Talent as a Service: Saiba o que é e os benefícios do modelo!

Já ouviu falar em Talent as a Service? Saiba como se aproveitar dessa tendência, entenda como funciona e as vantagens Econômicas, eficiência e mais! Conheça as vantagens do modelo TaaS.

Matéria produzida pela ALSTRA

Já ouviu falar em Talent as a Service? Saiba como se aproveitar da tendência Talent as a Service; entenda como funciona e as vantagens Econômicas, eficiência e mais! Conheça as vantagens do modelo TaaS.

Conheça as vantagens do Talent as a Service

O mundo corporativo vem passando por mudanças importantes nas últimas décadas. O futuro do trabalho se apresenta bem diferente do mercado que foi vivido por nossos pais e avós no século passado.

É nessa nova realidade que surge o modelo do Talent as a Service (TaaS), ou talento como um serviço, na tradução do inglês. O profissional oferece seu serviço de acordo com a demanda da empresa, que pode escolher o trabalhador ideal para sua necessidade no momento.

A inspiração do TaaS veio do Software as a Service (SaaS), que graças ao avanço tecnológico permitiu que pequenas e médias empresas tivessem acesso a ferramentas de ponta sem necessidade de investir tão pesado. Em vez de comprar softwares, elas passaram a contratá-los como se fossem prestações de serviço. Isso porque os softwares não precisam mais ser instalados nas máquinas e podem ser acessados através da rede, dispensando um maior aporte inicial ou mesmo uma equipe de manutenção dedicada.

Comparação

Para entender melhor como funciona o modelo TaaS é possível fazer uma analogia. A empresa é como se fosse uma pessoa que precisa fazer um furo na parede de sua casa e o profissional é o dono de uma furadeira. Em vez de a empresa comprar a ferramenta (ou contratar o funcionário em uma vaga fixa), ela pega emprestada a furadeira para fazer aquele furo e só (ou contrata o colaborador para um trabalho específico e temporário), em uma relação de ganha-ganha.

Vantagens

Um dos principais pontos positivos do TaaS é a economia. A empresa contrata o colaborador apenas pelo tempo necessário para executar o projeto para o qual ele foi designado. Para o profissional, por sua vez, há otimização do tempo, já que ele atende as empresas apenas quando elas precisarem de seu serviço.

Outra vantagem é a expertise dos profissionais. Alguns projetos precisam de profissionais superespecializados e não é viável para as empresas manterem talentos como esses no quadro de funcionários. Além disso, cada projeto desenvolvido tem demanda por um profissional específico, com conhecimento em áreas diferentes. Seria complexo ter todos esses talentos à disposição o tempo todo.

A eficiência também é uma característica a ser destacada. Ao contratar alguém especializado para efetuar uma tarefa, a empresa conquista um trabalho bem realizado, algo que talvez a própria equipe não conseguisse fazer por não ter o profissional mais indicado para isso.

Para o profissional, oferecer um trabalho mais qualificado também traz uma vantagem financeira, já que ele pode cobrar mais pela sua hora do que se fosse contratado como um colaborador mais generalista.

Uma dica para que esse modelo funcione é que a empresa seja flexível e tenha a cultura alinhada às necessidades atuais do mercado. Funcionários fixos precisam estar abertos a trabalhar em harmonia com os colaboradores e respeitar o conhecimento dos temporários. Assim todos saem ganhando. 

FONTE:

Matéria original no BLOG da ALSTRA
https://blog.alstra.com.br/blog/

Adriana Gomes Author
Adriana Gomes é Mestre em Psicologia – UNIMARCO, pós-graduada em Psicologia Clínica, Psicóloga, (CRP 30.133), Coach certificada pela Lambent do Brasil e reconhecida pela ICC – International Coaching Community. Carreira de 25 anos nas áreas organizacional e clínica (Psicoterapia, Orientação de Carreira). Ex-vice-presidente do Grupo Catho, empresa onde atuou como Headhunter, Executive Search e Outplacement atendendo empresas nacionais e multinacionais de grande porte. Coordenadora Acadêmica da área de Pessoas dos Cursos de Pós Graduação da ESPM, Coordenadora do Centro de Carreiras da ESPM – Centro de Orientação de carreira para alunos dos cursos Master e MBA, Coordenadora do Núcleo de Estudos e Negócios em Desenvolvimento de Pessoas da ESPM, Professora no curso de pós-graduação da ESPM na Cadeira de Pessoas. Atuou como Professora do Instituto Pieron de Psicologia Aplicada no curso de Especialização em Orientação Profissional. Membro da ABOP – Associação Brasileira de Orientadores Profissionais. Autora dos Livros: Tô Perdido! Mudança e Gestão da Carreira editora Qualitymark – 2014 e Mudança de Carreira e Transformação da Identidade LCTE 2008. Atualmente colunista do Jornal folha de S.Paulo na seção Negócios e Carreiras, Colunista de Carreira da Rádio Bandeirantes – Coluna Carreira em Foco, foi colunista e colaboradora no portal EXAME.com, Blogueira dos sites HSM e Click Carreira, palestrante e Diretora do site www.vidaecarreira.com.br.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa