fbpx

Educar deve ter como prioridade desenvolver habilidades de vida

A educação precisa olhar o desenvolvimento integral da criança, formá-la para a vida. É primordial uma mudança no sistema de ensino que deve ensinar também habilidades socioemocionais.

440
440

A família e a escola são as primeiras instituições educadoras de uma criança e irão dar o suporte para que ela possa desenvolver plenamente suas capacidades emocionais, psicológicas e cognitivas.

Sabemos o quanto tem sido desafiador para todos os envolvidos na missão de educar, a formação das crianças e adolescentes da geração atual devido às inúmeras transformações que estamos vivendo.

Precisamos pensar a educação a longo prazo. A educação precisa olhar o desenvolvimento integral da criança, formá-la para a vida. É primordial que haja uma mudança no sistema de ensino, que deve além do estudo acadêmico, ensinar habilidades socioemocionais.

Para que isso aconteça de forma efetiva, é preciso criar uma rede de apoio entre família, escola e sociedade. Abrir espaço para que possamos falar sobre emoções, angústia, sofrimento, preocupações, sonhos. Priorizar a conexão, o diálogo, a escuta ativa, interessada nos sentimentos e no ser humano.

A educação deve visar não somente capacitar os alunos a ingressarem numa Universidade e conseguirem ter sucesso em sua carreira, mas deve também orientá-los para uma vida com mais felicidade, capacitando-os para que desenvolvam as habilidades necessárias para se tornarem autônomos, competentes no plano social, emocional e cognitivo.

Habilidades socioemocionais são desenvolvidas por meio do diálogo, de escuta empática, de cooperação, negociação e resolução de conflitos. Hoje nos falta diálogo na família, nas escolas e na sociedade. Todos nós fazemos parte do problema e precisamos fazer parte da solução.

Precisamos criar espaços em que as emoções são acolhidas, que estimule o respeito à colaboração, buscando proporcionar um ambiente inclusivo em que todos se sintam pertencentes e importantes. Ao invés da competitividade excessiva que transmite o conceito de que para que eu ganhe, o outro precisa perder.

Precisamos estar atentos aos sinais para poder intervir. Quando se está absorvido por sentimentos negativos, sentindo o abandono emocional e a falta de apoio, estes impulsos podem explodir de maneira agressiva e violenta. Quando não cuidamos dos sentimentos eles são intensificados e podem tomar proporções incontroláveis.

Fica difícil aprender, ter concentração e seguir orientações quando se está sobrecarregado por preocupações, angústias ou estresse tóxico. O principal efeito do estresse é o comprometimento da capacidade de regular o pensamento, afetando a parte do cérebro da capacidade de função executiva, responsável pelo controle do impulso emocional.

Uma educação baseada em punição, autoritarismo e agressividade, somente intensifica os sentimentos de raiva e impulsos de violência. Precisamos de ambientes que propiciem o acolhimento das emoções, que incentivem o diálogo reflexivo, que ofereçam escuta verdadeira e empática, que enxerguem os erros como uma oportunidade de aprendizado, possibilitando que juntos possamos encontrar novas soluções e alternativas.

É indispensável que os adultos ensinem às crianças e adolescentes outras estratégias para a resolução de problemas. É justamente nos momentos desafiadores que temos a oportunidade de ajudá-los a desenvolver habilidades importantes para suas vidas, como respeito, controle emocional, autorresponsabilidade, resiliência, comprometimento, automotivação, cooperação, empatia, disciplina e autoestima.

A autovalorização está diretamente relacionada ao amor e à aceitação. É urgente educar para a paz, para o afeto, para a cooperação, desenvolvendo habilidades de vida que formem pessoas bem-sucedidas em sua humanidade. Que possamos valorizar e priorizar o respeito pelo próximo, o acolhimento às diferenças e à conduta ética, podendo contribuir efetivamente para a construção de uma sociedade melhor.

Danielle Gomes

Formação em Psicologia, MBA em Gestão em Pessoas e Especialização em Docência;Facilitadora de Relacionamentos Familiares;Educadora Parental de Disciplina Positiva;Coautora do livro Coaching para Pais – Estratégias e Ferramentas para Promover a Harmonia Familiar. Vol 1 e 2.Colunista das revistas Cloud Coaching e Coach Me.Certificações:Coaching pelo Instituto Brasileiro de Coaching – IBC (SP);Leadership and Coaching pela Ohio University College of Business (USA),Mentoring pelo CAC – Center for Advanced Coaching (USA),Practitioner SOAR – Soar Advanced Certification Program pela Florida Christian University (USA),Coaching para Pais pela Parent Coaching Academy – PCA (UK),Kids Coaching pelo Instituto de Coaching Infanto Juvenil – ICIJ (RJ),Bases do Desenvolvimento Infantil: Apego, Vínculos e Intervenções – USP (SP),Educadora Parental pelo Positive Discipline Association – PDA (USA).Mentoring, Coaching & Advice Humanizado ISOR – Instituto Holos – (SP)Tem como missão, favorecer o desenvolvimento integral do indivíduo e da família, valorizando seu potencial para que conquiste uma vida com plenitude e equilíbrio de forma sustentável.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa



Loading cart ...