fbpx

Corona: éramos mais felizes quando significava apenas uma marca de cerveja

O impacto da pandemia do Coronavírus se refletiu também na atividade econômica, que vem sofrendo significativamente. Como minimizar os danos do seu negócio?

pandemia do Coronavírus

O surto do novo Coronavírus , que surgiu em dezembro na China, infectou milhares de pessoas ao redor do mundo. O impacto da pandemia do Coronavírus se refletiu também na atividade econômica, que vem sofrendo significativamente.

A pergunta que fica é: Qual é o custo?

Daqui a 3 ou 4 meses, qual será o custo do que estamos vivendo?

Provavelmente a primeira resposta que vem à cabeça é: – “Milhares de pessoas doentes e mortas em todo o mundo!”

Sim, esse é o impacto inicial da pandemia do Coronavírus. Mas e além disso?

– “Milhares de pessoas em casa em confinamento ou quarentena forçadas para conter a epidemia.”

EXATAMENTE.

Quarentena forçada e suspensão da atividade econômica, com o fechamento dos estabelecimentos comerciais. Medidas extremamente necessárias para a contenção da disseminação da pandemia do Coronavírus, mas cujo efeito precisa ser discutido.

Estamos vivendo um momento nunca antes vivido. E é preciso ter consciência disso. Principalmente os empreendedores.

Então a pergunta seguinte é: Como minimizar os danos do seu negócio causados pela pandemia do Coronavírus?

Com o isolamento social não há vendas. Sem vendas, não há faturamento. Mas há custo! Pois as contas continuam chegando. Custo sem receita é igual à falência. E como evitar que isso aconteça?

A conclusão é que o pequeno empresário vai ter que gastar a sua reserva para pagar os funcionários, ou interromper a sua folha de pagamento, por falta de faturamento. Se isso for inevitável, não é aconselhável que se faça isso de uma hora para outra, mas lentamente e de forma coordenada.

O que provavelmente vai acontecer é uma nova crise sistêmica na economia. Os fornecedores se negando a vender a prazo, com medo da falta de pagamento, e também reduzindo seu quadro de funcionários, para driblar os custos. Para que este cenário pessimista não aconteça, é hora de você, empreendedor, tomar decisões.

É hora de inovar, de se reinventar, para se proteger, proteger o seu negócio e os seus funcionários.

Separei aqui algumas dicas.

1. A primeira medida

O mais óbvio é trabalhar a partir de casa. O famoso home office é agora realidade mundial. Se você tiver dificuldades em se acostumar, tudo bem. Sem drama. Você não está acostumado, é só aceitar suas limitações e começar do começo. Encontre métodos para te ajudar. (Vou falar sobre alguns deles aqui no artigo).

2. Segundo ponto importante

Para conter o seu rombo financeiro, caso você trabalhe com venda de produtos físicos (alimentícios, por exemplo), é investir forte no delivery. Se possível, faça a entrega com o mínimo de contato, mediante pagamento antecipado.

E, para isso, você deve criar uma campanha de marketing avisando os seus clientes que vocês não estão 100% fechados, mas estão fazendo entregas a domicílio.

Abra novos canais de comunicação, além de telefone e e-mail (como o Whatsapp ou Facebook Messenger), para facilitar o acesso a você.

Use e abuse das redes sociais, ofereça cupons de desconto ou vale-presentes. Faça uma lista de produtos, como o “menu do dia”, para facilitar o processo de compra dos clientes.

Além disso, apostar no delivery, reduz o número de funcionários necessários no estabelecimento.

Este é o momento para ser criativo, isto é o que pode ser a sua salvação!

3. Voltando para o tema

Home office, se a falta de experiência com o teletrabalho é o seu caso, organize-se com método e disciplina. 

a) Por exemplo: crie um cantinho de trabalho em casa.

Não precisa ser um escritório super mobiliado, mas é importante você ter um espaço para reconhecer como “local de trabalho”. De preferência fora do seu quarto e longe da cama! Você e o seu cérebro, precisam entender que aquele é seu lugar de descanso, não de trabalho. Trabalhar da cama pode atrapalhar seu rendimento ou ainda, o seu sono. Portanto, arrume o seu cantinho e comunique a sua família. Você, seu cérebro e sua família precisam entender que aquele é seu lugar de trabalho, não de descanso. Afinal você está em home office, e não de férias.

b) Respeite os horários, faça como se fosse a sua rotina normal.

Levante cedo da cama e tire o pijama. Se arrume como se você fosse sair de casa. Qualquer ajuda para que o seu cérebro entenda que, apesar de estar em casa, é hora de trabalhar, é válida. E ainda, respeitar a rotina inclui a hora de almoço. Faça suas refeições longe do local de trabalho. Mesmo em casa, é importante ter os seus momentos de pausa e descompressão.

c) Atenção redobrada a tudo o que pode tirar a sua concentração!

A nossa casa é tentadora, eu sei. Uma cozinha cheia de guloseimas e um sofá convidativo para um cochilo pós-almoço em frente à TV são algumas das armadilhas mais perigosas do home office.

Se antes da quarentena o  perigo da distração estava no seu celular, agora está ao seu redor. Portanto, se esforce para não se distrair. Evite pausas desnecessárias. Se controle para não cair na tentação dos lanchinhos na cozinha. Não ligue a TV durante o dia, resista à vontade de  ver um pedacinho da sua série favorita no meio da tarde. Voltar a se concentrar no trabalho depois de perder o ritmo, demanda muito mais esforço.

Organize  suas tarefas e estabeleça metas de produção para o dia. Pesquise sobre o Método Pomodoro  e coloque alarmes no seu celular limitando a hora de almoço. Utilize artimanhas para te ajudar.

d) Encontre as melhores ferramentas e métodos de comunicação

Encontre as melhores ferramentas e métodos de comunicação para com a sua equipe, seus clientes, fornecedores, etc. O fato de a maioria das pessoas estar trabalhando de casa, não pode afetar a produtividade e o crescimento da empresa. Crie um workplace online. Peça-chave nesse sistema home office é a gestão de projetos. Por isso, estabeleça metas claras e objetivas com prazos definidos. A comunicação precisa ser constante para que as informações estejam sempre atualizadas. Por isso, é importante que toda a equipe esteja conectada e disponível.

e) Fuja do sedentarismo

Por último, mas não menos importante: fuja do sedentarismo: se no mundo corporativo se fala que a vida é de casa para o trabalho e do trabalho para casa, no home office não piore a situação. Sua vida não pode ser apenas da cama para o computador. No seu intervalo, faça alguma atividade física. Existem inúmeras opções de treinos gravados em formato de vídeo aulas na internet, gratuitamente. Mas sair de casa também faz bem para a mente. Aproveite o menor número de carros nas ruas e vá respirar ar puro. Dê uma volta rápida: caminhar, correr, o que fizer você se sentir melhor – dentro dos parâmetros de segurança determinados pelas autoridades, é claro!

Nada garante que essas dicas irão salvar as empresas e empresários de fechar as suas portas após a pandemia do Coronavírus.

Nada garante que isso seja suficiente para conter a crise na economia. Mas o que estamos vivendo em 2020, é algo inédito. Nunca antes visto no mundo: uma pausa coletiva em prol da humanidade.

Não sabemos ao certo ainda a dimensão exata desta nova crise que virá. Portanto, o mais importante agora é cada um fazer a sua parte: quem puder, ficar em casa de quarentena para, juntos, contermos a pandemia do Coronavírus e a disseminação do Covid-19.

Se você não está em modo sobrevivência, ative o seu modo humanitário.

Um forte abraço e boas realizações!

Paula Quaiser
http://www.paulaquaiser.com

Confira também: Para inovar, seja como o Batman!

 

Paula Quaiser é graduada e pós-graduada em Marketing. Master Coach e Canvas, certificada nacional e internacionalmente. Idealizadora do método Canvas Coaching. Eterna viajante e nômade digital. Palestrante internacional, em mais de 10 cidades pelo mundo. Indicada ao prêmio Bid-Star Awards 2018 (Genebra, Suíça) em qualidade de inovação. Coautora dos livros: “Business Model Teams” e “O Fator-E: O empreendedorismo como forma de transformar pessoas e empresas”.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa