Anúncios

Pesquisa aponta: 2 em cada 3 brasileiros sonham em pedir demissão

Você sonha em pedir demissão? 2 em cada 3 brasileiros sonham em pedir demissão. É o que aponta a Pesquisa Internacional de Empreendedorismo.

Pedir demissão? Isso não quer dizer que odeiam seu trabalho, mas, na verdade, mostra que 77% deles sonham em pedir demissão e empreender. Para os brasileiros, o fato de trabalhar para si próprio daria mais satisfação e flexibilidade

Os brasileiros realmente sentem que podem mudar o mundo: os indicadores mostram que, dos que têm vontade de se tornar empreendedor ou empreendedora, 67% acreditam que suas ideias poderiam contribuir para uma revolução no mercado.

A Pesquisa

A pesquisa realizada em 24 países contou com 23.500 participantes, incluindo 1 mil brasileiros, fez um levantamento sobre o sonho de empreender de pessoas ao redor do mundo e também suas motivações e principais desafios que enfrentam.

Globalmente, a principal razão de empreender é o fato de seguir uma paixão (64%). Mas, no Brasil, o que motiva mesmo é a flexibilidade de horário (64%), seguido pela vontade de ser seu próprio chefe (63%), o potencial de aumentar seus ganhos (54%), aumentar a satisfação profissional (51%) e, apenas em quinto lugar, foi citada a vontade de seguir uma paixão (50%).

Encomendada pela Herbalife Nutrition e conduzida pela OnePoll, a pesquisa apontou que apenas 21% dos brasileiros já estão dando os primeiros passos para abrir seu próprio negócio ou já está empreendendo. Dos que estão interessados em começar um negócio, 65% se sentem sem fôlego para encarar os desafios. Além disso, 80% dos brasileiros acham que nunca teriam a oportunidade de seguir seu sonho de abrir o próprio negócio, enquanto 69% das pessoas nos demais países têm o mesmo sentimento.

Curiosamente, 64% dos brasileiros acreditam que as mulheres enfrentam desafios diferentes dos homens quando se trata de empreender, incluindo “quebrar padrões sociais, lidar com acesso limitado a financiamento e lutar para ser levada a sério”.

Porém, para ambos os sexos, entre as principais barreiras estão: os altos custos de investimento inicial (69%), insegurança de como começar (29%), falta de informação sobre dados de mercado e financiamento (27%), preocupações sobre se, de fato, será bem-sucedido (23%) e receio de não ser um negócio lucrativo (22%).

Como investimento inicial, 81% dos brasileiros usariam recursos próprios, mas também considerariam buscar algum tipo de investimento (26%), buscariam um sócio (23%) ou então buscariam empréstimos pessoal (22%). Apenas 17% pediriam dinheiro emprestado para algum familiar.

Pedir demissão e empreender? Mas e as dificuldades?

“Começar um negócio a partir do zero pode ser assustador, mas a oportunidade de buscar sua própria paixão pode ser uma experiência emocionante e libertadora”, disse John DeSimone, copresidente e Chief Strategic Officer da Herbalife Nutrition.

Mesmo com essas dificuldades, 53% dos brasileiros acreditam que é mais fácil iniciar um negócio no Brasil do que em outros países. Seis em cada dez pessoas que têm vontade de empreender já deram seus primeiros passos, sendo que os homens foram 13% mais propensos a tomar a iniciativa do que as mulheres.

Dentre as principais motivações daqueles que empreendem, 57% afirmam que seguiram seus sonhos, enquanto 42% viram o potencial de mudarem seus ganhos, 34% ouviram seu instinto, 26% foram incentivados pela família e 21% por amigos.

A cada dez brasileiros que já empreenderam, cerca de nove acreditam que ter tomado essa decisão proporcionou muito mais felicidade para eles.

Benefícios de Empreender

1. Flexibilidade de horário64%
2. Vontade de ser o próprio chefe63%
3. Potencial de aumentar os seus ganhos54%
4. Aumentar a satisfação profissional51%
5. Vontade de seguir uma paixão64%
6. Flexibilidade de horário64%

Motivos que levaram a Empreender

1. Seguir um sonho57%
2. Potencial de mudar seus ganhos42%
3. Ouvir o seu instinto34%
4. Incentivo da família26%
5. Incentivo dos amigos21%

Barreiras para abrir o próprio negócio

1. Altos custos de investimento inicial69%
2. Insegurança de como começar29%
3. Falta de informação de mercado e financiamento27%
4. Receio de não ser bem-sucedido23%
5. Receio de não ser um negócio lucrativo22%

Pesquisa realizada em abril/2019
Fonte: www.idealhks.com

 

Adriana Gomes é Mestre em Psicologia – UNIMARCO, pós-graduada em Psicologia Clínica, Psicóloga, (CRP 30.133), Coach certificada pela Lambent do Brasil e reconhecida pela ICC – International Coaching Community. Carreira de 25 anos nas áreas organizacional e clínica (Psicoterapia, Orientação de Carreira). Ex-vice-presidente do Grupo Catho, empresa onde atuou como Headhunter, Executive Search e Outplacement atendendo empresas nacionais e multinacionais de grande porte. Coordenadora Acadêmica da área de Pessoas dos Cursos de Pós Graduação da ESPM, Coordenadora do Centro de Carreiras da ESPM – Centro de Orientação de carreira para alunos dos cursos Master e MBA, Coordenadora do Núcleo de Estudos e Negócios em Desenvolvimento de Pessoas da ESPM, Professora no curso de pós-graduação da ESPM na Cadeira de Pessoas. Atuou como Professora do Instituto Pieron de Psicologia Aplicada no curso de Especialização em Orientação Profissional. Membro da ABOP – Associação Brasileira de Orientadores Profissionais. Autora dos Livros: Tô Perdido! Mudança e Gestão da Carreira editora Qualitymark – 2014 e Mudança de Carreira e Transformação da Identidade LCTE 2008. Atualmente colunista do Jornal folha de S.Paulo na seção Negócios e Carreiras, Colunista de Carreira da Rádio Bandeirantes – Coluna Carreira em Foco, foi colunista e colaboradora no portal EXAME.com, Blogueira dos sites HSM e Click Carreira, palestrante e Diretora do site www.vidaecarreira.com.br.
follow me
Anúncios
Neste artigo


Participe da Conversa