fbpx

Como se preparar para o atendimento ao cliente no pós-pandemia

Como deverá ser o atendimento ao cliente no pós-pandemia? Se você ainda não parou para reavaliar seus canais de atendimento, é hora de começar!

atendimento ao cliente pós-pandemia

Como se preparar para o atendimento ao cliente no pós-pandemia

Em 2020 o mundo foi surpreendido por uma situação que colocou no mesmo patamar de atenção todos os países. O Coronavírus (Covid-19) provocou uma verdadeira revolução no cenário econômico, político e social.

Empresas viram-se obrigadas a replanejar suas metas em tempo recorde, colocar seus colaboradores em sistema de Home Office, as escolas e estabelecimentos suspenderam suas atividades e iniciou-se assim o isolamento social; em alguns países adotou-se o lockdown.

A expectativa era que em determinado momento tudo voltasse ao que era antes, as pessoas voltassem aos seus postos de trabalho nas empresas, as escolas retomassem as aulas, e seguiríamos como se nada tivesse acontecido, mas a experiência trouxe novas possibilidades.

O sistema Home Office que gerava desconfianças sobre sua efetividade e inseguranças jurídicas passou a ser adotado por boa parte do mercado e visto de uma forma mais positiva.

Uma pesquisa realizada pela empresa de Cibersegurança Fortnet mostrou que, após a pandemia do novo Coronavírus, 30% das empresas devem seguir com o home office como regime de trabalho.

Outra pesquisa da consultoria Robert Half, com 800 colaboradores, revelou que 86% destes profissionais gostariam de trabalhar remotamente com mais frequência quando flexibilizarem as restrições de permanecer em casa. Isso mostra que as pessoas se habituaram ao sistema de trabalho Home Office.

Outra consequência do isolamento foi o aumento de vendas remotas. Entre abril e junho, no pico do distanciamento, 5,7 milhões de clientes fizeram a primeira compra pela internet, segundo Neotrust/Compre&Confie, empresa de inteligência de mercado,

A série de pesquisas Consumidor e Força de Trabalho, realizada pela Salesforce, aponta que 90% dos brasileiros estão mais propensos a comprar produtos essenciais online, mesmo depois que a ameaça da pandemia diminuir.

Isso significa que a necessidade de vender e atender pela internet não será algo passageiro e emergencial.

É preciso fortalecer os canais de atendimento digitais: WhatsApp, redes sociais, e-mail, telefone, chats, mas sem perder a essência da humanização do atendimento. Serviços de call center, delivery e e-commerce tornam-se ainda mais essenciais para atender às necessidades dos consumidores.

Se você ainda não parou para reavaliar seus canais de atendimento, é hora de começar. As mudanças estão cada vez mais rápidas e terá sucesso quem melhor e mais rápido se adaptar.

Gostou do artigo sobre como se preparar para o atendimento ao cliente no pós-pandemia? Quer saber mais? Então entre em contato comigo. Terei o maior prazer em responder.

Luciano Amato
http://www.trainingpeople.com.br/

Confira também: Como os vieses inconscientes podem afetar a sua relação com o cliente

 

Pós-Graduado em Tecnologia Assistiva pela Fundação Santo André/ITS Brasil/Fundação Don Carlo Gnocchi (Itália/Milão). Pós-graduado em Psicologia Organizacional pela UMESP e graduado em Psicologia pela UNIMARCO. Extensão em Gestão de Diversidade pela PUC (Trabalho final: “O impacto do imaginário dos líderes no processo de diversidade e inclusão nas organizações”), Credenciado em Holomentoring, Coaching e Advice pelo Instituto Holos. Formado como analista DISC. Desde 1990 na área de R.H., atuou em subsistemas como Recrutamento & Seleção, Treinamento, Qualidade, Avaliação de Desempenho e Segurança do Trabalho contribuindo com empresas como Di Cicco, Laboratório Delboni Auriemo, Wal Mart, Compugraf Telecomunicações e Mestra Segurança do Trabalho. Atualmente é Diretor da TRAINING PEOPLE, especializada em treinamentos, palestras e projetos de consultoria personalizados responsável pela estratégia e coordenação de equipe multidisciplinar especializada em temas como Diversidade, Liderança e Gestão, Vendas, Educação Financeira, Comunicação, Turismo e Segurança do Trabalho. Vice-Presidente de Gestão e Conteúdo da ABPRH – Associação Brasileira de Profissionais de Recursos Humanos, responsável pela gestão da equipe e curadoria dos grupos de debates, bem como pelo Comitê de Diversidade e Inclusão. Coordenador do grupo virtual Gestão por Competências com base no Facebook e Linkedin, somando 40.000 profissionais de RH em ambos. Escreve duas colunas da Cloud Coaching com os temas Diversidade e Inclusão e Excelência no Atendimento ao Cliente. Presidente e idealizador do Instituto Bússola Jovem, projeto social que tem por objetivo transformar a vida de jovens de baixa renda através dos pilares: Educação, Trabalho e Carreira.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa