Um inquilino muito estranho

O que você acha de dividir durante anos, um imóvel com uma pessoa que mal conhece? Pode parecer estranho, mas esta situação é muito comum.

2792
2792
autoconhecimento

O que você acha de dividir durante anos, um imóvel com uma pessoa que mal conhece? Pode parecer estranho, mas esta situação é muito comum.

Dois estranhos sob o mesmo teto geram situações embaraçosas, um não conhece a reação do outro, ou mesmo, não sabem como o outro se comporta. Quem vê aquela casa, percebe de imediato que não existe sintonia e a dupla não chegará a lugar algum. Tem até um livro antigo que diz: ”a casa dividida contra si mesma cairá”.

Poucas pessoas se dão conta de que somos a nossa própria companhia durante toda a vida. A maioria não conhece a si próprio em profundidade. Falta autoconhecimento, consequentemente, sempre haverá o incomodo de conviver com alguém que pouco conhecemos.

Se analisarmos a palavra “autoconhecimento” poderemos tirar conclusões interessantes. A palavra é formada por auto + conhecimento, onde “auto” refere-se a si próprio e conhecimento, vem do grego “gnosis” que se refere a entendimento.

Observando a etimologia da palavra então podemos dizer que autoconhecimento é entender a si próprio.

Uma pessoa sem autoconhecimento é, portanto, uma pessoa que não entende a si próprio e que, consequentemente, não pode esperar que os outros a entendam, ou mesmo que façam bom juízo dela.

Quem não busca o autoconhecimento dificilmente terá reconhecimento de outros, quer seja na vida pessoal quanto profissional.

Por conseqüência da falta de autoconhecimento não conseguem traçar sua missão de vida e muito menos estabelecer um sentido para ela, fazendo com que vivam uma vida que não merece ser vivida – uma vida não examinada.

Poucas empresas investem no desenvolvimento do autoconhecimento de seus colaboradores, mas deveriam fazê-lo, pois equipes formadas por profissionais que tenham um autoconhecimento acima da média, são mais coesas, mais produtivas e criativas.

O autoconhecimento melhora as relações interpessoais, consequentemente as características socioemocionais, o que favorece a liderança por influência. Além disso, mantem o clima organizacional em níveis excelentes, por gerar um círculo virtuoso de entendimento e camaradagem.

Minha sugestão: faça uma análise, isenta de qualquer influência, de quanto você se conhece e invista nela, pois o autoconhecimento é a base do seu desenvolvimento pessoal e profissional.

Cleyson Dellcorso
https://www.dellcorso.com.br/

Confira também: Qual cavalo você alimenta melhor?

 

Cleyson Dellcorso tem formação em engenharia e filosofia e suas atividades estão relacionadas ao Coaching Profissional e Pessoal, além de atuar com Coaching de Casais. Seus atendimentos têm embasamento em uma metodologia própria com fundamentação filosófico / dialógico. Possui MBA pela UCLA (EUA), com foco em gestão de pessoas, é especialista em liderança pelo Haggai Advanced Leadership Institute (Singapura) e instrutor do mesmo instituto. É professor de liderança e motivação no curso de pós-graduação em gestão de projetos (PMI) do Instituto Brasileiro de Tecnologia Avançada do grupo IBMEC. Atua como Coach desde 2003 e foi um dos primeiros a se especializar no atendimento a Gerentes de Projetos. É diretor do INSTITUTO DE COACHING MAIÊUTICA desde 1999 e tem como área de interesse o estudo das Inteligências – Emocional e Espiritual. Cleyson Dellcorso é casado, tem três filhos e um neto e tem como hobbies – radioamadorismo, velejar e mergulhar.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa



Loading cart ...