Anúncios

O mundo VUCA em 2020… o que nos espera?

As dores e preocupações que nascem de um mundo VUCA: disruptivo, dinâmico, complexo e que, mesmo assim, exige resultados, desempenho e avanços.

O mundo VUCA em 2020… o que nos espera?

Os leitores já estão acostumados a encontrarem, neste espaço, o Mundo VUCA do Coaching, uma visão de acontecimentos sempre na fronteira do conhecimento. Acho que esse tipo de desafio que eu me lanço e aqui apresento, entre outras coisas, serve para que todos nós tenhamos conteúdo que possa provocar pensamentos e exercitar o cérebro com reflexões importantes.

Aliás, recentemente, eu comentei em uma palestra que o mundo sempre foi VUCA, pois em toda a história da humanidade as pessoas e seus agrupamentos sempre enfrentaram situações de dinâmica, incerteza, complexidade e ambiguidade, tanto mais com a milenar repetição de batalhas por conquistas de terras e riquezas, além de questões religiosas ou socioeconômicas.

Pois bem, aceitemos esse fato (ou não), há um generalizado entendimento de que a chamada Globalização 4.0 significa ruptura com padrões do passado e sinaliza para um novo contexto no qual a interação homem-máquina será cada vez mais presente em nosso cotidiano.

Tanto esse assunto é importante que ele foi o tema central do Fórum Econômico de Davos 2019, na Suíça, que contou com cerca de três mil pessoas do mais alto nível intelectual e poder político (60 chefes de Estados e de Governos), a tal da Globalização 4.0 foi amplamente debatida em todos os seus aspectos e impactos, de sociais à economia, do meio ambiente ao comércio internacional.

Resumidamente, os debates estiveram em torno de:

  • Inteligência Artificial e as incertezas que hoje existem no mundo corporativo;
  • As intermináveis Tensões Políticas, o mundo empresarial sofre as consequências advindas dos conflitos de poder entre as nações;
  • As preocupações com o Ambiente Social cada vez fica mais evidente que o mundo quer líderes preocupados com as mudanças climáticas, a desigualdade e outras questões sociais
  • O Futuro do Trabalho que passará por transição muito forte em termos de qualificação e treinamento, buscando pessoas com novas características e habilidades.

E agora, o mundo começa a se preparar para o grande evento do próximo ano, surgindo então a pergunta: qual a agenda de debates do Fórum Econômico Mundial, de 21 a 24 de Janeiro de 2020, quando celebrará seus 50 anos?

Vale comentar, a primeira reunião do Fórum Econômico Mundial ocorreu em 1971, com a premissa de que a evolução do mundo capitalista e dos negócios deveria atender a todas as partes interessadas – clientes, funcionários das empresas, empresários, governos, comunidades e investidores.

Em 1973, no “Manifesto de Davos”, o documento então publicado reafirmou esse propósito e, para 2020, o evento reforça o mesmo princípio. Pois bem, trago então para vocês um resumo da agenda, liberada dias atrás, que terá como tema central Stakeholders for a Cohesive and Sustainable World (em tradução livre, Os agentes interessados em um mundo coeso e sustentável).

Não há dúvidas, existe claro interesse em dar significado concreto ao conceito de capitalismo com visão holística, de forma que possa ajudar governos, empresas e instituições internacionais a acompanharem o progresso em direção ao Acordo de Paris (voltado a combater o aquecimento global) e aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável 2030, além de facilitar debates sobre tecnologia e governança comercial.

O fundador e organizador do encontro, o Prof. Klaus Schwab, tem consciência de que há crescente crise a colocar populações contra as elites econômicas. Dessa forma, a expectativa que ele tem é a de construir um novo manifesto para reposicionar governos e empresas.

Para atingir seus objetivos, a agenda do Fórum Econômico Mundial prevê priorizar seis temas bastante abrangentes, e que exigem tratamento especial:

✔️Ecologia

Como mobilizar as empresas para responder aos riscos das mudanças climáticas e garantir que as medidas para proteger a biodiversidade atinjam florestas e os oceanos?

✔️Economia

Como remover a carga (e o peso) de dívidas de longo prazo e manter a economia mundial trabalhando em um ritmo que permita maior inclusão social?

✔️Tecnologia

Como criar um consenso global sobre a implantação das tecnologias da Quarta Revolução Industrial e evitar uma “guerra tecnológica”?

✔️Sociedade

Como capacitar ou requalificar um bilhão de pessoas na próxima década, em função dos avanços tecnológicos e da automação industrial?

✔️Geopolítica

Como o “espírito integrador de Davos” pode criar pontes para resolver conflitos em setores globais críticos? Aqui vale considerar que a agenda prevê promover reuniões informais para definir uma conciliação básica inicial.

✔️Indústria

Como contribuir na criação dos modelos necessários para impulsionar as empresas na chamada Quarta Revolução Industrial?  Como as empresas poderão se desenvolver e crescer em um mundo exposto a tensões políticas e impulsionado por mudanças tecnológicas exponenciais, além de aumentar as expectativas das partes – agentes – interessadas)?

Uma informação muito gratificante, que merece destaque, é que o próximo evento de 2020 estará entre as cúpulas internacionais mais sustentáveis já realizadas. Premiado com o padrão IS0 20121 para eventos sustentáveis, em 2018, o Fórum Econômico Mundial é totalmente neutro em emissão de carbono, sendo capaz de compensar as emissões relacionadas a toda a programação mesmo tendo a presença de milhares de pessoas.

As iniciativas adotadas para atingir esse objetivo incluem o uso de fornecedores de alimentos de origem local, a introdução de fontes alternativas de proteína para reduzir o consumo de carne, o fornecimento de eletricidade 100% renovável, a redução ou eliminação do uso de materiais que não podem ser facilmente reciclados ou reutilizados (como tapetes), bem como o uso de mais veículos elétricos.

Tenho a mais absoluta certeza de que alguns leitores, coaches e mentores entre eles, irão se perguntar: sim, mas… e daí? O que isso me serve para o cotidiano?

E eu respondo simplesmente: o seu cliente começará a lhe trazer, crescentemente, dores e preocupações que nascem de um mundo disruptivo, dinâmico, complexo e que, mesmo assim, exige resultados, desempenho e avanços.

Cabe a qualquer profissional, ainda mais quem trabalha com intervenção humana, saber entender o contexto de seus clientes e orientar um processo de apoio. Para isso, é fundamental que esse profissional se qualifique e aumente suas competências, sempre se perguntando e refletindo sobre:

O mundo VUCA em 2020… o que me espera?

Mario Divo Author
Mario Divo tem incrível experiência profissional, tendo chegado a meio século de atividade ininterrupta, em 2019. É PhD e MSc pela Fundação Getulio Vargas, com foco em Gestão de Negócios, Marcas e Design, Marketing e Comunicação Corporativa. Tem formação como Master Coach, Mentor e Adviser pela Sociedade Brasileira de Coaching e pelo Instituto Holos. Consultor credenciado para aplicação do diagnóstico meet® (Modular Entreprise Evaluation Tool), Professor e Palestrante. CEO e Coordenador Executivo da plataforma Dimensões de Sucesso, acumulando com o comando da MDM Assessoria em Negócios. Foi Diretor Executivo do Automóvel Clube Brasileiro e Clube Correspondente da FIA – Federação Internacional do Automóvel, no Brasil. Foi titular do Planejamento de Comunicação Social da Presidência da República (1997-1998) e, anteriormente, comandou a Comunicação Institucional da Petrobras. Liderou a Comunicação Institucional e a Área de Novos Negócios da Petrobras Internacional. Foi Presidente da Associação Brasileira de Marketing & Negócios, Diretor da Associação Brasileira de Anunciantes e, também, Conselheiro da Câmara Brasileira do Livro. Primeiro brasileiro no Global Hall of Fame da Aiesec International, entidade presente em 2400 instituições de ensino superior em 126 países e territórios, voltada ao desenvolvimento das potencialidades das jovens lideranças em todo o mundo.
follow me
Anúncios
Neste artigo


Participe da Conversa