Saiba a diferença entre Educação Financeira e Finanças Pessoais

Muitos ainda confundem a Educação Financeira com Finanças Pessoais. Entenda essa confusão e aprenda as diferenças entre elas!

Muitos ainda confundem a educação financeira com finanças pessoais, por isso neste artigo pretendo esclarecer essa confusão e mostrar as diferenças entre as duas coisas.

As finanças pessoais lidam com cálculos, planilhas, matemática, ou seja, estamos falando de uma ciência exata, o que também é de grande importância, porém totalmente diferente da educação financeira, uma ciência humana que lida com sonhos, hábitos e comportamentos em relação ao dinheiro que passa em nossas mãos.

Sabemos que o ensino da educação financeira é relativamente novo, já que há pouco mais de 10 anos pouco se falava no tema, tendo apenas as finanças pessoais como referência, levando as pessoas a acreditarem que o descontrole financeiro era fruto do desconhecimento em cálculos matemáticos.

Hoje sabemos que isso não é verdade, visto o cenário recorde de inadimplência que vivemos no país. Será que todos esses mais de 60 milhões de brasileiros inadimplentes não sabem fazer contas? Acredito que o real problema está no controle emocional, no comportamento, por isso a educação financeira se faz tão essencial.

Por outro lado, a organização das contas é feita através das finanças pessoais. A ideia é que as pessoas possam controlar, não só os gastos através de planilhas, mas mudar o pensamento em relação ao consumo, ou seja, atingir um equilíbrio entre as duas ciências para ter uma vida financeiramente sustentável.

Pensando nesse sentido, é fato que uma criança educada financeiramente desde pequena terá mais chances de se tornar um adulto saudável quando o assunto são as finanças, uma vez que esse movimento é possível ser feito desde os dois anos de idade. Por outro lado, para ensinar as finanças pessoais é preciso que esta criança já esteja alfabetizada e saiba o básico da matemática.

Por fim, as finanças pessoais são importantes sem dúvida, mas é preciso também ter a consciência de que apenas os cálculos e planilhas não são suficientes para uma vida saudável financeiramente. A educação financeira trata de sonhos e propósitos, levando um novo comportamento para dentro de casa, onde esses objetivos se tornam prioridade no orçamento.

Portanto, não deixe para depois e comece a estruturar a sua vida financeira o quanto antes, já que essa organização e mudança de pensamento em relação ao dinheiro deixou de ser uma opção e já é uma realidade.

Reinaldo Domingos é PhD em Educação Financeira, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e da DSOP Educação Financeira. Está a frente do canal Dinheiro à Vista, é colunista do de diversos meios de comunicação. Autor de diversos livros sobre o tema, como o best-seller Terapia Financeira e o livro Empreender Vitorioso.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa