fbpx

Findo Carnaval, mas o baile de máscaras continua…

Infelizmente uma boa parcela da nossa humanidade se apropria e permanece com suas máscaras durante os 365 dias do ano.

1209 0
1209 0

Há Poucas semanas passamos por uma grande festa tradicionalmente comemorada no Brasil, conhecida como Carnaval.

Surgiu durante o século XIX na cidade de Paris e sua forma de comemoração era controlada durante a Revolução Francesa.

Somente em 1830 com a queda de Napoleão e o robustecimento da burguesia, que passaram a decretar um novo estilo como forma de expressar o seu poder e sua visão de mundo. Surge assim o baile de máscara que se espalha pelas camadas populares.

Logo a festa de Carnaval chega também em Veneza, tornando-se o principal roteiro da nobreza europeia, os nobres utilizavam as máscaras para se misturarem com o povo e encobrindo “outros propósitos”, que ia do adultério ao assassinato, garantindo assim, o seu total anonimato.

Após a idade média, o Brasil começa e foliões nos bailes de Carnaval que aderem às máscaras como fantasias e disfarces totalmente inspirados no Carnaval Parisiense e de Veneza.

As Fantasias mais utilizadas eram originárias da “Commédia Dell’Arte”, sendo Arlequim, Colombina, Pierrô, Momo e Palhaços.

Teoricamente as máscaras deveriam ser utilizadas somente nesta grandiosa festa tradicional, não é mesmo?

Puro engano, infelizmente uma boa parcela da nossa humanidade se apropria e permanece com suas máscaras durante os 365 dias.

As máscaras comumente usadas são: Ego Inflado, Crueldade, Ignorância, Intolerância, Falta de Confiabilidade, Falta de Ética, Individualismo, Ineficácia, Inveja e Implicância. Sem contar com uma de efeito extremamente nocivo a todos, que é a Máscara da Admiração Escondida.

A Máscara da Admiração Escondida se converte facilmente em implicância, estendendo-se rapidamente para o lado pessoal, principalmente dentro das organizações.

Suponhamos um líder que acaba de chegar em uma organização definindo que irá trazer consigo uma equipe nova e de sua confiança, ele acredita que a equipe será altamente qualificada e perfeita.

Além de modificar toda estrutura anterior, desmerece e critica os colaboradores veteranos exigindo que trabalhem em conjunto com a sua extraordinária equipe.

No decorrer esta “extraordinária equipe” não corresponde ao esperado, sendo fadada ao fracasso.

Alguns membros saem por conta própria da organização e outros são remanejados para outros departamentos sem sucesso, persistindo sua baixa produtividade, baixa performance, erros elevados nos processos, falta de espírito de equipe e colaboração.

Este líder com ego inflado não aceita que a sua imagem e confiabilidade estejam abaladas, dando continuidade ao baile de máscaras.

Seu principal alvo serão os colaboradores das equipes veteranas da organização, cujos profissionais entregam resultado, são produtivos, tem mínima margem de erro e excelente relacionamento com os demais departamentos.

Estes profissionais criticados e desmerecidos pelo líder sempre estão prontos para ajudar e orientar, compartilhar conhecimento e aprendizado e suas competências técnicas e comportamentais são bem desenvolvidas.

Nos momentos de pausa dentro da organização, eles estarão interagindo uns com os outros e esta interação e admiração será o principal gatilho para a ação negativa do detentor da máscara.

Estará procurando qualquer vírgula em posição errada, um ponto final que você deixou de colocar em um texto com um único intuito, quebrar a confiança dos demais em você e enaltecer o seu próprio ego.

O ponto negativo e destrutivo de tudo, isto é, que esta admiração escondida será transformada em desafeto pessoal fazendo com que o profissionalismo não exista.

Sabe aquele líder ou companheiro de trabalho que aponta erros em qualquer situação que você esteja envolvido?

Muitas destas ações são picuinhas pessoais e irrelevantes no seu campo profissional, mas ele estará lá o tempo todo apontando e criando nova sabotagem.

Afirmo que o detentor desta máscara tem uma luta diária interna contra o próprio ego e a admiração intrínseca que tem pelo profissional eficaz que você é e a implicância muitas vezes será inconsciente.

Sim inconsciente, ele não conseguirá enxergar as suas atitudes devido ao ego, sempre definirá, projetará, interpretará e julgará tudo em seu mundo idealizado.

Temos o poder da escolha, somos livres para dar o comando que desejamos a nossa mente.

Ego, uma crença ou um falso conceito que mantemos a nosso próprio respeito.

Em momentos assim é importante saber que precisamos perder para ganhar, não afronte a pessoa, use a sua consciência interna, observe e encontre a melhor forma de reverter esta implicância em admiração do bem, caso contrário ela viverá 100% consciente.

“Máscaras escondem o que as pessoas verdadeiramente são”.

Mas como ter lucidez e sabedoria para lidar com esta situação? Com pleno desenvolvimento no seu Autoconhecimento.

Autoconhecimento é a investigação e estudo de si mesmo para ser um humano melhor.

Ele te tornará consciente dos seus sonhos, metas, desejos e propósitos, fará repensar as suas atitudes, fortalecerá as suas qualidades, lhe dará resiliência, você será capaz de reconhecer e encontrar as melhores soluções para as suas emoções negativas ajudando na escolha certa.

O autoconhecimento fará você crescer e conhecer a sua verdadeira essência, alcançando melhor qualidade de vida e defesa contra as pessoas mascaradas e nocivas.

O autoconhecimento demanda tempo e reflexão, irá trazer clareza interna e como lidar com várias situações internas e externas, você tem o poder de escolha.

Honestidade

Primordial para criar ou potencializar a confiança seja no ambiente de trabalho ou fora dele. Isto não se restringe apenas ao caráter, mas no agir e pensar e repensar em suas atitudes.

Comunicação

A comunicação clara, objetiva e com amor. Saiba ouvir até as palavras não pronunciadas, observe e extraia o melhor que puder para o seu crescimento.

Saiba dizer Não

O medo, muitas vezes, inibe o profissional de dizer o “não”. Ser bondoso sim, mas não anule as suas escolhas em detrimento de outrem a ponto de prejudicá-lo. No campo profissional aquele que sempre diz sim é visto como uma pessoa que não questiona e não tem determinação. Não faça as suas escolhas com base no que o outro quer. Seja gentil, prestativa, mas não diga sim apenas para agradar. O poder da escolha está com você.

Escreva

Ao expressar uma ideia, um pensamento ou um questionamento, exercitará a sua criatividade, organizando o seu pensamento.

Além do mais fará a conexão com o seu subconsciente e trará respostas escondidas de como lidar com determinadas situações da melhor forma.

Escute a si mesma

Escutar opiniões sobre você é fundamental, mas jamais deixe que isto pese mais sobre o que você entende sobre si mesma para não ser prejudicial.

Quando a preocupação sobre o que pensam de você for excessiva, com toda certeza a sua autoestima será prejudicada e seu autoconhecimento dificultado.

Conquistar o autoconhecimento não é fácil, mas o que é fácil nesta vida ou o que foi fácil para você até hoje?

Desenvolva-se, olhe para dentro, dê voz à sua mente. Será um exercício mental constante, porém o resultado será de uma vida bem-sucedida em todos os aspectos.

Agora, se deseja permanecer no jogo da angústia, tristeza e baixa estima imposta para que você permaneça neste baile de máscaras, a escolha será SOMENTE SUA.

“Para estar bem com o mundo, é preciso estar bem consigo primeiro. Você não muda o mundo, só a si mesmo a partir das suas escolhas”.

Que continue o baile, agora você já sabe o que fazer!

“Inove o seu presente e surpreenda o seu futuro”.

Adriane Yared

⚙️ AYCOACHING
Adriane Yared tem mais de 23 anos de experiência na área comercial, Mastercoach Vendas e Liderança, Palestrante, Design Thinker e Mentora Comercial. Graduada em Propaganda e Marketing, MBA Trends & Innovation, Pós MBA em Design Thinking e Master em Design Thinking. Coach certificada pela Sociedade Brasileira de Coaching, membro da Companhia do Coaching, Talk Coaching e Busca Coach. Com artigos publicados na Revista Coaching e Administradores.com. Co-autora no Manual do Relacionamento com o Cliente, capítulo: “Arrumando a Casa” – Rumo ao sucesso no relacionamento com seu cliente. Co-autora do livro “Fator.E o empreendedorismo como forma de transformar pessoas e empresas.” (projeto DUNA WRITERS). Seu principal propósito esta em Desenvolver o potencial dos profissionais de vendas, atendimento e liderança, todos centrados no 5º P “pessoas”, tudo integrado as diversas áreas estudadas somadas a expertise e experiências.
follow me
Neste artigo
⚙️ AYCOACHING
Adriane Yared tem mais de 23 anos de experiência na área comercial, Mastercoach Vendas e Liderança, Palestrante, Design Thinker e Mentora Comercial. Graduada em Propaganda e Marketing, MBA Trends & Innovation, Pós MBA em Design Thinking e Master em Design Thinking. Coach certificada pela Sociedade Brasileira de Coaching, membro da Companhia do Coaching, Talk Coaching e Busca Coach. Com artigos publicados na Revista Coaching e Administradores.com. Co-autora no Manual do Relacionamento com o Cliente, capítulo: “Arrumando a Casa” – Rumo ao sucesso no relacionamento com seu cliente. Co-autora do livro "Fator.E o empreendedorismo como forma de transformar pessoas e empresas." (projeto DUNA WRITERS). Seu principal propósito esta em Desenvolver o potencial dos profissionais de vendas, atendimento e liderança, todos centrados no 5º P “pessoas”, tudo integrado as diversas áreas estudadas somadas a expertise e experiências.
follow me

 

Confira abaixo suas publicações:


Participe da Conversa


Loading cart ...