E quem falou que pra ser bom, precisa ser perfeito?

Nós temos uma mania chata e cruel de exigirmos de nós mesmos e dos outros, ser bom naquilo que somos RUINS. Isso mesmo! Naquilo que somos RUINS.

Nós temos uma mania chata e cruel de exigirmos de nós mesmos e dos outros, ser bom naquilo que somos RUINS.

Isso mesmo! Naquilo que somos RUINS. Me chateia a expressão “pontos de desenvolvimento”… rs. Somos ruins e pronto!

Pra queeee gente?! Semana passada atendi uma coachee em crise porque recebeu um feedback cujos “pontos de desenvolvimento” eram tão avessos, que se ela alcançasse aquela meta, certamente, seria uma outra pessoa!

Eu fiquei pensando cá comigo, sem medo de ser antiética: Que raio de profissional de RH é esse que contrata e depois quer transformar o sujeito em outro?!

Observe…

Joãozinho tira nota 3 em matemática. A escola põe Joaozinho na recuperação e sabatina! Os pais finalizam a sessão “tortura emocional” com uma ameaça do tipo: “Se não passar vai ficar sem presente de Natal, hein?”

Porém quando Joãozinho tira 9,5 em português, todos concordam: “Não fez mais que a obrigação” ou “parabéns”.

E assim Joaozinho se tornou um aluno nota 5 em matemática e nota 6 em português. já que essa disciplina não era importante, não precisava de atenção…

E assim nosso modelo de educação forma pessoas medíocres* e inseguras, incapazes de terem a competência essencial que é a AUTOAVALIAÇÃO CORRETA.

* Medíocres (não se ofenda), no sentido de serem médias mesmo!

E talvez esta seja a causa da “mania” que temos de supervalorizar os fracassos em detrimento das vitórias, em apontar para o defeito do outro e sermos pouco focados nas virtudes e qualidades. E nos acostumarmos a curtir mais a dor do que na delícia de sermos quem somos.

Não estou aqui defendendo o teorema de Caymmi: “Eu nasci assim, eu cresci assim, vou morrer assim… Gabriela” mas vamos lá?!

Cada pessoa nasceu com um propósito específico pra esta dimensão. O seu jeito (mesmo aquilo que o outro critica), sua forma de ver a vida e todas as suas experiências te guiam a realizar a sua missão nesta terra.

Se você tem um trabalho, um amigo ou um parceiro que exige que você seja uma pessoa completamente diferente daquilo que você é… não mude você, demita-se deste trabalho e destas pessoas.

Você é a pessoa perfeita pra desempenhar a função Daquele que te enviou. Aprimore-se, mas não mexa no seu DNA! Você é importante!

Não contrate um coach pra te ajudar a ser uma outra pessoa… faça Coaching pra você ser “apenas” a melhor versão de SI mesmo.

Dica pra você: Se quiser ver um filme que vale por uma sessão de Coaching, recomendo: O homem que mudou o jogo com Brad Pitt – no Netflix.

E de novo: Ame ser quem você é! Você foi criado pra um propósito. Aprimore-se em ser a melhor versão de si mesmo. Apenas isso!

Betânia Machado tem mais de 15 anos no mercado executivo com atuação em empresas nacionais e multinacionais, em especial na área de comunicação e marketing. Sua atuação profissional atual, envolve iniciativas em múltiplos negócios que convergem para o desenvolvimento humano, como cursos, palestras e programas que utilizam ferramentas de Coaching como plataforma de trabalho. Formada em comunicação social com extensão em Gestão Estratégica de Negócios pela Fundação Getúlio Vargas, também é master coach membro da Sociedade Latino Americana de Coaching, Coach de Excelência pela Academia Emocional, e analista comportamental com dupla certificação (nacional e internacional).
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa