Construindo uma boa intuição!

A intuição é um mecanismo neurológico baseado em experiências vividas, por isso AGIR é CRUCIAL. Crie sua base de experiências que lhe ajudarão a tomar decisões mais coerentes e concisas com o caminho que você procura.

Compartilhamos um texto com vocês, para aproveitarmos o gancho e falarmos um pouco sobre a construção de uma intuição(*) sólida e consistente. Este texto é de autoria do Caio Bonatto – fundador da Tecverde (empresa de engenharia que trouxe para o Brasil os conceitos de tecnologia mais avançados do mundo para a construção de casas) – e você poderá acessá-lo, clicando no link ao final deste artigo. Por mais que o texto se refira, basicamente, ao empreendedorismo, aproveitamos para falar de assuntos que transcendem este tema.

Vocês verão que o Caio comenta sobre a inexistência de uma “bola de cristal” ou de metodologias “a la mãe Dinah” para prever as “demandas do mercado”. É necessário criar hipóteses e agir com base nelas, acreditando que estas podem ser verdadeiras. Deixe-me lhe dar um exemplo fora do ambiente de empreendedorismo, para que você compreenda melhor como este assunto serve para todas as áreas de sua vida.

Imagine que seu objetivo esteja relacionado a aprimorar os seus relacionamentos, porém, ao longo de sua vida, você não conseguiu nem sequer chegar perto de alcançá-lo. Isto porque você não tem nem ideia de por onde deve começar. Mesmo sem ter esta informação, você possui um leve sentimento que te diz que, quando você faz brincadeiras com as pessoas e se utiliza de um comportamento sarcástico e irônico, isto lhes causa um mal-estar que, por consequência, prejudica os seus relacionamentos.

Não temos certeza de que seja este o motivo principal, mas você tem uma leve sensação de que a direção seja esta. Por onde começamos, então? Pela hipótese! Sim! Vamos testá-la! E, para testá-la requer que você entre em ação, acreditando que aquele deve ser o real motivo de tal dificuldade para evoluir em seu objetivo. A resposta sobre se este é ou não o caminho ideal, só aparecerá ao longo do percurso.

Já aconteceu com você, por exemplo, de precisar ir a um determinado lugar e não saber absolutamente nada sobre o caminho, tendo, inclusive, que aprendê-lo durante o percurso? Você concordará conosco que esta situação não é fácil, porém, em uma segunda oportunidade que você precisar voltar para este mesmo lugar, notará alguma familiaridade com alguns trechos do caminho e conseguirá até aprender caminhos melhores!

Viu como a decisão de caminhar / agir pode te beneficiar? Muitas respostas aparecem ao longo do percurso. Agir é CRUCIAL para quem quer mudar!

A grande sacada deste tipo de atitude de “agir, independente de conhecer TUDO sobre o assunto” – e que nós chamamos de “atitude empreendedora” (independentemente de ser ou não na área de empreendedorismo) – é a criação de uma base de experiências que lhe ajudarão, em um futuro próximo, a tomar decisões mais coerentes e concisas com o caminho que você procura.

É assim que se constrói uma intuição sólida e consistente: colocando a mão na massa!

(*) A intuição é um mecanismo neurológico de rápida tomada de decisão. Para que você não precise refletir e analisar sobre todos os assuntos de sua vida, o cérebro, com base em suas experiências passadas, lhe dá sinais do caminho que deve ser seguido. Boa intuição = maior número de experiências vividas.

Para ler o texto, clique aqui.

Guilherme Ferreira é Positive e Executive Coaches, fundador da Repense Coaching e membro da Sociedade Brasileira de Coaching. Possui formação em Personal & Professional Coaching®, Positive Coaching®, Executive Coaching® e Career Coaching® pela Sociedade Brasileira de Coaching©. Também possui formação em ciências contábeis pela Universidade São Judas Tadeu e atuou em uma das quatro maiores empresas de auditoria e consultoria do mundo, auditando bancos e seguradoras. Possui os certificados CPBA – Certified Professional Behavioral Analyst, CPVA – Certified Professional Values Analyst todos pela TTI-Target Training International e outras certificações em PNL.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa