fbpx

Uma Viagem à Grécia Antiga

Na coluna “Dimensões do Sucesso” de hoje, Mario Divo, faz uma viagem à Grécia Antiga para criar oportunidades de debates “filosóficos” sobre o Coaching.

Nos artigos anteriores, eu dei atenção a um aspecto teórico fundamental para o Coaching. Procurei abordar quais são as raízes que sustentam a prática do Coaching como um processo válido e com a capacidade de cumprir o que promete. Agora, antes de passar a comentar pesquisas atuais que sirvam de orientação a coaches e coachees, eu ainda quero viajar mais um pouco de tempo pela Grécia Antiga. Os comentários a seguir irão enriquecer o conhecimento de todos os leitores e, com certeza, abrirão boas oportunidades de debates “filosóficos” sobre o Coaching.

Ao se analisar o desenvolvimento cultural das sociedades modernas, os especialistas têm a convicção de que a forma de interpretar o que é Conhecimento tem relação direta com os estudos filosóficos antigos, mais especificamente remontando aos gregos. Naquela época, surgiram os sofistas, então considerados especialistas na arte de falar bem e de preparar as pessoas para saberem defender seus pontos de vista. Com isso, os sofistas eram tidos como sábios e de sucesso, para quem nada era fixo ou imutável.

Mas, como em tudo na vida, não se consegue agradar a todos. Os sofistas sofriam críticas de várias formas, sendo que muitas polêmicas foram registradas por filósofos gregos. Diziam que a ação dos sofistas estava apenas baseada em opinião e nunca em conhecimento, o que representava um saber ilusório. Quatro séculos anteriores à era cristã, Sócrates iniciou um contraponto aos sofistas, uma vez que sua constante busca era a de como o ser humano pode alcançar o conhecimento. E chegar a esse verdadeiro estágio dependia das pessoas reconhecerem e enfrentarem seus erros e sua ignorância.

E como é que Sócrates auxiliava as pessoas nesse processo de buscar o conhecimento?

Ele criou a original forma de aplicar a maiêutica (que, etimologicamente, significa “alcançar a luz”) como o resultado de uma sequência de perguntas e respostas rápidas. Assim, o chamado método socrático assumia que o verdadeiro conhecimento envolve conceitos universais e não os particulares. Ou seja, a filosofia socrática estimula o ser humano a alcançar o conhecimento pela conversa íntima e franca com o seu espírito, sua razão e sua alma. Sócrates levava as pessoas a duvidarem do próprio conhecimento a respeito de um assunto e, depois, instigava-as a conceber uma nova ideia por meio de questões simples.

Platão, discípulo de Sócrates, deu continuidade a essa busca de como o ser humano pode alcançar o conhecimento. Ele agregou o princípio de que a libertação de uma pessoa pelo conhecimento está associada diretamente à educação, ou seja, ao caminho que permite atingir um estado superior de entendimento de tudo que envolve sua vida, tanto no que tem natureza racional como naquilo que é emocional. Logo, o conhecimento nasce de dentro do indivíduo para fora, ou se preferirmos dizer de outra forma, o conhecimento parte de um processo de autorreflexão.

Ao longo da história da humanidade, muitos outros estudiosos lançaram-se a pesquisar e propor suas teses sobre as origens do conhecimento. Vários deles tiveram vínculos como movimentos científicos ou religiosos, a exemplo de Tomás de Aquino, Galileu Galilei, René Descartes ou, mais recentemente, Emmanuel Kant, Edmund Husserl e Michel Foucault. Para todos eles, há um fundamento absolutamente essencial e indispensável para o crescimento do ser humano: reflexão sobre o mundo interior e exterior. Hoje, o Coaching é uma dinâmica presente e conhecida, a qual quer estimular nas pessoas essa prática, a partir da qual um novo mundo se abre e, como na música famosa, “nada será como antes, amanhã”.

Mario Divo Author
Mario Divo tem extensa experiência profissional, tendo chegado a quase meio século de atividade ininterrupta, em 2020. É PhD e MSc pela Fundação Getulio Vargas, com foco em Gestão de Negócios, Marcas e Design, Marketing e Comunicação Corporativa. Tem formação como Master Coach, Mentor e Adviser pela Sociedade Brasileira de Coaching e pelo Instituto Holos. Consultor credenciado para aplicação do diagnóstico meet® (Modular Entreprise Evaluation Tool), Professor e Palestrante. CEO e Coordenador Executivo das plataformas de negócios MENTALFUT® e Dimensões de Sucesso®, acumulando com o comando da sua empresa MDM Assessoria em Negócios. Foi Diretor Executivo do Automóvel Clube Brasileiro e Clube Correspondente da FIA – Federação Internacional do Automóvel, no Brasil. Foi titular do Planejamento de Comunicação Social da Presidência da República (1997-1998) e, anteriormente, comandou a Comunicação Institucional da Petrobras. Liderou a Comunicação Institucional e a Área de Novos Negócios da Petrobras Internacional. Foi Presidente da Associação Brasileira de Marketing & Negócios, Diretor da Associação Brasileira de Anunciantes e, também, Conselheiro da Câmara Brasileira do Livro. Primeiro brasileiro no Global Hall of Fame da Aiesec International, entidade presente em 2400 instituições de ensino superior em 126 países e territórios, voltada ao desenvolvimento das potencialidades das jovens lideranças em todo o mundo.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa