fbpx

Entre o Amor e a Razão: Como encontrar o equilíbrio?

Amor ou Razão? É maravilhoso namorar, amar, ter alguém e estar ao lado de quem se ama. Mas como tudo na vida, os relacionamentos também têm o lado B.

Entre o Amor e a Razão: Como encontrar o equilíbrio?

Entre o Amor e a Razão: Como encontrar o equilíbrio?

É maravilhoso namorar, amar, ter um parceiro e estar sempre ao lado de quem se ama. Mas como tudo na vida, os relacionamentos também têm o lado B.

Muitas mulheres sofrem com relacionamentos destrutivos. Entendo que muitas delas se relacionam totalmente com o coração e desconhecem o equilíbrio que deve, de fato, existir entre o sentimento e a razão.

Os motivos são vários para que elas não tenham uma visão racional do que está acontecendo. Por exemplo: dependência emocional, medo de abandono, carência, autoestima baixa, solidão, etc. E quando tudo está confuso, é muito difícil saber se estão chamando de Amor o que na verdade é medo.

Mulheres permanecem anos em relacionamentos insatisfatórios, achando que só o Amor é suficiente. Muitas delas acreditam que só o Amor delas basta e somente ele é necessário para mudar a situação ou então provocar mudanças no parceiro, e amam por dois. Com isso colocam de lado o Amor Próprio.

Isso é fruto do Amor romântico, a visão romantizada que nos ensinaram e que nos acompanha até hoje. Ouvimos desde muito cedo: “ele cuida de mim e eu cuido dele”,  “o Amor supera tudo”,  “quem ama se sacrifica”. Essas frases muitas vezes acabam servindo para justificar assim o controle e a posse. Acreditamos que fazem parte do relacionamento e, por isso, devemos aceitar uma série de comportamentos inadequados.

Só o Amor não basta, é preciso muito mais.

Devemos aprender a nos relacionar com o coração e com a cabeça. Conhecer o outro e desenvolver com ele uma relação afetiva saudável leva tempo e muita dedicação. É preciso ter muita paciência, tolerância. Além disso, humor, respeito, cumplicidade, confiança, cuidado, sinceridade, harmonia, conquista, sexualidade, o Divino, amizade, admiração, lealdade, fidelidade, paz, sexo, compromisso, conquista e Amor.

Precisamos repensar a maneira como conduzimos nossos relacionamentos, para evitar que nos tornemos doentes e dependentes emocionalmente.

Precisamos manter um equilíbrio entre a razão e a emoção e entender que nem todo Amor vale a pena.

Uma sugestão minha para ajudar você a começar a refletir sobre o relacionamento que você vem mantendo é responder a pergunta: Esse relacionamento reflete em mim Amor ou medo?

Se a resposta for a segunda opção, então sugiro procurar ajuda para se fortalecer, melhorar sua autoestima e modificar a forma que vem se relacionando e consiga viver relações saudáveis.

Gostou do artigo? Quer saber mais sobre como encontrar o equilíbrio entre o amor e a razão? Então entre em contato comigo. Terei o maior prazer em responder.

Ercília Canali
http://www.erciliacanali.com.br/

Confira também: Superar Relacionamentos: Uma possibilidade ou Imposição?

 

Ercilia Canali é especialista em desenvolvimento afetivo e profissional.Consultora de carreira para planejamento do Percurso Profissional diante da história de carreira e de vida, desenvolvimento de competências, transição de carreira e resiliência no ambiente de trabalho.Criadora do programa de atendimento Percurso Afetivo, metodologia de atendimento para mulheres, com foco na aprendizagem de lidar com sentimentos e superar acontecimentos como: infidelidade, traição, separação, dependência emocional, dificuldade de se relacionar, medo e solidão.Mentora de mulheres para resgate de Autoestima e Amor Próprio.Idealizadora e facilitadora do Círculo Afetivo, – encontro de mulheres com compromisso umas com as outras de apoio, respeito, escuta e conexão, com o objetivo de promover o desenvolvimento humano.Certificada Professional Coaching, Self Coaching e Coaching Generativo, pelo Centro Nacional de Coaching – Cenacoaching; Practitioner SOAR – Soar Advanced Certification Program Presential, – Analista Comportamental, em Flórida Christian University – FCU (USA); Practitioner PNL – Programação Neurolinguística, pelo Centro Nacional de Coaching – Cenacoaching; Pós-graduação em Gestão e Desenvolvimento de Consultoria Interna em Recursos Humanos pela Fundação Armando Álvares Penteado – FAAP; MBA em Gestão Estratégica de Pessoas pela FAAP. Graduada em Serviço Social pelas Faculdades Metropolitanas Unidas – FMU; Membro do Grupo de Estudo e Trabalho dos Profissionais de Recursos Humanos das Agências de Publicidade de São Paulo; mais de 30 anos dedicados a área de gestão de Recursos Humanos.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa