Anúncios

Falta um mês e agora?!

Natal é uma das épocas mais temidas do ano para quem está de “dieta”, pois é sempre vista como uma época de excessos e de retrocessos de resultados.

dieta no natal

Estamos nos aproximando de uma das épocas mais bonitas e também das mais temidas do ano…Para quem está de “dieta”! A época do Natal é sempre vista como uma época de excessos e de retrocessos de resultados…

Como eu sempre digo, o que conta não é o que acontece entre o Natal e o Ano Novo, mas sim tudo o que acontece entre o Ano Novo e o Natal.

Nesta altura do ano, é muito importante que você comece a fazer uma análise dos seus resultados, do que aconteceu ao longo deste ano e do que ainda é possível conquistar, de uma forma realista.

E esta é uma época onde é normal entrar a Fome Emocional, não só por toda a exposição a alimentos próprios desta época, naturalmente muito calóricos, como também da frequência dos almoços/jantares de Natal e convívio com amigos.

Podemos sentir três tipos de fome: fisiológica, emocional e social

A primeira tem uma solução mais imediata e a segunda é a causa nº1 das corridas aos Nutricionistas, mas também com solução!

Fome fisiológica ou fome física, ocorre quando se fica por um período prolongado, carente de alimentos que forneçam calorias e nutrientes, necessários para a vida e saúde do nosso organismo. Normalmente depois de algumas horas desde a ultima refeição (3 horas ou mais) e que pode ser acompanhada por uma sensação de “estômago colado às costas”, tonturas, náuseas, fraqueza, fraca capacidade de concentração e irritabilidade.

Neste caso o mais rápido e sensato a fazer é repor esta carência energética e comer algo, por exemplo, 1 peça de fruta ou 1 ovo cozido ou 1 iogurte.

Frequentemente cada um de nós ao comer um determinado alimento, ou ao sentir um determinado cheiro recorda-se de alguma situação, ou é reportado a uma certa lembrança ou emoção. Este processo é designado por “âncoras”, que funcionam como um gatilho que ao ser acionado nos conduz automaticamente a um momento específico (reflexo condicionado).

Ora se os alimentos nos levam a emoções, o contrário também se verifica, sendo este aspecto o que provoca a chamada Fome Emocional.

A grande questão é que o ato de comer está associado a fatores externos, como a vida social e não apenas a um ato fisiológico de repor a necessidade de energia e nutrientes que o nosso corpo pede.

Para aprender a comer apenas sob fome física e controlar o seu ímpeto para a emocional deve haver, em primeiro lugar, uma tomada de consciência. Tanto dos sinais do seu corpo para ambos os tipos de fome, como para as situações que podem ocasionar o descontrole/excesso alimentar.

Os sinais de Fome Fisiológica, já foram descritos, no entanto devemos estar atentos que a recomendação é de comer a cada 3 horas. Logo, se passar muito mais tempo é natural que vá sentir alguns dos sintomas referidos. A sugestão é planejar um pouco o seu dia e levar consigo alguns snacks e deixar outros no seu local de trabalho, se for possível. Desta maneira, não terá desculpa para não comer!

Relativamente à Fome Emocional, é descrita como “aquela vontade de comer só mais um bocadinho” depois de uma refeição. Ou mesmo uma vontade específica para alguns alimentos (normalmente são os doces, pão e/ou bolos) como resposta a alguma situação menos positiva ou contrariedade.

E claro, é sabido que comemos com os 5 sentidos, logo o cheiro de pão acabado de sair do forno ao passar por uma padaria vai ativar o centro de fome e ímpeto de comer (ainda que tenha acabado de almoçar). Do mesmo modo, um bolo com um aspeto fantástico ou ainda a mesa composta quando vai jantar na casa de algum familiar ou amigo.

São vários os fatores que podem desencadear um episódio de descontrole alimentar.

No entanto para solucionar esta questão são necessários 3 aspetos:

  • Tomar consciência do processo;
  • Perceber qual ou quais as situações que geram a fome emocional;
  • Encontrar as estratégias mais adequadas e pôr em prática numa base diária.

E tudo aquilo que pretende é conseguir sobreviver, a esta altura do ano, com o mínimo de deslizes possíveis, para que não deixe cair por terra todos os resultados conquistados até aqui!!

O que fazer??

  • Coma uma boa sopa de legumes antes de sair de casa para um jantar com amigo;
  • Faça um plano das suas refeições diárias;
  • Lembre-se de levar snacks para comer entre as refeições;
  • Quando for fazer compras ao supermercado traga apenas alimentos bons para si!

Então antes de pensar nos excessos do Natal, lembre-se que o que conta na realidade é tudo aquilo que faz entre o Ano Novo e o Natal… porque agora que falta menos de um mês para a bonita época natalícia, faça o melhor possível e sem excessos!!

Joana Carvalho Costa
http//www.nutri-coaching.com

Confira também: As 3 Dicas mais valiosas para emagrecer com Sucesso!

 

Joana Carvalho Costa, licenciada em Ciências da Nutrição com mais de 10 anos de experiência e Coach Certificada, atua como Nutricoach em Clinicas ajudando os seus pacientes a encontrarem um maior equilibrio através de uma alimentação e Mente Saudáveis. Especializada no acompanhamento de Grávidas, adultos e crianças com excesso de peso/obesidade, disturbios do comportamento alimentar e em casos de Fome Emocional. É consultora em revistas na área da Saúde e Bem-estar e é palestrante convidada em Colóquios e Seminários de Nutrição. Mentora e Coordenadora da Especialização em Nutricoaching, em Portugal e Brasil e já formou mais de 100 Nutricionistas e profissionais de Saúde nesta área. O Nutricoaching tem a base da consulta de Nutrição com a vantagem de usar técnicas específicas de Coaching, que visam aprofundar o conhecimento sobre si mesmo, encontrar as verdadeiras causas do desequilibrio alimentar e aumentar a motivação e foco nos resultados.
follow me
Anúncios
Neste artigo


Participe da Conversa