fbpx

O Neurocoaching e a orientação para a ação!

Entenda como a linguagem de neurociência junto aos trabalhos de Coaching pode ampliar as possibilidades na formação de novas habilidades, comportamentos e compreensão de caminhos de vida.

Hoje vou tratar de um estudo realizado nos EUA pelo Dr. Srini Pillay, Master Coach e Professor da Harvard Medical School. O título em tradução livre é longo, porém bastante explicativo dos objetivos do autor: O primeiro passo para a superação dos desafios de transições de carreira: Como uma compreensão da ciência do cérebro pode distinguir a “possibilidade de agir” da “intenção de agir”. Ele é o principal executivo do Neurocoaching Center, uma área que já começa a inspirar iniciativas similares no Brasil.

Esse centro de excelência em pesquisas e formação combina as competências de quem lidera pesquisas sobre o cérebro e as ferramentas do Coaching executivo com a experiência de quem se especializou na recuperação rápida de empresas. Com isso, a expectativa é a de oferecer a linguagem de neurociência nos trabalhos de Coaching, ampliando as possibilidades na formação de novas habilidades, comportamentos e compreensão de caminhos de vida.

Segundo estudos realizados pelo Dr. Pillay, menos de 30% dos funcionários de empresas americanas estão totalmente engajados em seu trabalho. Além disso, sabe-se que existe uma correlação entre o grau de engajamento no trabalho e a capacidade de a empresa reter esse recurso, mas pessoas em fase de transição de carreira muitas vezes enfrentam vários desafios e a transição se torna complicada, muitas vezes sendo mais o “desejo” ou a “esperança” do que uma ação efetiva. No seu trabalho, o Dr. Pillay explora a ciência do cérebro na formação do que ele chama de “compromisso”, que é o primeiro grande desafio na transição de carreira. A seguir, ele explora a diferença entre “possibilidade de agir” com a “intenção de agir”, quando se trata de pessoas que estão amarradas em seus pontos de transição no trabalho.

E como é que esse trabalho de pesquisa se relaciona com o Coaching?

O Coaching é essencialmente um instrumento voltado à criação ou elaboração de um contexto de mudança. O problema é que esse contexto é multifatorial, com muitos aspectos que podem influenciar as relações do Coach com o Coachee. Porém, há um elemento fundamental que está na “linguagem”, e até encontramos situações em que crenças auto-limitantes podem se traduzir em uma linguagem que inibe a ação. Os Coaches podem ajudar os clientes a criar uma nova forma de linguagem, adicionando conceitos oferecidos pela neurociência e aumentado a  possibilidade de uma orientação para a ação.

A analogia é a de uma corrida. Se o desejo do cliente é mudar em algo, executando essa mudança ao sair do ponto A para o ponto B, não basta simplesmente estar na corrida. E não basta também ficar parado no ponto de saída, apenas pronto para correr. Para ativar o cérebro adequadamente, todo o corpo e todos os movimentos devem evidenciar que a pessoa vai correr. Essa é a posição que o autor chama de orientação para a ação. E sempre que se tratar do processo de Coaching, a premissa deve estar ativada e a linguagem é inspiradora para isso.

Finalizando, o Dr. Pillay faz um alerta. Os clientes que estão com um acompanhamento baseado no instrumental do Coaching não passarão simplesmente do desejo ou da declaração de objetivo para a efetiva ação, a menos que sejam convenientemente estimulados. A neurociência diz que a orientação para a ação ativa o córtex frontal esquerdo e, sem isso, não poderá haver compromisso com a decisão, que é a chave do sucesso em todos os casos.

Mario Divo Author
Mario Divo tem extensa experiência profissional, tendo chegado a quase meio século de atividade ininterrupta, em 2020. É PhD e MSc pela Fundação Getulio Vargas, com foco em Gestão de Negócios, Marcas e Design, Marketing e Comunicação Corporativa. Tem formação como Master Coach, Mentor e Adviser pela Sociedade Brasileira de Coaching e pelo Instituto Holos. Consultor credenciado para aplicação do diagnóstico meet® (Modular Entreprise Evaluation Tool), Professor e Palestrante. CEO e Coordenador Executivo das plataformas de negócios MENTALFUT® e Dimensões de Sucesso®, acumulando com o comando da sua empresa MDM Assessoria em Negócios. Foi Diretor Executivo do Automóvel Clube Brasileiro e Clube Correspondente da FIA – Federação Internacional do Automóvel, no Brasil. Foi titular do Planejamento de Comunicação Social da Presidência da República (1997-1998) e, anteriormente, comandou a Comunicação Institucional da Petrobras. Liderou a Comunicação Institucional e a Área de Novos Negócios da Petrobras Internacional. Foi Presidente da Associação Brasileira de Marketing & Negócios, Diretor da Associação Brasileira de Anunciantes e, também, Conselheiro da Câmara Brasileira do Livro. Primeiro brasileiro no Global Hall of Fame da Aiesec International, entidade presente em 2400 instituições de ensino superior em 126 países e territórios, voltada ao desenvolvimento das potencialidades das jovens lideranças em todo o mundo.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa