Anúncios

O que é Mindfulness?

Como ficar confortável com o desconforto, que é a realidade da maioria dos mercados? O Mindfulness é uma ferramenta que pode ajudar você nesse sentido!

A partir de 2010, o mundo dos negócios começou a utilizar a sigla VUCA para definir o ambiente empresarial na atualidade. Essa sigla já era utilizada desde o final dos anos 90 pelo exército americano para descrever a volatilidade (volatility), a incerteza (uncertanty), a complexidade (complexity) e a ambiguidade (ambiguity) no contexto das guerras. No mundo empresarial a sigla VUCA refere-se ao ambiente agressivo, desafiador, competitivo e veloz que as empresas se encontram hoje. A pergunta para os profissionais que atuam nesse contexto passa a ser: como ficar confortável com o desconforto, que é a realidade da maioria dos mercados?  O mindfulness surge, então, como uma nova ferramenta de desenvolvimento pessoal e profissional que pode nos ajudar nesse sentido.

Mindfulness muitas vezes é entendido como “atenção plena” ou “consciência plena”, e a sua tradução veio da palavra “Sati”, que se trata de um conceito mais amplo do budismo. Sati pode ser traduzido também como “memória” ou “recordar”, o que sugere que algo precisa ser vivido com atenção ou consciência plena para que possa ser lembrado. É comum estarmos com os nossos pensamentos no passado, o que pode gerar o sentimento de arrependimento, mágoa, depressão, culpa, ou então com os pensamentos no futuro que podem gerar sentimentos de medo, ansiedade. Mas poucas vezes nos mantemos com a atenção plena no que está acontecendo no presente. Um dos grandes estudiosos e desenvolvedor de mindfulness é Jon Kabat-Zinn, que descreve esse conceito como: “Simplesmente parar e estar presente, isso é tudo”.

Dessa forma, entendemos que a definição de mindfulness deve incluir aspectos como: capacidade de estar atento, no presente, intencionalmente, com aceitação do que está acontecendo, sem julgar ou ficar insatisfeito com a experiência presente. É conseguirmos direcionar a nossa atenção e reconhecer quais são as sensações físicas, emocionais e mentais nesse instante, de forma aberta e curiosa, aceitando o que acontece, sem criticar ou julgar. Portanto, mindfulness não é meditação, apesar de algumas técnicas de meditação serem utilizadas como ferramentas que facilitam o atingimento desse estado mental. Esse estado pode ser alcançado por qualquer pessoa, em qualquer atividade que esteja executando, estando completamente presente na experiência.

No contexto empresarial VUCA que vivemos hoje, costumamos entrar no que chamamos de “modo fazer”, ou seja, buscamos o tempo todo estar produzindo e realizando, se não for fisicamente será mentalmente. A mente analisa o passado e o futuro, buscando alcançar algum tipo de objetivo, utilizando um diálogo interno incessante e cansativo. Nesse estado, deixamos de vivenciar o “modo ser”, ou seja, estarmos totalmente presentes com a experiência que está sendo vivida naquele momento, sem utilizarmos nenhum diálogo interno. Não existe nenhum objetivo, nem mesmo a realidade precisa ser de alguma forma definida pela mente. A mente está totalmente aberta e flexível para o que está acontecendo. Ambos os modos são importantes no nosso dia a dia. A prática de mindfulness permite migrarmos com mais facilidade de um modo para o outro, o que pode trazer diversos benefícios para nós, como por exemplo:

  • Prevenção de estresse e mal-estar psicológico;
  • Aumento da capacidade de concentração;
  • Melhora da empatia e das relações interpessoais;
  • Aprimoramento da gestão das emoções;
  • Diminuição do burnout e aumento do rendimento no trabalho.

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), a “saúde é um estado completo de bem-estar físico, mental e social e não apenas a mera ausência de doença ou enfermidade”. Para a OMS este estado permite que uma pessoa realize as suas atividades, lide com as tensões da vida cotidiana, consiga trabalhar de forma produtiva e interaja com outros indivíduos de forma positiva. Nos últimos anos, tem surgido um número crescente de estudos acadêmicas que relacionam a prática do mindfulness com a promoção da saúde. Dessa forma, convido você leitor a vivenciar essa prática para que possa identificar todos os seus ganhos e benefícios.

Veronica Ahrens tem mais de 10 anos de experiência em gestão de pessoas. Fundadora da Master Leader, atua hoje como coach, trainer e palestrante. Professora de MBA da FIAP no tema Liderança e Gestão de Pessoas e Professora de Pós-Graduação em Neurociência da Santa Casa no tema Programação Neurolinguística.É Mestranda pela FEA/USP em Administração com ênfase em Gestão de Pessoas. Master Trainer pela ASTD – American Society of Training e Development e Master Trainer pela Langevin Learning Services, onde foi certificada em Instructional Designer/Developer, Technical Trainer e Instructor/Facilitator. Tem Certificado Internacional de Coaching pelo Integrated Coaching Institute e pela Lambent (International Coaching Community). Master Trainer em Programação Neurolinguística pela NLP University – California. Certificada pela Universidade de Harvard em Gestão Estratégica de Negócios e pela Universidade de Toronto nas áreas de Gestão de Recursos Humanos e Treinamento e Desenvolvimento. Pós-graduada em Administração com ênfase em Gestão de Pessoas pela FGV (CEAG). Autora do livro “Equipes não nascem excelentes, tornam-se excelentes”.
follow me
Anúncios
Neste artigo


Participe da Conversa