fbpx

Perfeccionismo: Um Vilão que Cobra Caro pelos Resultados

Você é um líder que se cobra muito, extremamente perfeccionista, não aceita falhas? Confira 5 atitudes para se livrar desse vilão e ser um líder mais leve e produtivo.

Perfeccionismo: Um Vilão que Cobra Caro pelos Resultados

Perfeccionismo: Um Vilão que Cobra Caro pelos Resultados

Você é um líder que se cobra muito, é extremamente perfeccionista, não aceita falhas e quando as comete, se critica com muita facilidade?

Atingir objetivos, aprimorar o nosso desempenho, estabelecer metas e cumpri-las é fundamental, mas quando a busca pelo padrão estabelecido, sobretudo por nós mesmos, e a dedicação para execução das nossas tarefas vêm acompanhadas por excessiva autocrítica e preocupação, elas podem nos trazer uma grande carga de estresse, sofrimento e frustração, impactando, consequentemente, de forma negativa nos nossos resultados como líder.

O perfeccionismo é um vilão que cobra caro pelos resultados que você alcança.

De acordo com o dicionário, perfeccionista é aquele que busca por uma perfeição absoluta, como se alcançá-la fosse possível. É uma grande tirania com nós mesmos idealizar essa visão; é desumano tentar sustentar a ideia de que é possível somente acertar. Os melhores líderes do mundo são aqueles que erraram, mas que souberam aprender com cada erro para fazer cada vez melhor.

Há quem diga que o perfeccionismo tenha seu lado bom e embora eu acredite parcialmente nisso, porque no fundo sempre penso que tudo tem seu lado bom, meus 32 anos de experiência como líder me mostraram o quanto os prejuízos se sobrepõem aos ganhos quando se é perfeccionista. Entretanto, eu concordo que ser um líder exigente, cuidadoso com os detalhes, firme, objetivo, pontual, íntegro e transparente contribuem significativamente para os resultados que se almeja, elevando a qualidade da nossa entrega como líder.

Como uma ex-líder autoexigente eu posso afirmar que para cada situação de estresse causada por minha autocobrança excessiva, eu contabilizava grandes prejuízos, principalmente em relação à minha saúde. Eu já tive insônia, crises de enxaqueca, dores fortes no estômago e outros distúrbios, mas o pior de tudo era também a maior causa da minha autoexigência: uma autoestima baixa que se tornava evidente cada vez que a dependência por reconhecimento aumentava. A minha sorte foi ter percebido, um dia, o quanto ser assim me fazia mal. Foi então que dei início ao meu processo de melhoria, me concentrando mais em aprender a me reconhecer. Essa foi uma grande virada de chave da minha liderança.

Caso você se identifique com esse perfil, eu tenho algo para lhe dizer que pode mudar isso sem prejudicar seus resultados. Aliás, você sabia que é possível ser um líder com resultados extraordinários pegando mais leve com você?

Nesse texto eu vou ajudá-lo a entender como o perfeccionismo pode estar travando sua liderança e lhe colocando ainda mais longe dos seus objetivos. Com pequenas atitudes você poderá se livrar da autoexigência, se tornando um líder mais produtivo e mais leve.

Minha sugestão é que você se concentre em colocar em prática cada uma dessas atitudes em pequenas doses diárias e que observe com paciência sua evolução.

ATITUDE 1:

Aprender a se elogiar, a reconhecer suas conquistas, seus acertos, até mesmo os menores; a se incentivar a dar sempre o seu melhor no que fizer.

ATITUDE 2:

Não dar ouvidos a críticas externas. Um bom líder precisa identificar quando a opinião alheia é carregada de maldade e assim se blindar dessas opiniões. Tenha sempre por perto pessoas que te darão feedback de forma honesta e respeitosa; pessoas que torcem por você e querem o seu bem.

ATITUDE 3:

Aceitar seus erros e procurar tirar as melhores lições deles. Por mais que você se esforce, por mais que se dedique, estará sempre sujeito a cometer falhas. Um bom líder raramente repete os mesmos erros, pois procurar aprender com eles.

ATITUDE 4:

Desenvolver o hábito de se planejar antecipadamente de forma minuciosa. Tenha em mãos um checklist de todos os detalhes que lhe ajudarão a realizar o que você quiser.

ATITUDE 5:

Aprender a se perdoar. Eu falo muito sobre a importância do autoperdão em todos os aspectos das nossas vidas e em liderança não poderia ser diferente. Quando sentir que está sendo duro com você, lembre-se então de praticar a autocompaixão para deixar aflorar o autoperdão. Diga para você mesmo: da próxima vez eu farei melhor.

Gostou do artigo? Quer saber mais sobre o vilão do perfeccionismo? Então entre em contato comigo. Terei o maior prazer em responder.

Compartilhe também com seus amigos que precisam aprender a pegar mais leve consigo mesmos.

Gratidão!

Grande abraço e até o próximo mês.

Shirley Brandão
https://shirleybrandao.com.br/

Confira também: Por que VOCÊ TEM (tanto) MEDO DA MUDANÇA?

 

Shirley Brandão acumulou mais de cem mil horas exercendo cargos de alta liderança ao longo de seus 31 anos de experiência. É administradora; Especialista em Liderança e Gestão Organizacional pela Franklin Covey, Pós-graduada em Coaching, Liderança e Consultoria pela Organização Condor Blanco/Chile; Master Coach. Desenvolve programas personalizados para líderes utilizando técnicas de Coaching e Mentoring. É sócia-fundadora do Grupo Vivencial Eu Pleno – Terapia e Coaching Vibracional (Brasil/Atacama/Capadócia); Criadora do workshop online Viva Sua Melhor Versão; Facilitadora Internacional do Método Heal Your Life de Louise Hay; É sócia-fundadora do Workshop Outdoor Vivencial A Jornada do Propósito; Conferencista Internacional já tendo ministrado palestras em Londres e Nova York. Certificada MBTI Step I e II. Escritora, autora do livro O Caminho de Shanti – O Perdão Muda Tudo, Editora Hércules. Membro Honorífico da AILB – Academia Internacional de Literatura Brasileira ocupando a cadeira de número 183. Shirley atribui sua ascendência profissional à sua forte paixão pelo desenvolvimento humano. Seu propósito de vida é fazer as pessoas acreditarem que podem voar e assim fazê-lo à altura de seus sonhos.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa