Vai continuar esperando ganhar na loteria ou pensará em uma carreira de verdade agora?

Quando uma pessoa tem paixão pelo que faz e expressa os seus talentos, não importa a quantidade de dinheiro que tenha, ela mantém o foco em seus objetivos.

Segundo Nietzsche, influente filósofo alemão do século XIX, “quem tem uma razão para viver é capaz de suportar qualquer coisa”. Quando uma pessoa tem paixão pelo que faz e expressa os seus talentos, não importa a quantidade de dinheiro que tenha, ela mantém o foco em seus objetivos. Isso não significa que não tenha de enfrentar dificuldades e superar obstáculos, mas quando finalmente atinge seus objetivos, é premiado com imensurável satisfação interior que compensa todos os sacrifícios que tenha passado e isso não tem preço.

Por outro lado, quem considera a sua atividade profissional apenas um meio de sobrevivência – enfadonho, desagradável, monótono – não pode, naturalmente, gostar do que faz. Hoje já não há espaço para pensar de forma segmentada, ou seja, em casa sou de uma forma e no trabalho de outra ou com dinheiro faço de um jeito e sem ele é totalmente diferente.

Vida pessoal, profissional, social e familiar traduz o perfil do seu estilo de vida! Ser feliz é um aspecto relevante no mundo corporativo. Um levantamento feito por pesquisadores norte-americanos aponta que cerca de 60% das pessoas com emprego regular tem interesses diferentes dos interesses das empresas em que trabalhavam.

Outros dados revelam que os problemas gerenciais, em sua grande maioria, estão relacionados com a falta de motivação e não com a competência. Isso significa que muita gente não identifica seus verdadeiros talentos e assumem posturas, cargos e propósitos que não são seus. Somos fruto do que pensamos, do que sabemos, do que sentimos e do que fazemos. Hoje, além de estarem conscientes desse fato, as organizações reconhecem a importância da contribuição de pessoas que integram harmoniosamente o pensar, o saber, o sentir e o agir.

Embora continuem valorizando os conhecimentos técnicos e teóricos de um especialista, elas buscam profissionais que agreguem outras características ainda mais valorizadas, como criatividade, flexibilidade, prazer, generosidade e afetividade,além de ter estilo de vida compatível com seus valores.

Posturas do tipo: “no trabalho sou uma pessoa bem diferente do que sou em casa”, ou “não levo problemas do trabalho para casa nem da casa para o trabalho”, antes até ditadas por profissionais em cargos de chefia, que preconizavam e se gabavam de não misturar vida pessoal com vida profissional, não fazem mais sentido. Não somos dotados da capacidade de ativar algumas qualidades em determinada parte do dia e não em outras. Ninguém é criativo apenas no trabalho, assim como ninguém é habilidoso apenas em casa.

Devemos ser criativos e habilidosos na vida! O profissional que faz o que gosta, coloca em prática os seus talentos e tem prazer em desenvolver seu trabalho, mantendo-se fiel aos princípios éticos de respeito aos seres humanos e à natureza. Ele sabe equilibrar suas responsabilidades na empresa com a importância do seu bem estar pessoal – passa tempo com a família, encontra os amigos, viaja e/ou pratica esportes.

Pesquisadores do mundo do trabalho acreditam que paixão e felicidade não estão associadas apenas à intensa experiência amorosa entre seres humanos e enfatizam a importância desses“estímulos” para todos os aspectos da vida. Eles garantem que esse sentimento constitui um fator determinante para o sucesso pessoal e também profissional. Cada vez mais as organizações estão buscando profissionais que se destacam por suas qualidades humanas e pela aptidão de aumentar seus recursos e suas potencialidades de forma contínua e integrada. Encontro muitos profissionais que confirmam esse posicionamento.Ao mesmo tempo, também vejo as empresas preocupadas com o bem estar físico mental e emocional dos seus colaboradores, em uma nova ordem de “recursos humanos” em que o colaborador não é mais visto como pessoa dividida entre profissão e vida particular.

As empresas modernas valorizam as pessoas harmoniosas e equilibradas, capazes de aliar à competência, à habilidade e à eficiência no trabalho também a alegria e a afetividade com que marcam sua vida, e, igualmente,levam para a vida pessoal o respeito e o empenho que dedicam ao trabalho – nesse cenário não cabe mais uma pessoa compartimentada e sim integrada em qualquer circunstância. A tendência mundial é unir trabalho e satisfação.

É comprovada que a produtividade aumenta em proporção direta à satisfação das pessoas envolvidas, uma condição que só traz benefícios: lucro, reconhecimento,realização, tranquilidade, alegria e bem estar. E, tudo isso, pode acontecer independentemente do saldo bancário. Pense nisto!

Leila Navarro Author
Há mais de 18 anos no mercado de palestras, Leila Navarro conquistou sólida carreira no Brasil e no exterior. Suas palestras já foram assistidas na Espanha, Chile, Uruguai, Panamá, Japão, México, Peru, Paraguai, Colômbia, Angola e Portugal. No Brasil, segundo a Revista Veja, integra o ranking dos 20 mais notáveis palestrantes brasileiros. Entre suas premiações, em 2013 foi a única mulher eleita Top5, na categoria palestrante, do Prêmio Top ofMind Estadão RH, o Oscar do RH, o mais prestigiado e desejado prêmio do mercado. Em 2005 levou em primeiro lugar! Também obteve o Prêmio de 100 fornecedores de RH – Categoria palestrante do ano 2009. Autora de 16 livros, entre eles, “Autocoaching de carreira e de vida”, “Talento para ser Feliz”, “A vida não precisa ser tão complicada”, “O poder da superação”, e seu mais novo lançamento o “Virar o Jogo” , além de diversos e-books, artigos e diversas participações para a mídia em geral.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa