Em busca da Felicidade: Como começar HOJE!

Todo mundo “deseja” ser feliz. A cada oportunidade que temos colocamos a “felicidade” como objetivo. Mas muitas vezes isto se torna algo distante e fora do nosso controle... O que fazer?

Todo mundo “deseja” ser feliz. A cada oportunidade que temos – Ano Novo, Natal, aniversário – colocamos a “felicidade” como objetivo para o próximo ciclo. Além disso, “ser feliz” acaba sendo sinônimo de imagens em nossas mentes que muitas vezes incluem relacionamentos perfeitos, riquezas, viagens e outros fatores externos. Desta forma, a felicidade muitas vezes se torna algo distante e fora do nosso controle, muitas vezes atrelada a condições de grandes mudanças, como ganhar na loteria. A Psicologia Positiva trouxe diversas contribuições para a compreensão das relações humanas, da condição do ser humano, do bem-estar e também da felicidade.

De acordo com estudos realizados por Martin Seligman (2002) e Sonja Lyubomirsky (2008), a “fórmula” da felicidade contempla diversos fatores. São eles: 50% de fatores genéticos, 10% das circunstâncias de vida e 40% de atividades intencionais (nossos pensamentos e nossas escolhas). Segue breve explicação de cada:

Genética

A genética é responsável por cerca de 50% da equação. A fórmula indica que temos uma faixa fixa e amplamente herdada (Lyubomirsky, 2008).

Hoje, os estudos demonstram que nós podemos influenciar nossa genética através de uma rotina saudável. Boa alimentação, cuidado com o sono, prática regular de atividade física e gerenciamento de estresse podem modificar uma genética que antigamente era vista como estática. Vemos também estudos de neuroplastia que comprovam que o cérebro, inclusive, pode ser modificado. Novas sinapses e conexões podem ser feitas através de exercícios e estímulos.

Ou seja, até mesmo o fator considerado como “fixo” pode ser alterado.

Circunstâncias de Vida

O segundo fator da fórmula se refere às circunstâncias de vida. Estes se referem a condições externas como dinheiro, status social, idade, religião, clima, grupo étnico e gênero. Embora seja possível mudar alguns destes, estudos demonstram que são mudanças mais difíceis e às vezes sem sucesso pois não dependem apenas do indivíduo e sim de inúmeros fatores e pessoas (Seligman, 2002).

Atividades Intencionais

Por último, as atividades intencionais são responsáveis por 40% da nossa felicidade. Estas incluem nossas escolhas diárias. Ou seja, é nesta área que conseguimos potencializar o nosso florescimento. A cada momento, temos a oportunidade de maximizar as emoções positivas.

Para aumentar o sentimento de alegria, é importante engajarmos em atividades positivas e saudáveis tais como:

  • Alimentação equilibrada;
  • Prática regular de atividade física (mínimo de 150 minutos por semana);
  • 7 horas de sono por dia;
  • Atividades para gerenciamento de estresse como meditação ou leitura;
  • Dedicação de tempo para os relacionamentos;
  • Cultivo da gratidão;
  • Foco no positivo;
  • Pensamentos construtivos;
  • Viver o agora e não focar no passado.

Fica claro que a felicidade está em nossas mãos. É importante termos consciência das escolhas que fazemos. São elas que vão nos levar para a nossa tão desejada felicidade.

Não é necessário ganhar na loteria ou viver um romance de filme todos os dias, e sim vivenciar a cada momento com intensidade e atenção.

Sharon Feder Author
⚙️ Carevolution
Sharon Feder é formada em Psicologia pela Brown University nos EUA, com especialidade em Estudos Brasileiros e Portugueses pela Brown University e Coach de Saúde e Bem-Estar com Certificação Internacional pela Wellcoaches (EUA). Treinada no Modelo Transteórico de Mudança de Comportamento (ProChange Behavior Systems). Atualmente, é Sócia Diretora na Carevolution Consultoria em Saúde e Bem-Estar, desenvolvendo programas de qualidade de vida e capacitações de profissionais com foco em mudança de comportamento, engajamento e autocuidado.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa