fbpx

Inteligência Emocional: Construção através do Coaching

Cada vez se torna mais importante desenvolver as habilidades necessárias para a Inteligência Emocional, independentemente do cargo que se ocupa na empresa.

Cada vez se torna mais importante desenvolver as habilidades necessárias para a Inteligência Emocional, independentemente do cargo que se ocupa na empresa, isto permite à pessoa desenvolver sua melhor performance profissional e buscar novas posições de carreira, bem como manter a sua Qualidade de Vida.

A célebre frase do naturalista britânico Charles Darwin “Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças” já mostrava que para uma sobrevivência saudável, não seria só a força, nem só aspectos cognitivos, mas a associação do saber lidar de forma sensível e flexível.

Outros estudiosos demonstraram interesse pelo tema no decorrer da história, mas na década de 90 a publicação do livro Inteligência Emocional por Daniel Goleman, jornalista do The New York Times, trouxe a essa teoria de forma revolucionária, e teve início uma nova visão onde o poder do “QI (que não deixou de ser importante também) ganhou um novo aliado a “IE”.

De uma forma singular, o que é muito difícil de se fazer, ter Inteligência Emocional, é ter uma percepção do mundo com a integração do emocional e do racional, buscando o equilíbrio e a harmonia na tomada de decisões.

Para tanto é necessário desenvolver algumas habilidades onde está presente o autoconhecimento e o amor próprio, e estender isso para as relações que se estabelece com as demais pessoas.

Estar integrado e fortalecido, para poder modular respostas assertivas no dia a dia, afinal os desafios são grandes, as crises são permanentes, e o mundo está cada vez mais complexo e exigente.

Diante das exposições às situações estressantes ou adversas, temos uma reação emocional que gera um sentimento, que fica gravado em nosso córtex, e pode ser acionado involuntariamente a cada vez que algo que está associado apareça no nosso caminho. Isto poderá trazer desconforto ou até mesmo uma reação impulsiva de medo ou raiva, e assim podemos responder de uma forma não adequada.

A Inteligência Emocional se manifesta quando se desenvolvem habilidades intrapessoais (autoconsciência, autocontrole e automotivação) e interpessoais (empatia e relacionamentos sociais), permitindo à pessoa elevar sua autoestima e atuar de forma plena como integrante, líder ou negociador, em pequenos ou grandes grupos, pessoais ou profissionais.

Através do autoconhecimento se adquire a autoconsciência emocional, amplia-se a visão e a percepção interior, assim conhecemos e reconhecemos as nossas próprias emoções e sentimentos quando surgem.

O autocontrole é um elemento chave para lidar de forma adequada com cada emoção vivida, e atingir os objetivos e metas pessoais e profissionais, com repostas equilibradas.

A automotivação de saber o que quer e aonde quer chegar, ter em mente sempre seu propósito e objetivo de vida, como um fio condutor para atingir a sua satisfação.

Identificar as necessidades e sentimentos dos outros, bem como se colocar no seu lugar através da empatia, proporciona um protagonismo de habilidade social.

A interação equilibrada com uso de competências sociais com os outros indivíduos, demonstra a habilidade nos relacionamentos sociais.

Assim podemos dizer que “as pessoas com altos níveis de esperança têm traços comuns, entre eles o poder de se auto motivar, sentir-se com recursos suficientes para encontrar meios para atingir seus objetivos, ter flexibilidade bastante para encontrar meios diferentes para chegar as metas e ter o senso de decompor uma tarefa formidável em outras menores, mais manejáveis” (Daniel Goleman).

O desenvolvimento das habilidades para atingir a Inteligência Emocional, pode ser adquirida e construída através do Coaching de Desenvolvimento Pessoal, com as ferramentas que lhe propiciem o autoconhecimento e permitam estabelecer atitudes emocional e socialmente eficientes e eficazes.

Daniel Goleman afirma ainda “Quando eu digo controlar as emoções, me refiro às emoções realmente estressantes e incapacitantes. Sentir as emoções é o que torna a nossa vida rica”

Natalia Marques Antunes
Psicóloga, Coach e Palestrante

Natalia Marques é Psicóloga Clínica, Coach e Palestrante. Formada em Psicologia pela FMU (1981) e em Coaching/ Mentoring Life & Self-Instituto Holos, possui pós-graduação em Recursos Humanos pela FECAP. Tem curso de Meditação Chan do Templo Zu Lai em Cotia. Como Psicóloga Clínica realiza atendimento Psicoterápico de base Psicanalítica, trabalha os sintomas de Estresse, Ansiedade, Depressão, Fobias, Síndrome do Pânico, Síndrome de Burnout, Conflitos Pessoais e Profissionais. É Coach de Desenvolvimento Pessoal, ajuda pessoas a atingirem seus objetivos e metas pessoais e profissionais, para se tornarem mais felizes. Especialista em Saúde Organizacional e Ocupacional, atua ainda como palestrante em temas de saúde, resiliência, trabalho, carreira e pós carreira. Associada da ABRH, ISMA Brasil e SOBRARE. É coautora no livro “Planejamento Estratégico para a Vida”, onde trata o tema da “Resiliência”.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa