Ritos de Cultura: Engajamento na prática

Segundo pesquisas da Gallup, 70% do nível de engajamento do time é atribuída à qualidade de gestão e 50% da rotatividade é pelo desejo de se livrar do gestor.

Segundo pesquisas da Gallup, 70% do nível de engajamento do time é atribuída à qualidade de gestão e 50% da rotatividade é pelo desejo de se livrar do gestor.

Estes dados ligam um alerta sobre o exercício de liderança. Quais formas você gera engajamento e performance de sua equipe?

Mais do que o seu estilo de liderança, metas e indicadores, os gestores precisam gerar corresponsabilidade por um clima organizacional e construção de cultura forte.

Criar ações de cultura não é apenas escrever numa placa e colocar na parede os valores, missão e visão. Esta é uma ferramenta que ultimamente gera pouca credibilidade, principalmente quando na prática, o que se vê é um discurso centralizador e autoritário.

O mundo é atropelado por mudanças e o processo de gestão precisa acompanhar. O gestor precisa pensar em ações práticas de ritos de cultura para que seu time se conecte efetivamente ao trabalho e conquiste bons resultados.

Criar uma cultura forte, significa deixar claro a toda empresa: quais são os valores, comportamentos, diferenciais da empresa e causas que apoiam. E este processo vai permear toda a jornada do colaborador: da contratação até a saída.

O maior embaixador de sua marca não é o seu cliente e sim o seu colaborador. Um time com total engajamento, conectado aos valores da empresa, triplicam a produtividade, atenção aos clientes e resultados.

Criar ritos de cultura é fomentar espaços para ideias, cocriação, experimentação. É potencializar o propósito individual conectado à empresa. É valorizar os talentos e os alinhar com desafios. Não é apenas algo que o RH proporciona. Cuidar da cultura é pensar numa reunião invertida, momentos de celebração e principalmente em ações quando os resultados ou mindset parece travar toda a capacidade de superação do time.

O líder é um agente de transformação e deve no seu dia a dia, abrir este canal de engajamento na prática.

Se existe uma enorme dificuldade em dar o primeiro passo, faça um mapeamento do seu time. Quais expectativas, metas pessoais possuem. Como podem conectar seus anseios com processos do dia a dia para seu desenvolvimento. Crie os caminhos em conjunto com seu time. Os líderes possuem medo de perguntar ao seu time, sobre qual caminho seguir.

Gerar confiança, criando um espaço de conflitos construtivos, enriquece a troca e o engajamento. Afinal, todos passam de coadjuvantes passivos para atores na construção da empresa.

Os ritos de cultura são formas de evitar as possíveis janelas quebradas que são as frases de corredor que normalmente prejudicam o crescimento da empresa. Trazer estas frases para rodas de conversa no exercício da liderança é construir uma equipe forte, com base em empatia e diálogo.

O mundo mudou e se você acredita que fazer gestão é apenas pensar em resultados, não terá o melhor de sua equipe. Pensar no time como o centro para o crescimento sustentável do negócio faz parte do novo modelo exponencial de liderança.

Aline Gomes Author
Aline Gomes é uma inquieta que adora potencializar a performance dos profissionais. Psicóloga, Pós Graduada em Administração de Empresas com 5 certificações em Coaching, atuou por mais de 10 anos como Executiva de RH com projetos estratégicos no Brasil e América Latina. Atualmente é empreendedora na Make Different, Head dos cursos in company da Escola Conquer e professora do Leadership Experience. É criadora do Sacadas de Carreira, blog que gera conteúdos para acelerar a carreira dos profissionais.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa