fbpx

Como o mindfulness atua no nosso desenvolvimento

Mindfulness tem recebido grande destaque no mundo por promover a saúde psicológica e física. Veja os principais mecanismos que permitem que essa prática gere tanto bem-estar.

⏲ Tempo estimado de leitura: 4 minutos
mindfulness

Mindfulness tem recebido um grande destaque no mundo, como uma ferramenta que pode promover a saúde psicológica e física. Existem diversos estudos que demonstram quais são as causas da eficácia do Mindfulness. Nesse artigo eu irei destacar os principais mecanismos que permitem que a prática de Mindfulness gere tanto bem-estar.

a) Aumento da atenção

É comum passarmos uma grande parte do dia desatentos ao momento presente. Muitas vezes executamos tarefas e atividades diárias, mas o nosso pensamento está voltado para outro tema. Às vezes esse tema está relacionado com situações do passado, que podem gerar mágoa, arrependimento, saudade, ou então no futuro, o que leva a sensações de ansiedade ou medo.

A prática de mindfulness estimula que você busque um objeto de atenção que permita que você fique atento ao momento presente, por exemplo, sua respiração. No instante em que você foca sua atenção para esse objeto, você consegue identificar quando se perdeu em seus pensamentos ou emoções. E assim poderá retornar para o objeto de atenção no momento presente.

Ao se tornar um praticante de mindfulness, o convite será levar esse mesmo exercício para a sua vida diária, conseguindo trazer mais atenção para cada atividade que executa.

b) Aumento da consciência corporal

Por muito tempo a ciência apresentava uma separação entre o corpo e a mente, o que tem sido modificado nos últimos anos. A medicina psicossomática sugere que a mente pode adoecer o corpo, e a medicina oriental, que se baseia em técnicas de mente-corpo (yoga, taichi, chi kung), sugere que o corpo também pode curar a mente.

Um exemplo simples, mas que pode ser experimentado por qualquer pessoa é buscar, por alguns segundos, manter um sorriso no rosto e observar como você se sente internamente. Pense em como outras posturas influenciam o seu estado interno, como por exemplo, a postura de “super-homem”, que pode gerar uma sensação de confiança, segurança e coragem.

Praticar mindfulness leva o praticante a observar as mudanças que ocorrem no seu corpo a todo momento, o que irá ampliar automaticamente a sua consciência corporal.

c) Regulação das emoções

É um mito dizer que pessoas que praticam mindfulness deixam de sentir as emoções. Elas continuam sentindo todas as emoções, mas a forma como respondem ao que estão sentindo é diferente.

A prática de mindfulness nos ensina a identificar, observar e aceitar melhor as emoções que surgem, sem tentar negar ou reagir de forma automática. Isso permite criarmos um espaço para decidir como desejamos responder às emoções que estamos sentindo, e não simplesmente reagir ou deixar que nos dominem. Além disso, os praticantes de mindfulness conseguem retornar com mais facilidade seu foco de atenção para o momento presente, diminuindo o tempo de duração das emoções em seu sistema.

Esse processo inicia com a capacidade de nos tornarmos melhores observadores das emoções, conseguimos nomeá-las com mais facilidade. Exercita-se o não julgamento da emoção (bom, ruim, agradável, desagradável). Julgar as emoções nos leva a querer apegar ao que julgamos como positivo e rejeitar o negativo. Ou seja, não aceitamos o momento presente, simplesmente como ele se apresenta, a cada instante. Experimentar a emoção que se apresenta, como ela é, sem ficar tentando rejeitá-la, é o que leva a perda da força desta emoção.

d) Desenvolvimento da metacognição

A metacognição está relacionada com a nossa capacidade de entender os nossos processos cognitivos, ou seja, conseguir analisar os nossos pensamentos. Os nossos pensamentos influenciam diretamente as nossas emoções. Então, se conseguirmos observar mais o nosso pensamento, e fazermos ajustes na nossa forma de pensar, evitando distorções ou a negatividade, conseguiremos gerar um melhor bem-estar.

Se entendermos que os pensamentos são simples acontecimentos mentais e não nos apegarmos ao seu conteúdo, seremos menos influenciados por eles. É desenvolver a habilidade de nos separar e simplesmente observar os pensamentos, sem nos identificarmos com eles.

Esses são alguns dos mecanismos que permitem que o mindfulness se torne uma prática eficaz para o nosso desenvolvimento, elevando a nossa qualidade de vida e trazendo mais saúde e bem-estar. É aprendermos a ter uma nova atitude perante os eventos que acontecem à nossa volta, nos tornando mais responsivos ao invés de reativos.

Veronica Ahrens
https://www.masterleader.com.br/

Confira também: O que é Programação Neurolinguística?

 

⚙️ Master Leader
Veronica Ahrens tem mais de 10 anos de experiência em gestão de pessoas. Fundadora da Master Leader, atua hoje como coach, trainer e palestrante. Professora de MBA da FIAP no tema Liderança e Gestão de Pessoas e Professora de Pós-Graduação em Neurociência da Santa Casa no tema Programação Neurolinguística.É Mestranda pela FEA/USP em Administração com ênfase em Gestão de Pessoas. Master Trainer pela ASTD – American Society of Training e Development e Master Trainer pela Langevin Learning Services, onde foi certificada em Instructional Designer/Developer, Technical Trainer e Instructor/Facilitator. Tem Certificado Internacional de Coaching pelo Integrated Coaching Institute e pela Lambent (International Coaching Community). Master Trainer em Programação Neurolinguística pela NLP University – California. Certificada pela Universidade de Harvard em Gestão Estratégica de Negócios e pela Universidade de Toronto nas áreas de Gestão de Recursos Humanos e Treinamento e Desenvolvimento. Pós-graduada em Administração com ênfase em Gestão de Pessoas pela FGV (CEAG). Autora do livro “Equipes não nascem excelentes, tornam-se excelentes”.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa