fbpx

Diálogo no Escuro: Empatia e Respeito

Muitas das mazelas que vemos no mundo como a intolerância à diversidade, à opinião do outro, seriam resolvidas facilmente se as pessoas fizessem uso da empatia e do respeito ao próximo.

Sempre abordo a importância da empatia, de se colocar no lugar do outro. Tenho plena certeza que muitas das mazelas do mundo como a intolerância à diversidade, à opinião do outro se resolveriam facilmente se as pessoas fizessem uso da empatia e do respeito ao próximo.

Infelizmente, cresce o número de pessoas que não aceitam opiniões contrárias e exageram na defesa de seus pensamentos chegando ao ponto de desmoralizar o outro pelo simples fato de pensar diferente. As redes sociais que o digam.

Esta semana tive uma experiência magnífica que recomendo a todos: a prática da empatia. Participei de um projeto sensorial chamado Diálogo no Escuro e que está exposto no Unibes Cultural (fica ao lado do Metrô Sumaré em São Paulo).

O idealizador do projeto é o alemão Andreas Heinecke, que se inspirou em um amigo cego e criou a exposição. A proposta é ser guiado por uma pessoa com deficiência visual ao entrar num ambiente previamente preparado e com visibilidade zero onde serão estimulados os demais sentidos: olfato, audição, paladar e tato.

Privados do sentido que é responsável por 70% dos estímulos o público é instigado a explorar uma nova forma de compreender o mundo.

Os demais sentidos ampliam a percepção e ficamos mais sensíveis aos sons, odores e texturas. A imaginação aflora junto com a necessidade de identificar objetos que surgem à nossa frente. A rapidez do dia a dia dá lugar a realizar as atividades com mais qualidade.

Durante os 45 minutos da experiência somos desafiados a lidar com o desconhecido, com as dificuldades e inseguranças que o momento traz. Outro ponto fundamental é a relação de confiança que criamos com o guia e com os colegas que passam pela mesma experiência.

Diálogo no escuro é certamente um exercício de empatia, de coragem, de se permitir explorar o novo que gera uma nova forma de compreensão das pessoas com deficiência visual e muito respeito por elas.

Pós-graduando em Direitos Humanos, Responsabilidade Social e Cidadania Global pela PUC RS, Pós-Graduado em Tecnologia Assistiva pela Fundação Santo André/ITS Brasil/Fundação Don Carlo Gnocchi (Itália/Milão). Pós-graduado em Psicologia Organizacional pela UMESP e Graduado em Psicologia pela UNIMARCO. Extensão em Gestão de Diversidade pela PUC (Trabalho final: “O impacto do imaginário dos líderes no processo de diversidade e inclusão nas organizações”), Credenciado em Holomentoring, Coaching e Advice pelo Instituto Holos. Formação em Coaching Profissional pela Crescimentum. Formação em Facilitação Digital pela Crescimentum, Formação em RH e Mindset Ágil pela Crescimentum. Formado como analista DISC. Vivência de 30 anos na área de RH, em subsistemas como Recrutamento & Seleção, Treinamento, Qualidade, Avaliação de Desempenho e Segurança do Trabalho. Desempenhou papéis fundamentais em empresas como Di Cicco., Laboratório Delboni Auriemo, Wal Mart, Compugraf, Mestra Segurança do Trabalho. Atualmente é Diretor da TRAINING PEOPLE responsável pela estratégia e coordenação de equipe multidisciplinar especializada em temas como Diversidade, Liderança e Gestão, Vendas, Educação Financeira, Comunicação, Turismo e Segurança do Trabalho. É Vice-presidente de Diversidade e Inclusão e Líder do Comitê de Diversidade e Inclusão da ABPRH – Associação Brasileira de Profissionais de Recursos Humanos, Presidente e Fundador do Instituto Bússola Jovem, projeto social com foco em jovens de baixa renda que tem por missão transformar vidas através da Educação, Trabalho e Carreira. Colunista das Revista Cloud Coaching. Coautor do livro: Segredos do sucesso: da teoria ao topo – histórias de executivos da alta gestão pela Editora Leader e do livro Gestão Humanizada de Pessoas pela Editora Leader. Coordenador e coautor do livro Diversidade em suas múltiplas dimensões pela Editora Literare Books.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa