Anúncios

Já fez uma entrevista on-line?

O fato de uma entrevista poder ocorrer em “qualquer lugar” exige do interessado na vaga alguns cuidados além daqueles de praxe numa entrevista convencional, como o ambiente onde a entrevista acontecerá.

É inevitável que mudanças aconteçam, mas demanda algum tempo para se adequar ao novo. A mobilidade virtual e a imobilidade dos grandes centros urbanos levaram a revolução digital aos processos seletivos, otimizados pelo uso de ferramentas tecnológicas.

Hoje, o candidato pode fazer uma entrevista on-line ou virtual, na qual escolhe o melhor horário e local para responder as perguntas programadas e enviadas por links de sites ou por meio de aplicativos.

O fato dela poder ocorrer em “qualquer lugar” exige do interessado na vaga alguns cuidados além daqueles de praxe numa entrevista convencional, como o ambiente onde a entrevista acontecerá.

Se por um lado o ambiente residencial é mais seguro e confortável, é mais difícil garantir que seja silencioso, sem interrupções, crianças, animais de estimação e qualquer pessoa circulando. Lembre-se que o local pode ser tão revelador sobre a pessoa quanto ela mesma.

Em alguns casos, as entrevistas são pré-gravadas e, entre as perguntas, há um intervalo de tempo predefinido para a resposta, o que exige do candidato uma boa análise do que está sendo perguntado e resposta objetiva.

Boa fluência verbal, dicção e organização clara das ideias são fundamentais.

Nem sempre as pessoas conseguem ser tão espontâneas ao responder a perguntas sem um interlocutor do outro lado da tela. Reserve tempo, pois quando a entrevista é realizada por meio de links, não pode haver interrupções para não perder a chance da resposta.

A entrevista, em muitos casos, é gravada, o que permite analisar micro expressões e voltar a imagem várias vezes, recurso que não existe numa entrevista presencial. Na entrevista gravada, todo o cuidado é pouco com informações confidenciais das empresas onde tenha trabalhado antes.

A entrevista virtual, entretanto, ainda não substitui a presencial. É uma etapa preliminar e, na grande maioria das vezes, será a presencial que determinará a escolha do candidato. Seja qual for o formato, o preparo sempre é fundamental.

Adriana Gomes é Mestre em Psicologia – UNIMARCO, pós-graduada em Psicologia Clínica, Psicóloga, (CRP 30.133), Coach certificada pela Lambent do Brasil e reconhecida pela ICC – International Coaching Community. Carreira de 25 anos nas áreas organizacional e clínica (Psicoterapia, Orientação de Carreira). Ex-vice-presidente do Grupo Catho, empresa onde atuou como Headhunter, Executive Search e Outplacement atendendo empresas nacionais e multinacionais de grande porte. Coordenadora Acadêmica da área de Pessoas dos Cursos de Pós Graduação da ESPM, Coordenadora do Centro de Carreiras da ESPM – Centro de Orientação de carreira para alunos dos cursos Master e MBA, Coordenadora do Núcleo de Estudos e Negócios em Desenvolvimento de Pessoas da ESPM, Professora no curso de pós-graduação da ESPM na Cadeira de Pessoas. Atuou como Professora do Instituto Pieron de Psicologia Aplicada no curso de Especialização em Orientação Profissional. Membro da ABOP – Associação Brasileira de Orientadores Profissionais. Autora dos Livros: Tô Perdido! Mudança e Gestão da Carreira editora Qualitymark – 2014 e Mudança de Carreira e Transformação da Identidade LCTE 2008. Atualmente colunista do Jornal folha de S.Paulo na seção Negócios e Carreiras, Colunista de Carreira da Rádio Bandeirantes – Coluna Carreira em Foco, foi colunista e colaboradora no portal EXAME.com, Blogueira dos sites HSM e Click Carreira, palestrante e Diretora do site www.vidaecarreira.com.br.
follow me
Anúncios
Neste artigo


Participe da Conversa