fbpx

O primeiro trimestre já foi. E você, está voando alto ou anda lutando contra a procrastinação?

Confira os 4 principais motivos que podem estar prejudicando sua produtividade e fazendo você deixar pra depois o que precisa ser feito agora.

1671
1671
procrastinação

O primeiro trimestre já foi. E você, está voando alto ou anda lutando contra a procrastinação?

O despertador toca e você põe mais 10 minutos. Frequentemente leva tarefas da sua lista de pendências de um dia para o outro enquanto se permite assistir mais alguns episódios da série que você adora ou dar mais uma olhadinha nas redes sociais e quando se dá conta, o tempo passou e seu índice de realizações está baixo. Se você se identificou, bem-vindo(a) ao mundo da procrastinação.

Deixar para depois não é um problema, mas fazer disso um hábito, sim. O retardar de decisões e ações nunca foi tão real na vida das pessoas como após a chegada do computador, do celular e das redes sociais. A tecnologia tem impactado muito na forma das pessoas se relacionarem e contribui significativamente e negativamente com a dispersão, falta de foco e de produtividade.

A qualidade do nosso desempenho está estritamente ligada à nossa capacidade de planejar o que tem que ser feito, realizar com a tranquilidade para termos tempo hábil de revisão e ajustes, se necessários.

Para mudar o hábito da procrastinação, você precisa ter maturidade, fazer uma autoanálise e ser sincero consigo mesmo para identificar os motivos que te fazem deixar para depois o que precisa ser feito agora.

Vou te ajudar, citando aqui os quatro principais motivos que podem estar prejudicando sua produtividade:

  1. Prioridades não definidas: Quando você não tem um objetivo bem definido, não tem clareza de quais atividades são prioritárias para atingi-lo e acaba desviando do seu foco principal. Com um objetivo definido, e a clareza das tarefas necessárias para alcançá-lo, você sabe para onde deve direcionar seu foco;
  2. Sobrecarga de compromissos: Assumir compromissos à revelia, sem identificar se eles estão alinhados ao seu objetivo levam à improdutividade e ao hábito de ter que deixar algo para depois, devido a sobrecarga; 
  3. Esperar que o tempo resolva ou elimine o problema: Você pode estar em uma situação conflituosa que te deixe desconfortável e por isso prefira adiar o que precisa ser feito, na esperança de que a situação se resolva por si só. Mas, acredite: Essa pode não ser a melhor saída. Enfrentar, conversar e resolver te coloca no controle da situação e te ajuda a ser autoconfiante;
  4. Medo do fracasso: Ah, esse é aquele fantasminha que te faz não tomar atitudes, com medo de errar. Mas, eu tenho a boa notícia: As pessoas mais produtivas também são as que mais erram, e são as que mais aprendem. Se você aprender a olhar para o erro como uma oportunidade, vai aumentar significativamente seus resultados e deixar o medo do fracasso de lado.

Brené Brawm, em seu livro Coragem para liderar, diz que a vulnerabilidade é definida como algo incerto, arriscado e que te expõe emocionalmente. Mas, na verdade, ela é positiva. É dela que nascem emoções importantes que vivenciamos como humanos. Isso é a base para a coragem.

Em um mundo cheio de problemas complexos e possibilidades intermináveis, precisamos de líderes corajosos e de uma cultura da coragem. E só chegaremos lá quando aceitarmos e usarmos nossa vulnerabilidade. O ser humano é vulnerável. Não existe nenhuma pessoa que nunca experimentou emoções como ter incerteza, sentir que está em risco e com medo de exposição.

Então, que tal fazer essa autoanálise, identificar os motivos que te fazem procrastinar e começar a mudar esse hábito, desde já?

Três meses praticamente já se foram. Mas, você ainda tem nove para realizar essa mudança. Vamos juntos!

Tudy Vieira
https://www.tudyvieira.com.br/

Confira também: A relação da eficácia com um “não” bem dito

 

Tudy Vieira Author
Tudy Vieira atua há 11 anos com desenvolvimento de pessoas e organizações. Administradora, especialista em planejamento e gestão empresarial. Master Coach certificada por Behavioral Coaching Institute e reconhecida pela Internacional Coaching Council. Neuro Coaching desenvolvida pelo trainer internacional Dr. Srini Pillay. Analista Alpha Assessment com os trainers internacionais Kate Ludeman e Eddie Erlandson. Possui certificação em Assessment Training Nível 1 e 2 – pela TTI Success Insigts. Practitioner em PNL através da SBPNL – Sociedade Brasileira de Programação Neuro Linguística. Desenvolveu o Programa Controle 360*, com mais de 130 turmas realizadas, em diversos estados do Brasil.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa



Loading cart ...