marcas e Design, Marketing e Comunicação Corporativa. Tem formação como Master Coach, Mentor e Adviser pela Sociedade Brasileira de Coaching e pelo Instituto Holos. Consultor credenciado para aplicação do diagnóstico meet® (Modular Entreprise Evaluation Tool), Professor e Palestrante. CEO e Coordenador Executivo das plataformas de negócios MENTALFUT® e Dimensões de Sucesso®, acumulando com o comando da sua empresa MDM Assessoria em Negócios. Foi Diretor Executivo do Automóvel Clube Brasileiro e Clube Correspondente da FIA – Federação Internacional do Automóvel, no Brasil. Foi titular do Planejamento de Comunicação Social da Presidência da República (1997-1998) e, anteriormente, comandou a Comunicação Institucional da Petrobras. Liderou a Comunicação Institucional e a Área de Novos Negócios da Petrobras Internacional. Foi Presidente da Associação Brasileira de Marketing & Negócios, Diretor da Associação Brasileira de Anunciantes e, também, Conselheiro da Câmara Brasileira do Livro. Primeiro brasileiro no Global Hall of Fame da Aiesec International, entidade presente em 2400 instituições de ensino superior em 126 países e territórios, voltada ao desenvolvimento das potencialidades das jovens lideranças em todo o mundo.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa