É preciso se tornar inesquecível, ainda que você não esteja totalmente ativo

Como ser inesquecível e de fato não estar em atividade, agindo e aparecendo? Afinal de contas, já diziam nossos avós: “quem não é visto, não é lembrado”.

1043
1043
Como ser inesquecível

É preciso se tornar inesquecível, ainda que você não esteja totalmente ativo

Esse é um título um tanto quanto curioso, pois nos leva a pensar na forma disso acontecer: como ser inesquecível e de fato não estar em atividade, agindo e aparecendo? Afinal de contas, já diziam nossos avós: “quem não é visto, não é lembrado”.

Hoje em dia, isso já é totalmente possível. Com o avanço da internet e as técnicas de marketing, é até simples não estar atuando de fato e ainda assim ser uma figura lembrada em seu meio de atuação. Ainda bem que vivemos nessa era moderna. Precisa-se, claro, de muito planejamento e ações prévias.

No meu caso, por exemplo, que em breve me ausentarei por conta da maternidade, sendo minha segunda filha, está muito claro pra mim o que preciso fazer para que eu não sofra no retorno ao trabalho como foi com minha primeira gestação e vou compartilhar com vocês essa minha experiência.

Mães de primeira viagem, “pecam” em vários quesitos, justamente por conta dessa inexperiência. Esquecemos uma série de coisas pra comprar pro bebê, compramos coisas que jamais usaremos (isso, ainda que nossas mentes estejam quase que 100% preenchidas com esse assunto) e em outras áreas, erramos ainda muito mais. Tudo por nunca termos vivenciado aquela experiência sublime (enlouquecedora, mas sublime e divina).

Na gestação da minha primeira filha, eu nem pensei que seria tão importante algumas medidas que facilitariam meu retorno ao trabalho. E mesmo tendo voltado tão rápido (com 27 dias de nascimento dela, voltei a atender individualmente clientes para processos de desenvolvimento pessoal e profissional), senti na pele o mercado saturado em que atuo que produz centenas de “profissionais” diariamente.

Me lembrei muito dessa frase da vovó. Percebi minhas redes sociais paradas há algum tempo, o site quase que abandonado e uma série de e-mails de clientes pedindo orçamento ou com interesse em algum serviço que presto sem retorno. Me senti frustrada, porque, mesmo atualizando tudo quase que em dois dias, era tarde demais.

O trabalho de desenvolver pessoas, seja com treinamentos em grupo ou individuais sempre vem em demandas quase que urgentes. As pessoas nos procuram quando já estão em estados de desespero e querem agendar o início pra logo. Se não estou disponível nem pra passar um orçamento, por melhor e mais especialista que eu possa ser, é quase certo que buscarão outro profissional, já que as ofertas são tantas.

Dessa vez, 3 meses antes do nascimento da minha doce Luísa, já parei pra pensar nisso e me precaver. Amo o que faço e sei que é o meu propósito de vida, portanto, vale investir tempo nesse trabalho sim, para que o retorno seja mais leve e tranquilo do que foi o outro.

Busquei então uma agência de publicidade e propaganda para expandir minhas ideias e me direcionar de maneira mais certeira. Coisa boa é cada um atuar dentro “do seu quadrado”. Ainda que eu seja bacharela em administração e tenha visto na faculdade, marketing não é minha especialidade. Eu sei o básico do básico. E quando conversamos com um profissional, aí é que temos a certeza de que não sabemos é nada.

Eles fizeram um briefing justamente em cima da minha demanda de não estar em atividade por alguns meses, entretanto, me fazer totalmente lembrada nesse período. Me deram alternativas para continuar dando retorno aos clientes que por ventura me procurarem e também ideias para uma volta em grande estilo. Uma conversa de duas horas de duração que foi capaz de expandir meus horizontes e continuar enxergando infinitas possibilidades.

Isso me fez pensar no quanto o meu trabalho também pode ser poderoso para o cliente. Me lembrei de alguns clientes de processos individuais que me dizem, ao final de seu atendimento, quanta clareza eles alcançaram ali, naquela hora de conversa e que suas ideias passaram a fervilhar com mais força, pois visualizaram ali o “modus operandi”, ou como colocá-las em prática.

Sinto extrema gratidão a Deus por me permitir realizar algo tão incrível como esse trabalho de desenvolver pessoas. Auxiliar meus semelhantes a alcançarem patamares mais elevados, deixando de lado lugares sombrios que são repletos de mágoa, rancor ou amargura é incrível. Ver pessoas crescendo e não aceitando mais os papéis de vítima ou de não-merecedores que viviam há algum tempo é extremamente prazeroso e gratificante pra mim.

Confúcio já dizia sua celebre e tão repetida frase: “Escolha um trabalho que você ame e não terás que trabalhar um único dia em sua vida.” Concordo e discordo ao mesmo tempo. Pra mim, trabalho muito mais do que antes de me perceber cumprindo meu propósito, porém, com muito mais satisfação, alegria e prazer.

Trabalhar com o que se ama e cumprir seu propósito ao mesmo tempo é uma dádiva divina que poucos alcançam. Especialmente por confundirem propósito apenas com um trabalho bacana e prazeroso. Propósito a meu ver, está muito mais ligado ao ser, ao nosso interior, nossas virtudes, habilidades natas, sabe?! Aquelas que “vêm de fábrica” já instaladas e que tantas vezes nem ligamos muito por acharmos que são competências simples e que todos possuem. Somos seres únicos, com DNA único e temos habilidades únicas também, ainda que façamos o mesmo que o outro. Do jeito que você faz, ninguém faz igual e isso o torna único e especial.

Quando conseguimos clarificar nosso potencial real e natural, o propósito vem à tona também de forma natural e simples. E o menor caminho para que isso ocorra é pelo autoconhecimento. Saber quem realmente é e ter uma identidade clara, fará de você alguém infinitamente melhor, mais feliz e mais leve.

Sabe as infinitas possibilidades que tanto se fala nesse nosso meio do desenvolvimento humano?! Pois é, elas brotam por todos os lados porque você se transforma em uma máquina impossível de ser parada já que perseguirá incansavelmente seu propósito.

Isso quer dizer que, quando encontramos essas respostas e nos descobrimos verdadeiramente, passamos a fazer tudo por prazer?! Claro que não! A não ser que você passe a viver num mundo fantasioso. Vão continuar existindo atividades e ações que pra nós será um fardo (tudo porque fogem das nossas habilidades naturais) e que serão necessárias para o cumprimento de nossas missões. Entretanto, o fato de sabermos que essas ações cansativas, contribuirão para alcançarmos nossos propósitos maiores as tornam até mais leves do que eram antes, podem apostar.

Eu disse que o título do texto seria curioso, né?! Porém, o coroei com um final ainda mais. Como assim, começo falando sobre a importância de se tornar inesquecível mesmo que não esteja totalmente ativo e termino falando de propósito. Você leitor, consegue perceber conexão entre as duas coisas? É impossível ser uma referência em qualquer função ou atividade se aquilo de fato não fizer parte da sua missão de vida. Portanto, é impossível você se dedicar a ser alguém inesquecível se este for apenas um trabalho.

Se assim for, ao retornar, seus olhos não brilharão como antes e você ou pedirá pra sair para continuar sua jornada rumo ao que de fato te preencherá internamente ou trabalhará de qualquer jeito como sempre trabalhou enquanto estava ativo. Quando é propósito, missão de vida, ele passa a ter um lugar de honra em sua vida e você passa a pertencê-lo. Serve para pensar, não apenas nas estratégias para se tornar inesquecível, como também se realmente fazemos o que fazemos apenas pela segurança de pagarmos nossas contas ao final do mês com nossa remuneração ou pela liberdade.

Juliana Rassi
https://www.institutojulianarassi.com.br/

Confira também: Por que quase todas as nossas metas fracassam?

 

Juliana Rassi tem 20 anos de experiência profissional. Formada em Administração de Empresas e especialista em Desenvolvimento Humano de Gestores pela Fundação Getúlio Vargas. É coach, Consultora, Trainner e Palestrante em assuntos como carreira, qualidade de vida, autoestima e felicidade. Trabalhou mais de 15 anos no mercado corporativo com treinamentos comportamentais e desenvolvimento humano, tendo já passado por empresas nacionais e multinacionais como Vivo, O Boticário e Samsung. Já atuou em programas de desenvolvimento de empreendedores pelo Estado de Goiás.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa



Loading cart ...