fbpx

Estou apaixonada e agora?

Sabe quando todas as áreas estão fluindo, o Universo “conspira” com a sua felicidade e de forma inesperada um Ser de Luz cruza o seu caminho, traz brilho aos olhos e faz parecer que você não sabe nada sobre amor?!

Olá cara leitora!

Provavelmente você já fez essa pergunta em algum momento da sua vida. Sabe quando todas as áreas estão fluindo, o Universo “conspira” com a sua felicidade e de forma inesperada um Ser de Luz cruza o seu caminho e traz brilho aos olhos, o coração acelera a cada movimento e faz parecer que não você não nada sobre amor?!

Toda mulher cedo ou tarde em algum momento da vida vai passar por isso e acredito que talvez mais de uma vez, que em minha opinião é ótimo, pois tornamo-nos experientes diante o amor e é uma grande oportunidade de refletir sobre o que é esse sentimento e porque nos comportamos impulsivamente.

Quando entrei para o universo do autodesenvolvimento, comecei a observar as pessoas de forma diferente, e com essa atitude percebi que quando uma mulher se apaixona, toda a sua atenção esta voltada a esse sentimento e acaba agindo impulsivamente a fim de alcançar o que deseja e tudo bem se isso acontecer, devemos nos permitir viver a emoção, porém com cautela. No entanto, o que me preocupava não era isso, mas o fato de quando a criatividade era despertada. Mulher, se você pensou que não era criativa, tenho uma boa notícia, Você é!

Vou te mostrar… Você se apaixona, cada célula do seu corpo parece mover-se ao encontro da pessoa desejada, o sentimento vai causando letargia momentânea, e então você começa a fantasiar mentalmente situações de encontros, cria o que a pessoa pode responder a cada expressão sua, vai construindo um sonho acordada e até esse ponto o mundo é belo, afinal temos a necessidade de estar preparadas para qualquer situação, mas acredito que o ponto preocupante é quando essa imaginação se estende de forma negativa, como por exemplo, pensar que você é boa o suficiente para a pessoa, acreditar que o seu mundo gira em torno dele, que não se importa com você, que existem tantas pessoas no mundo, porque ele olharia para você? e etc…

Tenho uma dica se você se identificou: Comece a pensar o que é o amor para você? Como você quer lidar com o amor? Quem verdadeiramente você é quando esta apaixonada? A imagem que você mostra para a pessoa amada é congruente e real? Será que o amor é tão egoísta, a ponto de ter todo o seu tempo e energia?

No ano passado tive a oportunidade de ouvir algumas palavras sobre a diferença do amor romântico e o amor genuíno, na visão de uma monja budista Jetsuma Tenzin Palmo. Ela diz que o amor romântico é aquele que projetamos nossos desejos, anseios e ideiais para o nosso par, esperamos que ele reaja de acordo com os romances de livros e filmes, está muito relacionado ao apego como uma forma de demonstração de afeto e alerta que o apego pode causar dor para ambos, porque temos consciência de não nos anularmos para satisfazer o desejo do parceiro.

Enquanto o amor genuíno é o sentimento de respeito, felicidade e bem-estar do outro, independente se ele esta ao seu lado. Esse tipo de amor é nutritivo, leve, gentil e que flui. O sentimento do amor genuíno não é completar a outra pessoa, mas de florescer e apreciar momentos junto a ela.

O desespero de estar apaixonada é não saber lidar com as nossas expectativas, não compreender a evolução de paixão até chegar a ser amor e manter uma relação sustentável. Se você passa ou já passou por isso, inicie essa jornada não gerando expectativas, eu sei que é difícil, mas não impossível e defina qual tipo de amor que você quer viver: O amor romântico ou genuíno?

Convido você a transformar esse momento de angústia e dúvida em um momento agradável de viver, começando com os seus pensamentos. Fique em estado de vígilia para que eles sejam positivos, assim suas ações serão realizadas de acordo, e se algo for diferente do que imaginava, sei que você tem capacidade de reverter a situação e aprender com ela. A consequência de filtrar seus pensamentos permite a criação de novos hábitos, que consolidarão seus comportamentos com a pessoa amada e então você colherá seus resultados almejados de forma consciente e não mais impulsivo. Lembre-se que todas as ações têm intenções positivas, então pense em qual é a sua inteção positiva em fazer algo e qual é do outro.

Permita-se, ouse e invista energia e tempo suficiente na paixão. Não seja dominada pela loucura e impulsividade do momento, reverta esse sentimento e energia para alavancar algumas áreas da vida que necessitam de um “up”, e viva o momento, afinal não sabemos quando um Ser de Luz irá cruzar o nosso caminho e despertar esse sentimento.

Grande abraço,

Mayra Soares

Mayra Soares Author
Mayra Soares tem 11 anos de experiência profissional em Gestão e Desenvolvimento de Pessoas. É Mentora pela Erlich Consultoria, Trainer Comportamental pelo Instituto de Formação de Treinadores (IFT), Master Coach com especialização em Business and Executive Coaching e Professional and Self Coaching, Consultora Analista Comportamental e Avaliação 360º certificada pelo Instituto Brasileiro de Coaching (IBC), Behavioral Coaching Institute (BCI), International Coaching Council (ICC), European Coaching Association (ECA), Global Coaching Community (GCC), International Association of Coaching (IAC), Metaforum International e International Association of Coaching Institutes, Practitioner em PNL pela SCORE e Leader Coach pela Ellite Consultoria. Graduada em Gestão de Recursos Humanos, Pós-graduada Docência no Ensino Superior e Pós-Graduanda em Essencial Master Coaching. Coautora dos livros COACHING NAS EMPRESAS – Estratégias de Coaching para o ambiente corporativo e RH Trabalho e Aprendizado.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa