fbpx

Os 4 pilares de quem possui um CNPJ (parte II)

Abrir um negócio não é apenas optar por uma outra forma de ter uma fonte de renda, é iniciar uma nova profissão. Então como ter sucesso neste negócio?

Os 4 pilares de quem possui um CNPJ (parte II)

Os 4 pilares de quem possui um CNPJ (parte II)

Dando continuidade ao artigo publicado anteriormente, hoje vamos à parte II. Caso você não tenha lido a parte anteriores, então acesse: Os 4 pilares de quem possui um CNPJ (parte I).

A falta de conhecimento destes quatro pilares, em conjunto com a ausência de clareza de qual destes deveria ser o seu principal pilar de atuação, com a inexatidão de sua descrição de cargo, através de responsabilidades-chave, facilita com que um dono de empresa atue no dia a dia como se fosse um colaborador CLT.

O pouco entendimento a respeito da necessidade de ter outras pessoas, como sócias ou colaboradoras, que complementem o seu papel principal, faz com que pessoas apaixonadas pelo lado intelectual e técnico da sua atividade profissional pensem e atuem em seu negócio apenas através do chapéu do especialista, podendo assim prejudicar o sucesso financeiro do seu negócio.

A seguir, uma breve descrição dos quatro pilares para o sucesso de um negócio, a saber:

Empreendedor:

Foca no futuro, na expansão e na criação de um negócio que tenha valor. Elabora estratégias, define o posicionamento, cria ideias, implementa inovações e mudanças. Busca estar antenado com as novas tendências de produtos e do mercado, e analisa a rentabilidade do portfólio de soluções. O seu olhar está naquilo que ainda não existe. Busca correr riscos.

Administrador:

Foca no presente, nas rotinas do dia a dia. Seu trabalho é manter as coisas organizadas e previsíveis, colocar ordem e assim deixar o negócio seguro, sem surpresas desagradáveis, sejam elas de ordem contábil, fiscal, trabalhista ou de fluxo de caixa. Busca minimizar riscos. Pavimenta e cuida das estradas abertas pelo empreendedor.

Especialista:

Também atua no momento presente, no projeto que tem em mãos. Busca estar no controle de todo o processo, todas as etapas, procura saber tudo e, por isso, pode criar uma situação em que se torna indispensável em praticamente tudo o que faz e se envolve. Seu envolvimento e satisfação estão nas atividades do momento.

Quer ser a autoridade máxima, não raro dedica muito tempo para entender o que seria o ideal e o perfeito naquilo que faz, com menos atenção para como o ideal irá se tornar real, simples e prático.

Seu prazer pode estar mais no saber, do que no fazer. Com frequência, é vestindo a camisa e a visão de um técnico especialista que uma pessoa abre um negócio. Muitas vezes, sem se dar conta de que, após a empresa aberta, não é o funcionário do seu negócio, mas sim o dono, que precisa pensar no futuro, buscar clientes, vender projetos e administrar o dia a dia do negócio, além de entregar o serviço contratado pelo cliente.

Vendedor:

Vendas são o pulmão de uma empresa, são o que traz o oxigênio necessário para um negócio existir. Sem a atividade do vendedor, nenhum dos três pilares anteriores irá existir. Envolve saber achar clientes, criar e implantar estratégias para ser achado por eles. Conhecer e utilizar um processo de venda adequado ao seu posicionamento é muito importante, assim como saber negociar.

Estes quatro pilares foram pensados para empresas onde temos apenas o dono, ou uma pequena equipe. A quantidade de pilares, bem como como a abrangência de cada um, pode variar conforme o tamanho do negócio e o número de colaboradores, apenas citando duas importantes variáveis.

Abrir um negócio próprio não é apenas optar por uma outra forma de ter uma fonte de renda, é iniciar uma nova profissão. Conhecer-se é de fato uma etapa crítica para saber em qual cadeira você deve se sentar e por quanto tempo, em um determinado período. Compreender seus talentos, limitações e experiência profissional também irá contribuir para descobrir quais competências seriam importantes você desenvolver. E, para aqueles que possuem sócios ou colaboradores, como distribuir as responsabilidades e assim definir as áreas de atuação de cada um.

Primeiro, procure entender qual pilar possui maior congruência com quem você é, depois organize sua agenda e aprenda a atuar nos outros três. Ou então busque pessoas que te complementam. Na gestão de um negócio, a complementariedade nos aproxima da perfeição.

Gostou da última parte do artigo? Quer saber mais sobre os 4 pilares de quem possui um CNPJ? Então entre em contato comigo. Terei o maior prazer em responder.

Alexandre Ribas
http://www.ttisi.com.br

Confira também: Os 4 pilares de quem possui um CNPJ (parte I)

 

Alexandre Ribas começou a trabalhar com consultoria e treinamento há mais de 20 anos. Atualmente é presidente da TTI Success Insights Brasil e membro do Advisory Council da TTI Success Insights, nos EUA, empresa presente em mais de 100 países. Possui uma vasta rede de contatos, com consultores e coaches bem-sucedidos, em diversos países. No Brasil, através da TTI Success Insights, atende mais de 200 consultores, coaches, palestrantes, treinadores e head hunters, por ano. Também pratica consultoria, através da sua empresa Venko Consulting, a qual teve início em 2002. Empreendedor desde 1998, atualmente possui cinco empresas em atividade. Sua formação acadêmica passa pela Universidade Mackenzie, UFPR, FIA-USP e Harvard. Também possui diversos cursos de formação em Coaching, PNL e desenvolvimento de pessoas. Foi o primeiro brasileiro a obter a formação completa, em turmas abertas, pela então ASTD, em HPI – Certificate in Human Performance Improvement. Possui três livros publicados, sendo eles “Manual Definitivo DISC”, “DISC – tudo o que você precisa saber, mesmo” e “Manual Definitivo Motivadores”. Escreve artigos desde 1998.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa