Não muito pouco. Não muito. Na medida.

Que tipo de vida você quer ter? O quanto você deve esperar para começar a ser feliz? Quais motivos impedem para que você tenha uma vida plena?

O Brasil está se tornando um País de infelizes e a culpa não cabe apenas aos nossos governantes.

Finlândia, Noruega, Dinamarca, Islândia e Suécia estão entre os lugares mais felizes do mundo. Com foco no equilíbrio e nos relacionamentos, cada país desenvolveu seu próprio modo de viver a vida ao máximo.

Os escandinavos têm um equilíbrio saudável entre a vida pessoal e a profissional, além de altos padrões de vida com menos pressão e estresse, aliados a um outro aspecto que é ótimo: sobra tempo para fazer tudo que lhes dá prazer.

Constantemente pergunto a mim mesmo: que tipo de vida quero ter? O quanto devo esperar para começar a ser feliz? Quais motivos impedem para que eu tenha uma vida plena?  – Creio que você também deve ter os mesmos questionamentos.

Tentando dar solução a estas dúvidas resolvi montar um verdadeiro roteiro para que meu índice de felicidade aumente cada vez mais. Estou fazendo algumas constatações que pretendo abordar em diversos artigos.

Hoje quero falar sobre o Lagom.

Lagom (pronuncia-se “lar-gohm”) faz parte da cultura na Suécia e significa “Não muito pouco. Não muito. Na medida.”

O conceito de Lagom traz em seu bojo uma filosofia sueca, socialmente democrática, sobre a vida.

Em lugar do que costumamos encontrar nos mais diversos regimes que vão desde o “pouco para todos” até o “muito para poucos”, Lagom aponta para “o suficiente para todos”.

O conceito incentiva um equilíbrio abrangente em toda a vida: tudo com moderação.

Dos bens materiais ao trabalho, tudo é moderado. Não adianta o profissional trabalhar 60 horas semanais, viver em estresse para obter algo que no fundo não tem valor. Lagom representa o equilíbrio em todas as áreas.

Outras características incluem frugalidade, redução de estresse com o equilíbrio perfeito entre trabalho e lazer, porém mantendo o foco nas preocupações ambientais e na sustentabilidade. Em resumo – “A quantidade certa é a melhor”.

Para os suecos, Lagom é um estilo de vida, um hábito mental. ‘Há uma mentalidade interna de aceitação e contentamento na Suécia. Isso é parte do segredo de ser feliz.

A filosofia Lagom é maravilhosamente simples.

Anna Brones explica em seu livro  Live Lagom: Balanced Living the Swedish Way : “Aplicar um senso de Lagom a nossas vidas diárias – no que comemos, o que vestimos, como vivemos, como trabalhamos – pode ser o truque para ter um estilo de vida mais equilibrado e sustentável que acolha os prazeres da existência e não os do consumo. ”

Você já pensou em aplicar este conceito em sua vida? Nunca se esqueça que você nasceu para ser feliz.

Cleyson Dellcorso tem formação em engenharia e filosofia e suas atividades estão relacionadas ao Coaching Profissional e Pessoal, além de atuar com Coaching de Casais. Seus atendimentos têm embasamento em uma metodologia própria com fundamentação filosófico / dialógico. Possui MBA pela UCLA (EUA), com foco em gestão de pessoas, é especialista em liderança pelo Haggai Advanced Leadership Institute (Singapura) e instrutor do mesmo instituto. É professor de liderança e motivação no curso de pós-graduação em gestão de projetos (PMI) do Instituto Brasileiro de Tecnologia Avançada do grupo IBMEC. Atua como Coach desde 2003 e foi um dos primeiros a se especializar no atendimento a Gerentes de Projetos. É diretor do INSTITUTO DE COACHING MAIÊUTICA desde 1999 e tem como área de interesse o estudo das Inteligências – Emocional e Espiritual. Cleyson Dellcorso é casado, tem três filhos e um neto e tem como hobbies – radioamadorismo, velejar e mergulhar.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa