Anúncios

O que é natural? E o que é forçado?

Você quer muito algo e se esforça para fazer dar certo e acontecer. Daí você consegue. Isso é resultado do seu esforço ou foi algo forçado?

Você quer muito algo e se esforça para fazer dar certo e acontecer. Daí você consegue. Isso é resultado do seu esforço ou foi algo forçado?

Complicado dizer com certeza, não é?

Mas tente levar alguns pontos em consideração:

  • Você se esforçou colocando sua energia positiva ou você passou a colocar uma energia que te desgastou?
  • Você se esforçou e foi recebendo resultados positivos em troca ou foi se anulando a ponto de não conseguir se identificar mais com você mesmo?
  • Você percebe que coloca muitos julgamentos a respeito de como as coisas estão funcionando ou deixa que fluam?
  • Você racionaliza muito e não se permite intuir?
  • Você tem muitos medos e acaba se sentindo paralisado a respeito do assunto?

A alma é livre, mas imposições que outras pessoas fazem ou que nós mesmos fazemos, muitas vezes, colaboram para que nos percamos de nós mesmos.

Nunca deixe que padrões e intromissões em sua alma sejam maiores do que aquilo que faz sentido para você.

Lembre-se, NADA tem o mesmo teor ou grau igualmente para as pessoas.

Nossa percepção é inevitavelmente repleta de conceitos e pré-conceitos, pela simples razão de que desde nossa concepção temos sido investidos (ou não) de afeto pelos “outros” que nos rodeiam.

Temos tantas opções sobre qualquer tema. Por exemplo, vamos focar somente nas várias atividades profissionais que nos apresentam.

Há várias profissões consolidadas e outras em processo de construção. Quando você for pensar em atividades profissionais não se limite. Pesquise muito sobre quais são as suas habilidades, perceba a sua natureza e para onde faz sentido navegar. Não adianta forçar a sua natureza e ir para um lado que nada tem a ver com seu propósito na vida.

Quando isso acontece, invariavelmente, vamos nos distanciando de nós mesmos.

Sugiro que faça um exercício:

Liste suas habilidades, lembre-se de você quando tinha menos filtros e exigências consigo mesmo. Relembre seus melhores momentos e de fatos que você percebeu que suas ações ajudaram a dar certo. Quais das suas ideias você colocou em prática? Como se saía de dificuldades? O que você criava de diferente para que as coisas funcionassem?

Faça isso desde para fatos mais triviais no seu dia a dia até outros mais complexos. Descubra ou redescubra sua potência.

Às vezes (muitas vezes), as respostas estão mais próximas do que imaginamos.

Não deixe com que o “forçar” seja mais forte do que o seu NATURAL ou sua NATUREZA.

Respeite sua natureza e seu potencial. Esses são alguns pontos que vão na direção do encontro com seu propósito de vida. Experimente, se permita experimentar.

Rosangela Claudino tem 29 anos de experiência profissional. Tendo vivenciado culturas organizacionais de portes e segmentos diferentes, como: Laborterápica Bristol e American Express. Com experiência em áreas de recursos humanos passou a atuar em consultoria própria de seleção, desenvolvimento de pessoas e implantação de gestão estratégica de RH, agregando conhecimentos e compartilhamento em outros segmentos como: alimentação, tecnologia e financeiro. Pós-graduada em Administração com foco em RH e Marketing, com Formação em Coach reconhecida pelo ICF (International Coaching Federation) e Psicanalista formada pelo Centro de Estudos Psicanalíticos, atua também em conselho de administração e atende em consultório particular. Mentora e Coach do programa, PROVOCA – Programa Vocação e Carreira, desenvolve e atua em seus atendimentos valendo-se de técnicas de Coaching, ferramentas de RH e gestão estratégica de negócio, associadas a escuta diferenciada da psicanálise.
follow me
Anúncios
Neste artigo


Participe da Conversa