Anúncios

Sua foto de perfil pode afastar os seus clientes

Você certamente já viu fotos de braços cruzados no perfil do Facebook, LinkedIn, Instagram, Whatsapp, etc. Atenção! É preciso tomar cuidado!

374
374

Em nosso método (Instituto Wbr | Escola Leitura Corporal Brasil) entendemos que não existem sinais com significados rígidos, uma vez que diversos fatores podem alterar o seu resultado final. Desta forma, qualquer sinal com um significado comum, só será validado após sobreviver aos nossos filtros como um sistema de calibragem, ou seja, fatores ambientais, culturais, étnicos, fisiológicos, baseline e contexto.

Contudo, a posição de braços cruzados na maioria das fotos de perfil pessoal e profissional, merece destaque, pois é utilizada de forma prejudicial para a imagem de alguns consultores, coaches, assessores, CEOs, executivos, políticos, profissionais da saúde, tais como médicos e psicólogos e até profissionais que atuam dentro da leitura não verbal. Aliás, é a pose predileta pelos fotógrafos corporativos.

Você certamente já viu fotos de braços cruzados no perfil do Facebook, LinkedIn, Instagram, Whatsapp, banners, flyers, outdoors, revistas, jornais etc. Normalmente, estas fotos representam o profissional ou um grupo de profissionais, que quando perguntados sobre o porquê desta posição, normalmente respondem que é “uma posição de Empoderamento”. Poder?

Sugiro que cruze os braços e diga a frase, sejam bem-vindos. Você sorriu, correto? Porque não faz nenhum sentido que essa seja a sua foto de perfil, uma vez que braços cruzados simbolizam uma pessoa fechada ou em defesa emocional. Mas, repito, por que então é lida como uma posição de Empoderamento, pois normalmente vem acompanhada de um queixo elevado (enfrentamento, prepotência ou arrogância)?

Segundo nosso Método (Escola Leitura Corporal Brasil), o fator que ativa o mindset das pessoas para que os braços cruzados seja uma posição de poder, vem de uma métrica reconhecida pelo cérebro primitivo. Isso mesmo! Na natureza, o urso fica em pé para atacar, o pavão abre a cauda, o homem estufa o peito (por isso os braços cruzados) e eleva o queixo a fim de ficar (ou parecer ficar) maior do que é. É uma métrica primitiva de enfrentamento/empoderamento. Por isso o superman, mulher maravilha, Tarzan e tantos outros super-heróis usam essa posição, ou seja, mostram-se maiores para parecerem mais fortes do que são realmente. É uma métrica usada pelo mercado predatório, mas ao mesmo tempo, é uma marcação de “estou fechado” (se vier com o corpo lateralizado (desconexão) e queixo elevado (enfrentamento/arrogância). Não é minha opinião pessoal, mas métricas reconhecíveis através de nossos estudos gestuais (temos quase 200 marcações em nosso método de formação de experts em leitura corporal).

No Instituto Wbr | Escola Leitura Corporal Brasil, temos a métrica de que o amor é a força mais poderosa do planeta. Sim, sabe essa coisa babaca de amar e fazer o bem no meio corporativo? É o que fazemos usando a leitura corporal. Ademais, se braços cruzados são realmente uma expressão de poder, por que o Cristo Redentor no Rio de Janeiro não está de braços cruzados? A resposta é, porque braços abertos simbolizam bem-vindo, abraço, acolhimento. A parte que toma menos sol e anterior do corpo, simboliza, na linguagem não verbal, dentro do corpo. A parte que toma mais sol e posterior do corpo, simboliza fora do corpo. Braços cruzados escondem a parte que toma menos sol e anterior (escondem o que está dentro do corpo), sendo, portanto, uma posição fechada e incompatível com a proposta de sejam bem-vindos nas fotos corporativas.

Caso queira saber mais sobre nossas formações acesse https://cloudcoach.me/2UDEUYI

Estamos de “braços abertos” para recebê-lo(a).

Mentor Wandy
Founder Instituto Wbr | Escola Leitura Corporal Brasil
www.institutowbr.com.br

Mentor Wandy Author
Mentor Wandy é Presidente/Fundador do Instituto Wbr – Escola Leitura Corporal Brasil. Especialista em Leitura Corporal. Consultor do Jornal O Globo em matérias como Lula Lava Jato e Neymar PSG. Mentor no Founder Institute Vale do Silício – Unidade Campinas, Master Trainer Training em Programação Neurolinguística (PNL). ​Empreendedor Social. ​Autor de 18 livros sendo 1 em Metaprogramação, 3 em Leitura Corporal, 9 em Programação Neurolinguística e 5 livros direcionados para saúde coletiva. Atua há 20 anos na área da saúde e desenvolvimento humano. Já palestrou para centenas de pessoas em empresas como Mars Brasil, Shell Petróleo, EMBRAPA, AON, TupperwareBrasil, dentre outras. CONGRESSOS (Palestrante convidado) – CONALC, CONAOMI, ISMA-BR e CONFNETWORKING onde ministrou palestras sobre Leitura Corporal.
follow me
Anúncios
Neste artigo


Participe da Conversa