Resolução de Ano Novo: Como colocar em Prática os Sonhos para o Começo do Ano

A cada final de ano, criamos listas e listas de objetivos “ano que vem vou...”. Como colocá-las em prática, principalmente aquelas ligadas à nossa saúde?

A cada final de ano, criamos listas e listas de objetivos – “ano que vem vou….”. Esta frase é preenchida por sonhos muitas vezes ligados à nossa saúde: começar a frequentar a academia, comer menos doce (ou melhor, nunca mais comer chocolate!), reduzir a bebida alcoólica, meditar, dormir mais cedo e assim por diante. Em um estudo publicado pelo jornal cientifico Personality and Social Psychology Bulletin, 55% das metas de ano novo são ligados à saúde e 20% ligados a finanças. Ou seja, questões de saúde e bem-estar fazem parte dos sonhos das pessoas. Queremos ser mais saudáveis!

Porém, a maioria das pessoas, nunca chega a realizar estas atividades. De acordo com um estudo divulgado pelo U.S News, aproximadamente 80% das pessoas desistem de suas resoluções de ano novo até a primeira semana de fevereiro de cada ano. Isso significa que as pessoas voltam para seus hábitos não saudáveis logo no começo do ano e muitas vezes desistem de tentar novamente para evitar a frustração gerada pelo fracasso logo no início do ano.

A questão essencial é então: como podemos colocar em prática nossas resoluções de ano novo, principalmente as que estão ligados à nossa saúde?

Em um estudo desenvolvido pela Kaitlin Woolley da Universidade Cornell e Ayelet Fishbach da Universidade de Chicago, os participantes relataram que o senso de importância e animação eram fatores que auxiliavam no engajamento em suas listas de desejos para o ano seguinte. Sendo assim, se os participantes percebessem benefícios em curto prazo de seus objetivos, muito provavelmente iriam manter pois o comportamento se tornaria importante e ainda aumentaria os níveis de energia.

Baseado nisso, vemos aqui um fator importante para a adesão à resolução de ano novo: é essencial que pessoas em processos de mudança percebam os benefícios de comportamentos saudáveis. Isto pode ser feito através de listas de benefícios. O ideal é que esta lista vá se aumentando ao longo do tempo e deve contemplar benefícios físicos, emocionais, sociais, intelectuais e até espirituais.

Outro fator importante que dificulta atingir os objetivos desenhados a cada final de ano, é a falta de orientação adequada. Em um estudo publicado pelo Journal of Nature and Science, somente 25% das pessoas recebem informações práticas sobre como incluir hábitos saudáveis em suas vidas. Por exemplo, a orientação para atividade física é de 150 minutos por semana. Isto significa uma média de 20-25 minutos por dia. Além disso, praticar atividade física vai além de ir para academia: atividade física é se movimentar, e isto pode ser feito em caminhadas em parques, subir e descer escadas, andar de bicicleta em ciclo faixas.

É necessário sempre buscar informações corretas e com embasamento. Hoje, temos acesso diariamente a dados que muitas vezes não são verdadeiros e isso pode estar nos prejudicando para atingirmos nossas metas. A busca por profissionais capacitados e especializados é fundamental na busca por ter mais qualidade de vida.

Por fim, precisamos estabelecer metas que sejam realizáveis para que possamos avançar no ano seguinte. Segue abaixo cinco critérios para estabelecer uma meta inteligente:

  • Seja específico. Por exemplo, você quer praticar atividade física. Qual tipo de atividade física? O que você gosta? Dança? Lutas? Corrida?
  • A meta precisa ser mensurável. Isso quer dizer que é necessário conseguir medir o progresso. Quantos quilômetros você está caminhando, quantos quilos está perdendo?
  • A meta precisa ser alcançável! Não adianta estabelecer uma meta de correr uma maratona se não corro nem 5 quilômetros. Comece com pequenos passos – 1 quilometro, 2 quilômetros, e assim por diante.
  • Seja realista. Por exemplo, para conseguir comer 5 porções de frutas por dia preciso ir no supermercado. Para isso, é necessário planejar sua compra. Pense no passo a passo até chegar ao momento final, começando desde o primeiro momento (fazer a lista de compras) até a execução (comer 5 porções de frutas).
  • Considere tempos determinados, não eternos. Contemple períodos curtos como semanal ou quinzenal. Uma vez passado este tempo, revise a meta. O que deu certo? O que foi difícil? E estabeleça um novo objetivo seguindo os mesmos critérios!

O importante é ter sucesso em cada meta para que sua autoestima e autoeficácia (crença que você é capaz) vá aumentando conforme as conquistas. Aos poucos, o que eram sonhos de ano novo se tornarão hábitos diários.

“Metas são sonhos com prazos definidos.” – Dana Scharf-Hunt

Sharon Feder Author
⚙️ Carevolution
Sharon Feder é formada em Psicologia pela Brown University nos EUA, com especialidade em Estudos Brasileiros e Portugueses pela Brown University e Coach de Saúde e Bem-Estar com Certificação Internacional pela Wellcoaches (EUA). Treinada no Modelo Transteórico de Mudança de Comportamento (ProChange Behavior Systems). Atualmente, é Sócia Diretora na Carevolution Consultoria em Saúde e Bem-Estar, desenvolvendo programas de qualidade de vida e capacitações de profissionais com foco em mudança de comportamento, engajamento e autocuidado.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa