fbpx

Quem aí tem medo de empreender, levanta a mão!

Quem nunca, não é mesmo? De onde vem esse medo? Por que ter medo de empreender? O que fazer para não deixar isso te paralisar? Confira 6 lições!

medo de empreender

Quem aí tem medo de empreender, levanta a mão!

Alguns anos atrás eu seria a primeira a levantar. Afinal…quem nunca, não é mesmo? Acho que todo mundo que tem um sonho de empreender, tem medo. E de onde vem esse medo? Por que ter medo de empreender? O que fazer para não deixar isso te paralisar?

Para começar, já dizia o ditado popular: Quem tem… tem medo!

Brincadeiras à parte, será que ter medo é sempre algo ruim? Na verdade, não! Ter medo, na maior parte das vezes é algo muito bom até. Porque a ausência de medo não é a coragem como muitos pensam, mas a estupidez. Você pode até achar que quem não tem medo de nada é invencível. Mas não é bem assim que funciona. Quem não tem, nem nunca teve medo de nada, provavelmente nem está mais vivo para contar, de tantas decisões estúpidas que tomou pelo excesso de coragem.

Portanto, se você quer empreender, mas sente um certo medo, vão algumas lições:

1ª lição – Ter Medo é Bom

A primeira lição é entender que não está errado sentir medo. Que ter medo é bom, que é um mecanismo de defesa do ser humano (sentimos medo quando estamos saindo da nossa zona de conforto, em direção ao desconhecido) e que nos protege da nossa própria estupidez. Talvez você nunca tenha pensado sob este ponto de vista, certo? Então agora agradeça o seu medo: OBRIGADO MEDO! Pois foi ele um dos responsáveis por te manter vivo, são e salvo, ao longo da sua vida.

2ª lição – Acredite!

A segunda coisa a ser levada em conta, quando falamos sobre empreendedorismo, é o verbo: ACREDITAR. O quanto você acredita na sua capacidade de empreender? O quanto você acredita no seu projeto e em você? Acreditar que é possível e que você é capaz de empreender é muito importante, porque dúvidas virão de todo os lados ao longo do processo empreendedor.

Muita gente vai duvidar de você, por isso é importante que você próprio não duvide. E se você acha que não acredita muito em si mesmo, contrate alguém que acredita para te ajudar! Tenha um mentor ou um consultor que leva o seu projeto a sério. Isso vai fazer toda a diferença no seu caminho. Porque serão inúmeros os obstáculos! Esteja preparado. Em algum momento você vai se desmotivar, vai achar que tudo é muito difícil, vai pensar em desistir. É normal. Faz parte da jornada empreendedora. Então, se você não acreditar o suficiente, quando a desmotivação aparecer, desistir vai parecer a melhor escolha.

3ª lição – Sentir-se desmotivado é normal, mas tem solução

O terceiro passo para empreender sem medo, é sobre DESMOTIVAÇÃO. Você precisa entender que se sentir desmotivado é normal. Principalmente os empreendedores em voo solo, aqueles que não têm sócios, se sentem muito sozinhos, cansados e desmotivados. E por isso é importante ter em consideração duas coisas: DISCIPLINA E GRUPO.

O remédio para a desmotivação, não é magia. Não é acordar todos os dias magicamente feliz e animado para conquistar o mundo. Não mesmo! Muita gente acha que todo empreendedor deveria acordar feliz, porque, afinal, se você trabalha com o que ama, deveria ter a sensação de que não trabalha nenhum dia e todos os dias deveriam ser dias de prazer, certo? Não é isso o que a gente aprende por aí sobre empreender?

Bem, a má notícia é que não é bem assim que funciona. Mesmo quem trabalha com o que ama, tem tarefas “chatas” para fazer, tarefas que precisam ser feitas para o negócio crescer e ir adiante.

Para isso, é preciso DISCIPLINA. Não espere que sua desmotivação vá embora por um passe de mágica, ou na mesma velocidade que ela surgiu.

Para você vencer a desmotivação, é preciso fazer o que nem sempre você quer. É preciso encarar aquelas tarefas chatas. É preciso acordar cedo e fazer o que tem que ser feito! Sabe aquela organização matinal que todo mundo fala, com meditação e uma lista das suas tarefas por fazer? Pois é essa lista que você tem que atacar com unhas e dentes todos os dias. Não é mágica, é disciplina.

A segunda coisa que eu mencionei, foi GRUPO. E então talvez você esteja se perguntando… como assim grupo? O que uma coisa tem a ver com a outra?

Eu explico. Estou falando sobre a importância do grupo. A importância de participar e estar inserido num grupo. Pode ser um grupo de apoio, ou simplesmente um grupo de pessoas que têm objetivos parecidos com os seus. Ter um grupo de pessoas, de preferência também empreendedores, com quem você pode conversar e pedir apoio durante a sua jornada é muito importante para esses momentos de desmotivação. É nos momentos em que você pensa em desistir, que ser parte de um grupo vai fazer toda a diferença!

4ª lição – Identifique o medo: Para cada medo, há uma solução

Quarto ponto a ser levado em consideração quando falamos sobre medo de empreender é: Por que você sente medo? De que você sente medo? É medo de não dar certo, da incerteza, ou de abandonar o seguro pelo duvidoso? Eu sei que o medo de empreender pode vir de diversas formas. Você precisa entender em qual categoria o seu medo está e dar um nome a ele. Precisa reconhecer: eu tenho medo de… . Este processo de autoconhecimento é importante, porque saber identificar o que lhe incomoda, é o primeiro passo para solucionar. Para cada medo, há uma solução.

Medo de dar errado?

Tenha um mentor! Alguém que já tem sucesso na área que você quer empreender e que pode te dar todo o suporte necessário para não dar errado.

Medo de falhar?

Aprenda a aprender com os seus erros. Falhar é o que nos faz humanos. Pense que cada falha é um passo mais perto do acerto.

Medo de abandonar o seguro pelo duvidoso?

O curioso é que as pessoas têm a coragem de passar a vida infelizes numa vida profissional que elas odeiam, mas não têm a coragem de experimentar viver feliz, fazendo o que tanto amam.

Para empreender, ninguém precisa sair chutando o balde e se despedindo do emprego de uma hora pra outra! É preciso planejamento, tempo e passo a passo. Só então, quando o seu projeto deixar de ser apenas uma ideia ou plano, e passar a ser algo real e concreto é que você deve tomar a decisão de fazer a sua transição de carreira.

Portanto tenha calma. Não deixe a ansiedade empreendedora de quem sonha alto dominar você! Uma ideia pode ser maravilhosa, mas ela só passa a ser um negócio quando começa a trazer dindin para o seu bolso. Antes disso, não passa de uma ideia ou um projeto. E eu não recomendaria ninguém a largar o seu emprego para arriscar se jogar numa ideia. Faça sua transição quando você já tiver um negócio lucrativo nas suas mãos.

5ª lição – Tenha claro para você o que você NÃO quer

O tema “transição de carreira” nos leva ao quinto tópico para você empreender sem medo: clareza sobre onde você quer chegar. Mais um clichê do universo empreendedor, mas que é a mais pura verdade: quem não sabe onde quer chegar, qualquer lugar serve.

Portanto, para começo de conversa, tenha claro para você o que você NÃO quer. Saber o que não se quer é o primeiro passo para decidir o que se quer. E saber onde você quer chegar no ano que vem, é muito importante para te ajudar a definir seus objetivos e metas. Quando você não tem essa clareza, as chances de você ficar perdido, desmotivado e acabar desistindo, são muito grandes.

6ª lição – Pense grande, mas execute passo a passo

Por fim, é importante dizer: pense grande, mas execute passo a passo! Dica de uma empreendedora que já teve inúmeras crises de ansiedade por querer alcançar rapidamente tudo o que sonhou, mas que aprendeu que a não dar passos maiores que a perna. Ter essa noção de que tudo tem a sua hora de acontecer, de que planejar é muito bom e extremamente importante, mas que é a execução diária que te leva para frente, é fundamental para você respirar fundo e entender que tudo é um processo, com início, meio e fim.

Portanto, sonhe alto, faça o seu planejamento estratégico com muita sabedoria e pé no chão, e caminhe um pé após o outro. Tenha sua lista de tarefas diariamente atualizada e muita disciplina, que logo você terá dinheiro no bolso!

Agora é hora de arregaçar as mangas e começar o seu business. Planeje, faça, reveja e analise o que precisa ser mudado ou melhorado, execute as mudanças e recomece o ciclo. Comece fazendo o seu modelo de negócios e planejando o que você quer alcançar até o ano que vem. Então desenvolva um plano de ação dividido em objetivos e metas claras. Mãos à obra, porque todo dia você terá a sua listinha de tarefas para fazer!

Gostou do artigo? Quer saber como perder o medo de empreender? Então entre em contato comigo. Terei o maior prazer em responder.

Um forte abraço e boas realizações!

Paula Quaiser
http://www.paulaquaiser.com

Confira também: A importância de se ter metas

 

Paula Quaiser é graduada e pós-graduada em Marketing. Master Coach e Canvas, certificada nacional e internacionalmente. Idealizadora do método Canvas Coaching. Eterna viajante e nômade digital. Palestrante internacional, em mais de 10 cidades pelo mundo. Indicada ao prêmio Bid-Star Awards 2018 (Genebra, Suíça) em qualidade de inovação. Coautora dos livros: “Business Model Teams” e “O Fator-E: O empreendedorismo como forma de transformar pessoas e empresas”.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa