O poder da verdade!

A verdade é o alicerce de cada um, ao conviver em harmonia com seus ideais e princípios mais profundos. A bússola da alma, a guardiã da consciência, a revelação do ideal e a inspiração como impulso constante no dia-a-dia.

Dias atrás, o Brasil acordou com uma operação policial e investigativa sob o nome de “Alétheia”, o que muitos jornalistas traduziram do grego como “a busca da verdade”. A tradução pura e simples da palavra significa “verdade”, mas a sua aplicação já foi melhor estudada e, como conclusão, tem-se que ela significa, simultaneamente, “verdade e realidade” (é o contexto em que nada fica escondido, tudo fica evidenciado e transparente). Pois bem, política à parte, lembrei-me de um texto antigo, o qual quero comentar com os leitores deste espaço.

O livro foi publicado em 1902 (repito, pois não é erro de digitação: 1902), por Willian George Gordon e, depois, revisado e republicado em 2012, por Rodney Mann. O título sugestivo é “O poder da Verdade”, e o texto já começa desafiador, logo no primeiro capítulo. Segundo o autor, a verdade é o alicerce de cada grande personagem do mundo cotidiano, ao estar convivendo em harmonia com os seus ideais e princípios mais profundos. A verdade é a bússola da alma, a guardiã da consciência, a revelação do ideal e a inspiração para tê-lo como impulso constante no dia-a-dia.

Por outro lado, a mentira é um dos vícios mais antigos do mundo, tendo estreado em nossas vidas em famosa conversa protagonizada por Adão e Eva. A verdade pode estar sozinha, e por isso não precisa de acompanhante. Mentiras são covardes, que precisam se deslocar de um lado a outro, como um monte de homens bêbados que se apoiam entre si. A mentira é parceira e cúmplice de todos os outros vícios humanos, gerando degeneração moral na vida da pessoa mentirosa.

Quando uma pessoa descobre que, com a verdade, ela tem a chave para a compreensão de muitos fenômenos do mundo, ela também cresce espiritualmente. Para o ser humano não existe a verdade teórica, pois o sentido da verdade obriga que seja absorvida pela mente e se torne parte inseparável da vida cotidiana, que seja uma “verdade real”. Se sabemos a verdade e não a vivemos no cotidiano real, nossa vida, conscientemente, será uma grande mentira.

Está nas mínimas coisas que nos cercam, e acompanham no cotidiano, a necessidade de nos ligarmos com a verdade e a realidade. Isso não é como vestir uma roupa que nos agrada a cada momento, ou para alguma situação especial, mas deve ser algo durável para sempre. A pessoa que se esquece de suas promessas é falsa e, como raramente esquecemos as promessas que nos são feitas, devemos respeitar o mesmo princípio com os outros. O ser humano diferenciado cultiva sua verdade e a sua palavra dada, assumindo-as como algo sagrado e até impossível de negar.

Com a verdade ao seu lado, uma pessoa pode enfrentar sem medo as calúnias, abusos e provocações. Pode estar sempre de cabeça erguida e até desafiadora, mirando os adversários com firmeza nos olhos. A pessoa consegue vivenciar uma onda expansiva da sua saúde moral até que, ao final, poderá vibrar com a consciência do seu parentesco com o Universo, fazendo sumir tristezas e sofrimentos da vida como se fossem apenas temporárias visões e inofensivos pesadelos.

Pois bem, depois de transitar pelo primeiro capítulo do livro, pode-se perceber que há mais de 100 anos alguém já escrevia sobre “Alétheia”, motivando que se tenha a verdade associada à nossa realidade de vida como um bem maior, um presente Divino, pelo qual vale a pena lutar. O meu desejo, ao resgatar essas informações e postulações, está em que cada Coach assuma contribuir para que seus clientes não se vinculem a falsos paradigmas e metas distorcidas por meia-verdades.

O que se buscou estimular neste artigo é que o Coach responsável, efetivamente, leve seu cliente a refletir e tomar consciência sobre o conflito potencial de desejos e sonhos com ideais e princípios. Alcançar metas é fundamental, mas não deve se sobrepor ao que o cliente tem como sua “Alétheia”.

Mario Divo Author
Mario Divo tem incrível experiência profissional, tendo chegado a meio século de atividade ininterrupta, em 2019. É PhD e MSc pela Fundação Getulio Vargas, com foco em Gestão de Negócios, Marcas e Design, Marketing e Comunicação Corporativa. Tem formação como Master Coach, Mentor e Adviser pela Sociedade Brasileira de Coaching e pelo Instituto Holos. Consultor credenciado para aplicação do diagnóstico meet® (Modular Entreprise Evaluation Tool), Professor e Palestrante. CEO e Coordenador Executivo da plataforma Dimensões de Sucesso, acumulando com o comando da MDM Assessoria em Negócios. Foi Diretor Executivo do Automóvel Clube Brasileiro e Clube Correspondente da FIA – Federação Internacional do Automóvel, no Brasil. Foi titular do Planejamento de Comunicação Social da Presidência da República (1997-1998) e, anteriormente, comandou a Comunicação Institucional da Petrobras. Liderou a Comunicação Institucional e a Área de Novos Negócios da Petrobras Internacional. Foi Presidente da Associação Brasileira de Marketing & Negócios, Diretor da Associação Brasileira de Anunciantes e, também, Conselheiro da Câmara Brasileira do Livro. Primeiro brasileiro no Global Hall of Fame da Aiesec International, entidade presente em 2400 instituições de ensino superior em 126 países e territórios, voltada ao desenvolvimento das potencialidades das jovens lideranças em todo o mundo.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa