fbpx

Se você pensa que é inteligente, você precisa ler isso!

Você acha que Einstein era integralmente inteligente? Você vai se surpreender com a quantidade de pessoas que você pensava que era, mas não são!

Você acha que Einstein era Inteligente? Se você pensa que é inteligente, você precisa ler isso!

Se você pensa que é inteligente, você precisa ler isso!

Antes que você responda à minha provocação, eu quero te convidar a ler esse artigo até o final, pois você irá se surpreender com a quantidade de pessoas que conhece e que até então se consideravam inteligentes, mas que na realidade não são, pelo menos não de forma integral, que é a verdadeira expressão da inteligência.

Vamos começar entendendo que ser integral nada mais é do que ter um alinhamento positivo entre áreas consideradas extremamente importantes para o bem-estar de todo ser humano. Eu me refiro a áreas relacionadas à nossa saúde física, emocional e espiritual.

Para nos aprofundarmos um pouco mais sobre esse tema, então vamos entender o significado de inteligência. Essa palavra, que vem do latim, segundo o dicionário fala sobre a nossa capacidade de aprender, apreender, compreender, e adaptar-se facilmente.

Aprender diz respeito a tomar conhecimento sobre algo. Apreender é reter esse conhecimento. Compreender é perceber além do conhecimento retido. E adaptar-se é tornar esse conhecimento adequado.

Veja um exemplo prático:

  • Eu ouvi dizer que expressar a gratidão eleva a nossa vibração e nos dá a sensação de bem-estar. (Aprender)
  • Eu sei explicar porque expressar a gratidão eleva a nossa vibração e nos dá a sensação de bem-estar. (Apreender)
  • Eu experimento através do meu bem-estar a ação da gratidão em minha vida. (Compreender)
  • Eu expresso a gratidão sem perceber, de forma espontânea e natural. Ser grato faz parte da minha vida, por isso eu me sinto feliz. (Adaptar-se)

Observe que não há referência quanto ao tipo de conhecimento adquirido no conceito de inteligência. Embora alguns dicionários se refiram ao intelecto, nenhum deles limita a definição de inteligência a essa área.

A cada dia se amplia o leque sobre os tipos de inteligência existentes. Isso quer dizer que uma pessoa nerd*, por exemplo, pode ser inteligente apenas parcialmente se ela não desenvolver suas demais inteligências.

* “Nerd é o termo utilizado para definir uma pessoa muito dedicada aos estudos, alcançando níveis intelectuais acima dos previstos.”

Nesse artigo eu quero citar as inteligências que considero primordiais para o bem-estar e que se desenvolvidas, ativam em nós os neurotransmissores que nos colocam do lado oposto da ansiedade, gerando assim a felicidade que é, para mim, a máxima da inteligência. Em outras palavras, eu considero inteligente quem consegue ser feliz, independentemente do seu contexto de vida.

É claro que é inteligente aquele que aprende, apreende, compreende e consegue se adaptar ao conhecimento adquirido através do seu intelecto. Mas também da sua habilidade em desenvolver o seu lado emocional e espiritual. Eu chamo isso de disciplina integral.

A disciplina integral diz respeito ao compromisso diário que estabelecemos conosco em todas as áreas mais importantes da nossa vida.

O gênio Einstein, por exemplo, bateu na porta do Jung, o grande psicólogo, quando percebeu que precisava de ajuda para aprender a se relacionar. Em uma das cartas que Einstein escreveu para um amigo, ele destacou o quanto o admirava por seus relacionamentos duradouros e saudáveis. Einstein, de fato, não escondia sua dificuldade para lidar com as emoções. Provavelmente ele passava a maior parte do tempo exercendo seu maior dom. Mas ignorava que a sua vida era muito mais do que as coisas que ele criava a partir do intelecto. Considerando esse aspecto, então eu te pergunto: você acredita que Einstein era integralmente inteligente?

Nem o maior dos inteligentes intelectualmente foi capaz de ser feliz ignorando suas demais inteligências.

Usar Einstein como referência para esse tema é um tanto quanto delicado para mim, pois eu o admiro incondicionalmente pelo legado que deixou e por todas as suas contribuições. No entanto, eu usei esse exemplo extremo propositalmente, porque eu sempre li que o mundo o considera uma das maiores inteligências que já passou por aqui.

O fato é que todos nós, sem exceção, somos seres integrais dotados de um imenso potencial para nos desenvolver em todas as áreas. Contudo, precisamos ter disciplina e o firme compromisso diário de procurar cuidar da nossa evolução intelectual, emocional e espiritual.

Na sua rotina diária, o trabalho é o que sempre demanda sua maior atenção? Será que não está na hora de se dedicar em aprender a liderar suas emoções? Ou será que não está na hora de se abrir para uma inteligência superior que não pode ser vista ou tocada, mas sentida?

Para cultivar a felicidade é importante assumir compromissos com o seu desenvolvimento como um todo, afinal, você é mais que a sua mente.

Gostou do artigo? Compartilhe! Quer saber mais sobre como assumir compromissos com o seu desenvolvimento como um todo? Então entre em contato comigo. Terei o maior prazer em responder.

Gratidão!

Grande abraço e até o próximo mês.

Shirley Brandão
https://shirleybrandao.com.br/

Confira também: Quem sou eu? Uma pergunta que todo líder deveria se fazer!

 

Shirley Brandão acumulou mais de cem mil horas exercendo cargos de alta liderança ao longo de seus 31 anos de experiência. É administradora; Especialista em Liderança e Gestão Organizacional pela Franklin Covey, Pós-graduada em Coaching, Liderança e Consultoria pela Organização Condor Blanco/Chile; Master Coach. Desenvolve programas personalizados para líderes utilizando técnicas de Coaching e Mentoring. É sócia-fundadora do Grupo Vivencial Eu Pleno – Terapia e Coaching Vibracional (Brasil/Atacama/Capadócia); Criadora do workshop online Viva Sua Melhor Versão; Facilitadora Internacional do Método Heal Your Life de Louise Hay; É sócia-fundadora do Workshop Outdoor Vivencial A Jornada do Propósito; Conferencista Internacional já tendo ministrado palestras em Londres e Nova York. Certificada MBTI Step I e II. Escritora, autora do livro O Caminho de Shanti – O Perdão Muda Tudo, Editora Hércules. Membro Honorífico da AILB – Academia Internacional de Literatura Brasileira ocupando a cadeira de número 183. Shirley atribui sua ascendência profissional à sua forte paixão pelo desenvolvimento humano. Seu propósito de vida é fazer as pessoas acreditarem que podem voar e assim fazê-lo à altura de seus sonhos.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa