fbpx

Intolerância, Polarização e Diversidade: O que eu tenho a ver com isso?

Eu desejo um mundo mais tolerante, com mais amor e nenhum ódio, mais paz e nenhuma guerra. E você?

Ultimamente presenciamos debates acalorados nas redes sociais. Pessoas terminando amizades de anos, familiares brigando, bloqueando perfis pelo fato da outra pessoa postar ideias divergentes às suas.

Mais recentemente um grupo formado por mulheres se organizou contra um candidato chegando a 2 milhões de usuários e de repente teve seu perfil hackeado, as moderadoras excluídas e ameaçadas.

Não faltam adjetivos para lá de ”carinhosos”: mortadelas, bandidos, fascistas, coxinhas, petralhas, ladrões. A polarização que se formou em volta deste mito esquerda x direita é algo surreal.

Digo mito esquerda x direita, pois, na verdade, todos querem a mesma coisa, um país melhor para se viver. Discordam dos caminhos para se atingir este objetivo e da ótica do que seria este país.

Ocorre que a intolerância cega, afasta as pessoas. Em vez da união por um país melhor criamos um país de intolerantes que se ofendem com opiniões contrárias.

E o que isso tem a ver com diversidade? Tudo.

O pilar da diversidade é o respeito às diferenças, o agir empaticamente, o exercício constante da capacidade de ouvir.

É urgente que as pessoas repensem posturas e compreendam que o pensar diferente também agrega, aliás é a força motriz para se chegar a uma terceira via do momento que se propõe a ouvir. Ninguém é obrigado a mudar de ideia.

E não adianta justificar que o candidato A fez isso e o candidato B fez aquilo. Todos temos direito a apoiar quem quisermos. O que não deve ser aceito é a falta de respeito.

A esperança é que a história se escreve de forma cíclica e há uma chance de perceber que o caminho escolhido até agora não traz benefícios para ninguém e nem para nos reorganizarmos. Mais amor menos ódio.

Finalizo com uma frase de Mahatma Gandhi…

“Seja a mudança que você deseja para o mundo”

Eu desejo um mundo mais tolerante, com mais amor e nenhum ódio, mais paz e nenhuma guerra. E você?

Pós-graduando em Direitos Humanos, Responsabilidade Social e Cidadania Global pela PUC RS, Pós-Graduado em Tecnologia Assistiva pela Fundação Santo André/ITS Brasil/Fundação Don Carlo Gnocchi (Itália/Milão). Pós-graduado em Psicologia Organizacional pela UMESP e Graduado em Psicologia pela UNIMARCO. Extensão em Gestão de Diversidade pela PUC (Trabalho final: “O impacto do imaginário dos líderes no processo de diversidade e inclusão nas organizações”), Credenciado em Holomentoring, Coaching e Advice pelo Instituto Holos. Formação em Coaching Profissional pela Crescimentum. Formação em Facilitação Digital pela Crescimentum, Formação em RH e Mindset Ágil pela Crescimentum. Formado como analista DISC. Vivência de 30 anos na área de RH, em subsistemas como Recrutamento & Seleção, Treinamento, Qualidade, Avaliação de Desempenho e Segurança do Trabalho. Desempenhou papéis fundamentais em empresas como Di Cicco., Laboratório Delboni Auriemo, Wal Mart, Compugraf, Mestra Segurança do Trabalho. Atualmente é Diretor da TRAINING PEOPLE responsável pela estratégia e coordenação de equipe multidisciplinar especializada em temas como Diversidade, Liderança e Gestão, Vendas, Educação Financeira, Comunicação, Turismo e Segurança do Trabalho. É Vice-presidente de Diversidade e Inclusão e Líder do Comitê de Diversidade e Inclusão da ABPRH – Associação Brasileira de Profissionais de Recursos Humanos, Presidente e Fundador do Instituto Bússola Jovem, projeto social com foco em jovens de baixa renda que tem por missão transformar vidas através da Educação, Trabalho e Carreira. Colunista das Revista Cloud Coaching. Coautor do livro: Segredos do sucesso: da teoria ao topo – histórias de executivos da alta gestão pela Editora Leader e do livro Gestão Humanizada de Pessoas pela Editora Leader. Coordenador e coautor do livro Diversidade em suas múltiplas dimensões pela Editora Literare Books.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa