Networking para os tímidos

Como fazer Networking se a pessoa for introvertida ou tímida e não gostar desse tipo de evento?

OS INTROVERTIDOS TÊM UM SUPERPODER OCULTO QUE VOU REVELAR HOJE!

Frequentemente me perguntam como fazer Networking se a pessoa for introvertida ou tímida e não gostar desse tipo de evento?

Outra pergunta muito comum é: “Toda vez que vou em um evento fico no meu canto e não consigo interagir com ninguém. Como faço para destravar?”

Para os introvertidos, eventos de Networking podem ser apavorantes.

O formato em si desses eventos, uma multidão de estranhos tentando causar boa impressão e ter a atenção e audiência para eles próprios já é extremamente desafiador para quem é mais silencioso ou que sente pouca vontade de interagir com outras pessoas.

Porém, se você aprender a ignorar esses fatores e ter foco no real objetivo de estar lá, que é fazer conexões para encontrar oportunidades e novos negócios, a dica master é que foque em conversas individuais.

Eu separei algumas dicas que irão trazer à superfície o superpoder para os tímidos e introvertidos conseguirem definitivamente fazer Networking ou, como prefiro dizer, criar relacionamentos com reais significados que irão trazer oportunidades e  resultados incríveis.

1 – Faça o planejamento com antecedência

Olha só… o que vou falar agora é muito louco, mas é muito comum. Nós fazemos planejamento para as coisas mais simples do dia a dia e quando temos que fazer de verdade, não fazemos. Vou te dar um exemplo:

Quando você vai fazer um café na cafeteira, você se planeja certo? Primeiro coloco o filtro de café, depois coloco o pó de café, coloco a água e ligo a cafeteira.

Show! Café feito!

Para um encontro de Networking a máxima é a mesma.

Minhas recomendações são:

A – Entenda o evento

Quem estará lá, quais segmentos de negócios, o que pode ser uma boa conexão para você e seu negócio. Use as redes sociais para ver depoimentos, coletar notícias e informações para que você possa ter repertório na troca e fique confiante.

B – Crie cenários e uma lista de perguntas

Isso pelo simples fato de você preparar sua mente para as várias situações que podem acontecer. Tudo está aberto e acessível, sendo assim, estar preparado mentalmente para elas se torna vital. Essa é uma técnica muito usada pelos grandes treinadores de esportes: O ensaio mental do sucesso.

C – Mantenha a curiosidade no outro

A atenção tem que estar 120% na outra pessoa. Seja curioso. Você quer que as pessoas se sintam à vontade e engajadas, então faça perguntas que ajudem a fomentar o diálogo. Lembre-se que você está criando relações com reais significados. Evite perguntas para as quais as respostas possam ser tensas, ou que isolam socialmente, ou até que sejam um beco sem saída. As pessoas têm muito a dizer e vão gostar de conversar com você se as perguntas que receberem forem feitas de forma correta.

2 – Comece pelo simples

Vai parecer óbvio, mas o óbvio muitas vezes é o que precisa ser feito.

Para começar uma conversa comece pelas perguntas básicas como:

“Olá tudo bem? (um sorriso nesse momento abre a guarda do outro). Em qual mercado você atua?

A partir dessa pergunta a sua lista de perguntas é colocada em ação de forma mais elaborada e focada no objetivo que é fazer conexões e criar oportunidades de novos negócios.

Alguns exemplos: “No que você está se dedicando no momento?” ou “Qual seu foco para este mês, trimestre ou ano?” ou “Que tendências interessantes você está seguindo?”

E ouça atentamente, isso é muito importante, pois será nesse momento que você encontrará pistas fundamentais para dar sequência nas perguntas (lembra do planejamento de cenários? Olha ele se integrando ao seu processo de conexão e Networking!). Ao ouvir, você cria a empatia para negócios e isso deixa a outra pessoa empolgada abrindo a oportunidade que você precisa para interesses, valores e experiências em comum.

Isso pode transformar uma mera troca de cumprimentos iniciais em fóruns para construir relacionamentos, já que as pessoas tendem a criar e manter conexões com seus semelhantes.

3 – Networking não é um negócio sujo

Aqui entro mais pesado no pré julgamento de algumas pessoas quanto a ação de fazer conexões e Networking.

De acordo com a especialista Holly Raider, professora clínica de administração e diretora administrativa de formação executiva da Kellogg School of Management: “Há uma generalização de que as pessoas, na maioria das vezes, se interessam em fazer Networking – uma suposição que aprofunda a noção do introvertido de que Networking é um negócio sujo.”

“O estigma em volta do Networking refere-se à noção de que tudo se trata de ambição individual”, diz Raider. “O que imaginamos é uma recepção na qual o que todos querem é impressionar ou escalar o próximo degrau”.

Partindo das análises de Raider, o caminho mais correto é escolher com sabedoria as pessoas com quem você quer se conectar e deixar claro que sua conexão está longe de ser algo apenas mercantil.

Os 3 passos importantes para você fazer:

  1. Tenha real interesse pela pessoa;
  2. Avalie se pode ajudá-la na solução de algum problema ou dor latente;
  3. Estabeleça proximidade.

Então, se você têm essas dificuldades, se considera introvertido ou tímido, esse artigo tem o objetivo de te ajudar.

Minha última recomendação é que você faça testes aplicando esse passo a passo e me conte quais foram seus resultados.

Até o próximo artigo.

Foco, fé e ação!

Glauco Vega Author
Glauco Vega é idealizador e fundador da República de Negócios, que possui uma programação destinada ao preparo e educação de empresários, empreendedores e executivos com a escola de negócios, sua imersão A Nova Era de Negócios e as Mentorias olho no olho.Glauco tem mais de 18 anos de experiência profissional corporativa como CEO de rede de franquias, executivo, empresário, palestrante e mentor de negócios. Ao longo de sua caminhada, vivenciou diversos tipos de setores de empresas e projetos nacionais e internacionais.Hoje é considerado um especialista em networking para alancar negócios de forma lucrativa, em posicionamento e construção de conteúdo . Na sua jornada desenvolveu a metodologia do Networking Educacional – batizado de Crossnetwork, onde a principal alavanca é fazer com que as pessoas entendam o poder de sua rede de relacionamentos e que consigam utilizar esse ativo poderosíssimo para fazer mais negócios, ou seja, aumentar seus faturamentos e vendas. Sua atuação sempre envolveu as áreas comerciais, estratégicas, de planejamento e principalmente na liderança de pessoas.Já foram mais de 10 milhões em resultados gerados em dezenas e dezenas de negócios.Formado em Comunicação Social, ele acredita que a boa comunicação é um dos principais alicerces da sociedade e do bem comum entre as pessoas. Com MBA em Gestão Empresarial pela FGV e MBA em Gestão de Projetos, além de Especializações em sistema de Gestão Lean, metodologia Kaizen e Inovação, possui também certificações como Master Coach pela Sociedade Brasileira de Coaching , Educador no processo de Metanoia – Educação e Propósito nos Negócios, que visa o equilíbrio e transformação das empresas para a nova era do conhecimento, Mentor em posicionamento, conteúdos e marketing de diferenciação com dezenas de cases de sucesso.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa