Felicidade ou morte!

O papel de um Coach é estimular a capacidade de reflexão do seu cliente. Porém, e para isso, é imprescindível que o próprio profissional tenha não só a competência, mas também a motivação continuada para o autoconhecimento.

Os leitores deste espaço já estão acostumados com minhas insistentes abordagens de que o papel fundamental de um Coach é estimular a capacidade de reflexão do seu cliente. Porém, e para isso, é fundamental que o próprio profissional tenha não só a competência como também continuada motivação para um autoconhecimento, questionando-se em suas manifestações de alegria e tristeza, bem como quanto aos conceitos e razões de sua felicidade na vida.

Pois bem, já escrevi aqui artigos comentando que a verdadeira felicidade está alinhada com a competência da pessoa saber aproveitar o que já conquistou, fugindo da busca sem fim e desenfreada de alcançar inúmeras metas que são colocadas como novos e necessários desafios. A questão não é deixar de ter metas; o que a pessoa precisa é ter consciência de como a meta que definiu para si irá contribuir com o “ser” e não para o “ter” mais e mais.

Dias atrás, em Campinas, houve um delicioso debate a respeito do tema “Felicidade ou morte”, promoção da Editora Papirus para o lançamento do livro conjuntamente assinado por Leandro Karnal e Clóvis de Barros Filho, nomes amplamente conhecidos no mundo acadêmico e das palestras sobre questões afins à Filosofia, História e Teologia. Nesse livro, os autores comentam como em cada época a sociedade estabelece a própria definição das circunstâncias para o que seja uma vida tipicamente feliz e, por decorrência, os impactos do não alcançar esse estado.

Eles questionam se, sendo livres para escolher entre tantas possibilidades que o mundo nos apresenta, nós estamos de fato mais próximos de alcançarmos essa meta, algo presente e constante na vida cotidiana. Eles não deixaram de abordar aspectos mais doloridos do tema, algo parecido a uma sombra indissociável da condição humana. Afinal, a nossa felicidade pode estar denunciando certo contentamento com a infelicidade do outro? Estaria a felicidade vinculada ao amor pelo outro? Sem a sensação de felicidade resta alguma coisa para buscar?

Não quero me aprofundar no conteúdo desse encontro, pois minha recomendação é que os Coaches que me acompanham leiam o livro, reflitam a respeito e respondam a si mesmo se, ao apoiarem que seu cliente “corra atrás da meta que ele pretende alcançar”, sua contribuição estará na construção do “ser” ou na viabilização do “ter”. Seria um risco de tendência à escravidão futura que, ao invés de felicidade, pode gerar uma depressão? A quem não gosta ou não pretende ler o livro, deixo a sugestão de assistir o encontro dos dois autores pelo Youtube. São quase duas horas de aprendizado!


Link original: https://www.youtube.com/watch?v=TdAMIEpc7WM

Mario Divo Author
Mario Divo tem incrível experiência profissional, tendo chegado a meio século de atividade ininterrupta, em 2019. É PhD e MSc pela Fundação Getulio Vargas, com foco em Gestão de Negócios, Marcas e Design, Marketing e Comunicação Corporativa. Tem formação como Master Coach, Mentor e Adviser pela Sociedade Brasileira de Coaching e pelo Instituto Holos. Consultor credenciado para aplicação do diagnóstico meet® (Modular Entreprise Evaluation Tool), Professor e Palestrante. CEO e Coordenador Executivo da plataforma Dimensões de Sucesso, acumulando com o comando da MDM Assessoria em Negócios. Foi Diretor Executivo do Automóvel Clube Brasileiro e Clube Correspondente da FIA – Federação Internacional do Automóvel, no Brasil. Foi titular do Planejamento de Comunicação Social da Presidência da República (1997-1998) e, anteriormente, comandou a Comunicação Institucional da Petrobras. Liderou a Comunicação Institucional e a Área de Novos Negócios da Petrobras Internacional. Foi Presidente da Associação Brasileira de Marketing & Negócios, Diretor da Associação Brasileira de Anunciantes e, também, Conselheiro da Câmara Brasileira do Livro. Primeiro brasileiro no Global Hall of Fame da Aiesec International, entidade presente em 2400 instituições de ensino superior em 126 países e territórios, voltada ao desenvolvimento das potencialidades das jovens lideranças em todo o mundo.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa