fbpx

O Corpo a serviço da alma

O seu corpo está a serviço da sua alma e não a sua alma a serviço do seu corpo. A sua alma é livre. O seu corpo é livre. Então por que aprisionamos nosso corpo, assim como aprisionamos nossos pensamentos e consequentemente nossos sentimentos?

Essa foi a reflexão que sinto agora.

Depois de inúmeras enfermidades e de sentir meu corpo inflexível para vários movimentos, me percebi com pensamentos angustiantes sobre essa condição de aprisionamento que me colocava.

Em meus últimos estudos sobre o sentir e não sobre o pensar, uma enorme emoção eu senti ao ouvir uma vozinha bem lá no fundo dizendo: “Claudia, o seu corpo está a serviço da sua alma e não a sua alma a serviço do seu corpo. A sua alma é livre. O seu corpo é livre.”

Por que aprisionamos nosso corpo, assim como aprisionamos nossos pensamentos e consequentemente nossos sentimentos?

O que nos faz endurecer o corpo? E percebi que estava alimentando pensamentos de medo, de dor e abandonando alguns pedidos da minha alma.

Minha alma é livre, dança, se move sem amarras. Gosto de dançar, cantar, mover os braços e pernas com leveza e me peguei endurecendo a lombar, os ombros, deixando de esticar meus desejos de liberdade.

Chorei com muita alegria por ouvir minha alma dizer, “seu corpo está a serviço da sua alma”. E hoje acordei ouvindo minha alma, cantei, dancei, alonguei, me peguei expressando emoções nos meus músculos, células, no meu respirar.

Apesar de estar sempre atenta ao meu corpo, a prisão de entender onde dói, onde pesa, onde incomoda, estou prestando atenção, onde sou livre, onde o movimento quer ir baseado no que sinto, no que amo.

Dar ouvidos à alma é diferente de dar ouvidos ao corpo. A alma tem minha divindade, minha conexão com o coração, com o Deus que está em mim, com o Amor que eu sou.

Um calor profundo invadiu meu corpo e percebi que não tinha dor nesse lugar. Nessa escolha, nesse ouvir.

Esse aprendizado já me preencheu antes, mas é como se ainda precisasse dar mais um passo na direção desse sentir, porque ficamos acorrentados por um corpo achando que ele é tudo. Ele só é um veículo para carregar meu amor e meu viver profundo.

E aí alma? Vai querer o que hoje?

Claudia Vaciloto é Iniciadora e Sócia da Organização em Rede NaSala, Psicóloga, Mentora Organizacional para Áreas e Executivos de RH, Facilitadora Certificada e Treinadora Oficial no Brasil do Jogo Miracle Choice, baseado no livro Um Curso em Milagres, Facilitadora de Pintura Espontânea baseada na Teoria Point Zero (Esalen Institute Big Sur California) e Imagens Fotográficas para atendimentos terapêuticos (Sedes Sapientes). Fez carreira em RH passando por empresas como Accenture, EDS, VR, Ability Trade Marketing, onde atuou como Diretora de RH pelos últimos 10 anos. Faz treinamentos e vivências comportamentais para empresas e grupos e atendimentos individuais. Formada em Executive and Life Coaching pelo ICI – Integrated Coaching Institute, assina a Coluna Reflexões e Provocações para Revista Cloud Coaching. Co-idealizadora da Plataforma GameYou, que oferece experiências de desenvolvimento através de jogos.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa