fbpx

Liderança para os novos tempos

O que é ser um líder hoje em dia? Neste momento de pandemia mundial, home office e liderança descentralizada, será que o significado de liderança mudou?

Liderança para os novos tempos: O que é ser um líder hoje em dia?

Liderança para os novos tempos
O que é ser um líder hoje em dia? Será que o significado de liderança mudou ao passar dos anos?

Se você prestar atenção, ainda vivemos em uma sociedade fortemente fundamentada no modelo fordista, onde performance, padronização e obediência são sinônimos de profissionalismo.

Mas o que acontece com este momento específico da humanidade, onde vivemos uma pandemia mundial, o home office se tornou o novo modelo de trabalho, e a liderança está descentralizada – como este modelo funciona?

O fato é que a liderança está sendo forçada a assumir uma nova postura – onde a obediência vai perdendo força, já que as pessoas não estão mais diante do olhar dos líderes.

Mas a pergunta é: as pessoas precisam estar sob o olhar dos líderes? E se os líderes assumirem uma nova postura, de inspirar e serem confiáveis e seguros, ao ponto das pessoas se comprometerem com eles?

Margareth Thatcher, certa vez, fez a seguinte afirmação:

“Estar no poder é como ser uma dama. Se tiver que lembrar às pessoas que você é, então você não é!”

E, de fato, assim como as pessoas estão acostumadas com a liderança, da mesma forma os líderes estão acostumados a buscar pelo poder.

E se não for poder a nova força motriz das equipes, mas sim a confiança?

É muito interessante o paradoxo explicado por Simon Sinek, um famoso escritor americano, que gosta de fazer um paralelo da liderança com o amor de marido e mulher.

Não é o fato de dizer “eu sou o seu marido” que faz a mulher amá-lo – mas sim a consistência dos pequenos atos que reforçam e comprovam este amor, ao longo do tempo.

Ou seja, o amor no casamento vem com as pequenas provas diárias, que validam este amor, criam vínculos e especialmente confiança.

Portanto, a nova liderança não precisa ser um “casamento arranjado”, mas sim um relacionamento consistente, baseado na vontade do líder provar para o liderado que ele realmente se importa.

Difícil não?! – Bem, na verdade não é: basta de fato se importar de verdade!

É um novo modelo de olhar, de aprender a cuidar das pessoas, garantir o seu bem-estar, e receber o empenho das pessoas em troca, e não como uma obrigação hierárquica.

O fato é que essa relação não precisa ser de dor – mas simplesmente uma relação de parceria, onde o líder reconhece que as pessoas é que geram o seu resultado, e quando as pessoas se sentem bem – emocionalmente seguras, felizes, realizadas e confiantes – elas podem entregar o seu melhor.

Não é realmente tão difícil.

Portanto, o que o líder pode fazer para demonstrar essa conduta de cuidado e carinho com seus liderados?

A começar por realmente conhecer as pessoas.

Pessoas se unem e se conectam por crenças e valores semelhantes.

Veja este exemplo:

Se você está em um metrô em São Paulo, você não se importa com as outras pessoas – mas se estiver nos Estados Unidos e ver alguém com a bandeirinha do Brasil, certamente você vai dizer “Ei, você é brasileiro, certo?” – e pronto, uma aliança está formada.

Isso porque você entende que, no meio de tantos desconhecidos, você e aquele outro brasileiro compartilham de valores e crenças mais parecidas que os demais. É um laço que se forma, ao redor destas crenças.

Agora, como criar laços com as pessoas da sua equipe? Comece por entender como é a vida delas.

Se você pergunta para um funcionário se ele tem filhos, e ele diz ter uma menina de 5 anos, e você diz “a minha tem 7!” – pronto, vocês já encontram pontos em comum, que fazem ser menos estranhos.

Se importar é o começo da relação, para garantir que você possa se importar sobre o sucesso de seus liderados, e desenvolvê-los e ensiná-los, e ajudá-los a construir sua própria autoconfiança, para que eles possam desenvolver a sua própria carreira e a sua própria jornada.

Crenças e valores – é através deles que você contrata, forma e gere uma equipe, cria laços e aprende a se importar de verdade com as pessoas, com seus objetivos, e com suas vidas.

E o amor retorna, na forma de um comprometimento inabalável.

Essa é a essência de ser líder de pessoas.

Gostou do artigo? Quer saber mais sobre liderança para os novos tempos? Então entre em contato comigo. Terei o maior prazer em responder.

Rui Mesquita
http://www.ruimesquita.com.br

Confira também: Os 4 Pilares Fundamentais do Relacionamento Interpessoal

 

Rui Mesquita Author
Rui Mesquita é Diretor executivo do IMC, Master Coach e Coach Profissional com 4 Certificações Internacionais; Palestrante; Escritor; Programador  Neurolinguístico; Vendedor e Professor. É especialista em Comportamento Humano, Formação de líderes, Gestão de Vendas, Desenvolvimento de Processos e Gestão Empresarial, apresentador do Programa de TV e RÁDIO Liderando.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa