Foco: Um dos Primeiros Pilares do Sucesso

Ter foco nos ajuda a alcançar nossos objetivos e as metas desejadas. A falta dele nos leva a deixar para depois coisas importantes.

548
548

Reza a lenda que quando estavam tomando um café num bar dos EUA, Bill Gates e Warren Buffet foram interpelados por um fã que lhes perguntou qual o segredo para o sucesso. Em um uníssono, os dois responderam conjuntamente: Foco.

Foco é, sem dúvidas, um dos mais importantes pilares do sucesso. Sucesso é para muitos um sentimento e não necessariamente dinheiro e posição social. Nos sentimos realizados quando percebemos que o que fazemos faz sentido e que conquistamos coisas que são intangíveis, não apenas materiais. Ter foco nos ajuda a alcançar nossos objetivos e as metas desejadas.

Quando perdemos o foco nos sentimos frustrados e com uma sensação de culpa por não termos feito o que desejamos ou precisávamos. A falta de foco nos leva a procrastinar e deixar para depois coisas que nos são importantes e que, uma vez realizadas, nos fariam bem.

Estamos vivendo a era da falta de foco e atenção e é assustador o numero de crianças, adolescentes e adultos sendo diagnosticados com TDAH (Transtorno de Deficit de Atenção com Hiperatividade). Como educadora e tendo dedicado minha vida ao ensino, questiono muito vários diagnósticos e acho que chegamos até numa epidemia preocupante uma vez que, parece, os diagnósticos têm sido feitos de forma indiscriminada assim como a prescrição de medicamentos como ritalina. Não que não seja necessário, mas devemos estar mais atentos para o fato de que todos nós temos algum grau de falta de atenção causado por fatores externos que cada vez nos distraem mais e tiram nosso foco.

Em tempos de smartphones e intensa atividade nas redes sociais, nos distraímos muito facilmente. Além disso, temos uma forte tendência a procrastinar e contarmos histórias para nós mesmos na tentativa de nos convencer delas. São as famosas desculpas e aí culpamos o clima, a falta de tempo, a falta de dinheiro, etc.

Daniel Goleman, no seu livro Foco, classifica o foco como sendo uma das várias formas de atenção. Ele diz que uma outra forma de atenção é a concentração, que é a nossa capacidade de estar focado em uma determinada coisa, pessoa ou assunto conseguindo ignorar totalmente o resto. A outra forma de atenção é o que ele chama de Presença Aberta que a consciência do momento presente. Este é o conceito de Atenção Plena ou Mindfulness cunhado pelos autores do livro de mesmo título, Mark William e Danny Penman.

Atenção plena é o ato de estar 100% focada na atividade que estiver realizando. Quando estiver lavando a louça, dirigindo, malhando, estudando, cozinhando, ou fazendo qualquer coisa, procure levar o seu pensamento e suas sensações para aquele ato. Por exemplo: se estiver lavando uma louça, foque na textura da bucha, na espuma de sabão, no cair da água e conecte cada movimento a um prazer. Não deixe que qualquer outro pensamento invada sua mente. Ajuda muito também fazer exercícios de respiração, inspirando e expirando profunda e lentamente sempre que perceber que está se distraindo com algum outro pensamento.

Ao contrário do que muitos acreditam, Atenção Plena não é meditação. A meditação é uma outra prática que ajuda enormemente a melhorar o foco e é inclusive recomendada como tratamento e alternativa para que seja evitado o uso de drogas psicotrópicas nos casos mais amenos de falta de atenção. Enquanto a prática de Mindfulness pode ser aplicada em qualquer lugar e a qualquer momento, a meditação exige, pelo menos, que se esteja num lugar mais silencioso e em posição adequada para a prática, embora muitas permitam até que se medite deitada e se faça antes de dormir ou ao acordar. Nem toda meditação exige que se esteja em posição de Lotus como a meditação original de Buda e há varias meditações guiadas disponíveis no Youtube ou em podcasts.

Para não perder o foco e se sentir mais produtiva, algumas dicas são preciosas:

  • defina as prioridades. Comece sempre fazendo as coisas que são mais importantes e faça primeiro as que lhe dão menos prazer e acha mais chatas;
  • defina horários para acessar as redes sociais. Se você é muito “viciada”, procure ter um horário na parte da manhã, à tarde e à noite e estabeleça um tempo para não se perder e ficar muito mais horas do que gostaria;
  • crie hábitos fazendo uma mesma atividade ininterruptamente por pelo menos 21 dias consecutivos. Estabeleça um desafio para você mesma.

Por fim, uma valiosa contribuição de Daniel Goleman é o que ele chama de Free Association (Associação Livre) na qual o seu cérebro está livre para “vaguear” e ir para onde quiser. Dr. Goleman disse que isso é ESSENCIAL PARA A CRIATIVIDADE. E este é o meu grande alerta para pais, professores, gestores e todos que lidam com pessoas. Será que, ao diagnosticarmos indiscriminadamente nossas crianças, jovens e adultos com deficit de atenção não estaremos matando seres altamente criativos que precisam também dos seus momentos de liberdade para vaguearem por onde quiserem e lá descobrirem novas formas de fazer as coisas e inovar?

Cristiane Ferreira é Coach formada pelo IBC – Instituto Brasileiro de Coaching, Professora da Fundação Getúlio Vargas com cadeiras em Liderança, Coaching, Inteligência Emocional, Técnicas de Comunicação e Empreendedorismo, Palestrante, Empresária do setor de Educação desde 1991, Graduada em Letras pela UFMG e Pós-graduada em Linguística Aplicada pela UFMG, MBA em Gestão de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas, Formada em Inglês pela University of New Mexico, EUA, Apresentadora do Programa Sou Múltipla, Fundadora da Associação das Mulheres Empreendedoras de Betim, Ex-Presidente da Câmara Estadual da Mulher Empreendedora da Federaminas (2014/2016), Destaque no Empreendedorismo feminino, recebeu vários prêmios entre eles o “Mulheres Notáveis – Troféu Maria Elvira Salles Ferreira” da ACMinas, troféu Mulher Líder, “Medalha Josefina Bento” da Câmara Municipal de Betim, “Mulher Influente” do MG Turismo e o “Mérito Legislativo do Estado de Minas Gerais”, Comenda Amiga da Cultura da Prefeitura Municipal de Betim.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa



Loading cart ...