Anúncios

Confiança é TUDO!

A quebra de confiança tem o incrível poder de encerrar grandes amizades, contaminar organizações ou, até mesmo, destruir nações.

Confiança é TUDO

Confiança é TUDO

”Se não confiares o suficiente nas pessoas, elas não poderão confiar-te nada” (Texto Taoísta)

A quebra de confiança tem o incrível poder de encerrar grandes amizades, contaminar organizações ou, até mesmo, destruir nações.

Confiança é a base de tudo; é o alicerce da vida pessoal e profissional. Quando a falta de confiança mina as estruturas, organizações fracassam e podem, prematuramente, encerrar suas atividades; por outro lado, quando as relações de confiança imperam elas encontram o caminho para um crescimento consistente e sustentado e, como consequência, prosperam.

Quais são os fatores essenciais para que relações de confiança sejam incorporadas pelas lideranças para que exerçam o poder multiplicador para que que confiança faça parte efetiva dos valores de uma organização?

Segundo a professora da Harvard Business School, Frances Frei, relações de confiança sólidas e consistentes são baseadas no tripé: empatia, autenticidade e seriedade (Lógica); de acordo com a autora, estes três pontos são essenciais e devem ser estimulados e praticados pelas lideranças para que, sem oscilações, façam parte do comportamento de todos na organização.

A empatia:

  • Está muito além da simpatia e representa a atitude de olhar para as pessoas e escutá-las com interesse genuíno para mergulhar em suas perspectivas;
  • Talvez a maior dificuldade para aplicar este comportamento seja a tendência para julgar; assim, para demonstrar empatia verdadeira, é preciso eliminar julgamentos baseados em valores pessoais;
  • Para que ocorra o interesse genuíno, é preciso dedicar total atenção e saber ouvir; neste aspecto, os dispositivos eletrônicos são um grande empecilho pois estão sempre desviando a atenção do “ouvinte”; como você se sente quando conversa com alguém que fica olhando a tela do computador ou celular?

A seriedade (ou a Lógica):

  • Os valores de uma pessoa representam a sua constituição pessoal e devem nortear suas ações. É uma premissa que este conjunto de valores deve ter qualidade e, em grande parte, ser aderente aos valores da organização;
  • Esta lógica pessoal deve ser transmitida e comunicada, sempre, de forma clara para não deixar dúvidas como, também, não transmitir mensagens dúbias.

A autenticidade:

  • As pessoas e os líderes, em especial, não devem nunca esconder quem são e explicitar de forma clara e que não deixem dúvidas quanto aos seus valores, convicções e opiniões; 
  • Para a criação de um ambiente seguro, acolhedor e confiável, devem mostrar a sua verdadeira versão sempre; 
  • Esconder ou omitir valores pessoais e opiniões para representar papéis que agradem à audiência, transformam pessoas em camaleões corporativos e, isto, acaba sendo percebido por outros, fazendo com que os que assim agem percam a credibilidade e destruam relações de confiança que, uma vez perdidas demandam muito esforço e energia para serem reconstruídas o que, muitas vezes, acaba sendo impossível.

Organizações conduzidas por líderes que priorizam e desenvolvem um ambiente baseado na confiança – suportada por empatia / seriedade / autenticidade – desenvolvem equipes incomparavelmente engajadas e motivadas que produzem resultados extraordinários.

Walter Serer
https://www.linkedin.com/in/walter-serer-86717b20/

Confira também: Sobrevivência na Selva Corporativa

 

Walter Serer Author
Walter Serer possui extensa e sólida experiência executiva como CFO e CEO de empresas multinacionais de grande porte. Robusta formação em Finanças Corporativas adquirida na General Electric (graduado pelo Financial Management Program) onde atuou por 14 anos ocupando relevantes posições na área de Finanças e Administração. Atuou como CFO nas empresas TI Group, Valeo, Coldex Frigor e Black&Decker. Nos últimos 18 anos exerceu posição de CEO na Ingersoll Rand Brasil (2011-2014), Syncreon South America (2003-2010) e TI Group Latin America (1997-2003). Pós-graduado em Finanças pela FGV e graduado em Administração de Empresas pela (ESAN – PUC/SP).
follow me
Anúncios
Neste artigo


Participe da Conversa