O que a percepção humana tem a ver com assertividade?

A percepção humana é uma ponte de duas vias entre identidades e interações. Interagimos, não com as pessoas ou objetos, mas com a imagem que fazemos deles.

1272
1272
percepção humana

O que a percepção humana tem a ver com assertividade?

Tem tudo a ver. E para clarificar as questões do comportamento assertivo, é preciso entender como se processa a percepção humana nas relações interpessoais. É através da percepção social que avaliamos as coisas e as outras pessoas que estão à nossa volta e damos os significados que satisfaçam aos nossos papéis e identidade.

Por causa da nossa percepção, interagimos, não com as pessoas ou objetos, mas com a imagem que fazemos deles. Portanto, para compreender o que é visto, é preciso compreender o próprio observador, assim como o que está realmente acontecendo.

A percepção humana é uma ponte de duas vias entre identidades e interações, possuindo, assim, uma característica dinâmica, pois o observador não faz um registro passivo dos acontecimentos externos, ao contrário, ele interfere em todas as fases do processo de percepção, colocando seus próprios dados internos.

Na verdade, as avaliações que fazemos das pessoas são, em geral, imprecisas. Diante disso, nossa tendência é sermos excessivamente prudentes ou então, pressupormos rapidamente que as imagens superficiais que temos do outro são corretas.

Essas pressuposições ou inferências sofrem influência direta dos nossos sentimentos decorrentes das experiências vividas por toda a vida. E crenças são criadas a partir dessas experiências vividas.

Vivemos num mundo de crenças que, em geral, permanecem não testadas. Muitas vezes, adotamos crenças que se baseiam em conclusões inferidas do que observamos, acrescidas da nossa experiência passada. E nossa capacidade de alcançar os resultados que realmente esperamos fica corroída por nossas opiniões de que nossa crença é a verdade, sendo ela baseada em dados que selecionamos da situação.

Isso acontece com frequência em nossa vida simplesmente porque não conseguimos viver a vida sem acrescentar significados ou tirar conclusões.

A recomendação é tornarmos nossa comunicação assertiva, por isso seguem algumas dicas:

  • Tomar consciência do próprio pensamento e raciocínio;
  • Tornar seu raciocínio e pensamento mais transparente para os outros;
  • Questionar a validade do seu pensamento;
  • Procurar os dados observáveis nos quais se baseiam nossas afirmações;
  • Checar se as outras pessoas estão vendo os mesmos dados;
  • Perguntar abertamente, quando tenho dúvidas: “Quando você disse x ,quis dizer y?”;
  • Trocar feedback constantemente.

Conclusão: Seja assertivo! Antes de concluir baseado em suposições, busque sustentação em fatos e dados.

Vera Martins
https://vera-martins.com/

Confira também: Você é do tipo que gosta de ter razão “quase” sempre?

 

Vera Martins Author
Vera Martins é autora dos livros: “Seja Assertivo!” e “O Emocional Inteligente”. Trabalhou por 21 anos como Executiva em Recursos Humanos e há 18 anos atua em consultoria de desenvolvimento humano. É educadora com especialização em desenvolvimento de pessoas. Possui mestrado em Comunicação e especialização em Medicina Comportamental.Atua como coach, palestrante, facilitadora de seminários e professora de universidades, tais como: Fundação Vanzolini e Escola de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo em cursos de pós-graduação.Através de intensos estudos e publicação dos seus livros tornou-se precursora da competência Assertividade e especialista em comunicação e inteligência emocional. Por isso, vem atuando fortemente nos diversos níveis profissionais nas empresas, em competências que envolvam a comunicação relacional, tais como: Estratégias de Negociação, Gestão de Conflitos, Comunicação e Influência, Liderança Assertiva, Inteligência Emocional, Coaching, Gestão de Pessoas, Formação de times e competências correlatas. É fundadora da Assertiva Educação e Cultura.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa



Loading cart ...