fbpx

Como liderar jovens e obter resultados eficazes?

É muito comum conflitos geracionais nas empresas e há muitas teorias que tentam explicar o comportamento das pessoas. Há alguma fórmula única e exata para liderar jovens?

Como Liderar Jovens e assim Obter Resultados Eficazes?

Como liderar jovens e obter resultados eficazes?

Começo este artigo descontruindo o próprio título, pois não há uma fórmula única e exata para liderar jovens, assim como, qualquer outro grupo específico. O indivíduo é uno e por isso cada qual tem os seus fatores motivacionais e necessidades.

Estar como líder é uma das atividades mais desafiadoras que um profissional pode ter de fato. Requer sensibilidade, empatia e lidar com a diversidade de perfis, nível de conhecimento, maturidade pessoal / profissional e fatores motivacionais diferentes.

São muitas as teorias que tentam explicar o comportamento das pessoas. Uma das mais famosas é a teoria geracional criada em 1991 pelos cientistas americanos Neil Howe e William Strauss. Teoria ainda utilizada como referência no mercado. Segundo ela, a cada 20 ou 25 anos nasce uma nova geração, possuindo diferentes traços de caráter, hábitos e identidade. Tais traços diferenciam cada uma delas em comparação com as demais.

Ao visitar as teorias é preciso tomar o cuidado para não tomar como verdades inquestionáveis, mas sim como referencial. Hoje então vamos fazer um recorte sobre a experiência e desafios de liderar públicos jovens.

É muito comum os conflitos geracionais nas empresas. Líderes que reclamam do imediatismo dos jovens e estes por sua vez da morosidade com que as coisas acontecem nas organizações.

Estes conflitos ocorrem porque expectativas, valores e objetivos são diferentes. Assim como a forma de compreender o mundo, de lidar com as situações do dia a dia, a relação com o tempo e maturidade.

Considerando as competências e complementaridades de cada indivíduo, a solução é promover a troca de conhecimento. Entender ser esta a principal vantagem da diversidade para os negócios. Mas como lidar com todo este contexto?

A sabedoria está na humildade de aprendermos uns com os outros. Compreendermos que estamos em construção. Somos seres culturais e por meio das experiências aprendemos, amadurecemos e evoluímos.

O jovem tem muito a agregar para a organização. Assim como todo indivíduo, para se obter o melhor de seu potencial é preciso tocar o seu coração. Mas isso somente é possível ao conhecermos o seu perfil.

Lidere com o coração

Liderança é arte. É agir com o coração. O líder coloca as pessoas em primeiro lugar. Conhece e acredita no potencial das pessoas. Reconhece o seu papel no desenvolvimento delas. E cria um ambiente de aprendizado contínuo e valoriza o crescimento. Em outras palavras, sai da abstração para a prática.

Seja referência

Os líderes têm um papel fundamental na vida profissional e pessoal dos jovens. Ao olharmos para trás, todos nós temos lideranças que foram marcantes nas nossas carreiras. Atribuímos parte do sucesso ou desenvolvimento da carreira a determinados líderes que passaram em nossas vidas.

Assim como também temos aqueles líderes tóxicos que nos ensinaram qual caminho não seguir. E que trouxeram certo sofrimento enquanto estávamos expostos a eles.

Ter uma liderança apoiadora, com foco no desenvolvimento, que reconheça as competências comportamentais, em identificação com a faixa etária, pode fazer de fato uma grande diferença na vida destes jovens e em suas carreiras.

Estabeleça uma relação de confiança

A base de qualquer relação, seja profissional ou pessoal, é a confiança, que é construída dia a dia. Criar um ambiente acolhedor, em que a pessoa se sinta confortável para colocar as suas dificuldades sem receio, é fundamental para o desenvolvimento do jovem.

É preciso valorizar os acertos e transformar eventuais erros em oportunidades de desenvolvimento e capacidade de resolução ágil.

Demonstre interesse por questões que vão além do trabalho. Por exemplo: profissão de desejo, desempenho escolar, cotidiano. Oriente e dê exemplos pessoais. Tais atitudes aproximam, criam vínculos fundamentais para estabelecer relações de confiança.

Acredite no potencial

O jovem tem muita vontade de aprender, de colocar em prática as suas ideias; jovem é renovação. Dar voz, ouvir o que tem a dizer, acreditar, estimular, orientar, dar exemplo, desenvolvê-lo. Estas são atitudes que fazem toda diferença para os jovens.

Todos temos capacidade de chegar onde quisermos, independentemente da quantidade de obstáculos que tivermos. Na maioria das vezes, o que nos impede são crenças limitantes que criamos mediante as nossas vivências.

Quando o líder demonstra, de forma sincera, que acredita no potencial do jovem atua como catalisador para quebrar as crenças limitantes. Além disso, destrava potenciais e talentos que nem o próprio jovem imaginava ter.

Dê responsabilidades e crie desafios

Os jovens, na sua maioria, são movidos a desafios. Dar responsabilidades e acompanhar o desenvolvimento são fatores motivadores que podem trazer resultados importantes. Garanta que a atividade esteja de acordo com o grau de conhecimento e maturidade profissional para não gerar frustrações. E se em algum momento ocorrerem, simplesmente, acolha.

Dê feedbacks

O desenvolvimento de qualquer indivíduo está atrelado a feedbacks sinceros e plenos de intenção de desenvolvimento. Para que o feedback seja produtivo é importante, além de apontar pontos de melhoria, mostrar os caminhos para atingir o objetivo esperado e acompanhar os resultados.

Espero que estas dicas sejam úteis e ajudem assim os líderes a obterem resultados eficazes com as suas equipes. Afinal, o trabalho é fator determinante para o desenvolvimento humano e saúde mental, independentemente da faixa etária. E faz parte da construção da identidade do indivíduo, dando sentido à sua vida de fato.

Gostou do artigo? Quer saber mais sobre como liderar jovens e obter resultados eficazes com as suas equipes? Então entre em contato comigo. Terei o maior prazer em responder.

Luciano Amato
http://www.trainingpeople.com.br/

Confira também: Caminhos para uma sociedade mais justa e inclusiva

 

Pós-graduando em Direitos Humanos, Responsabilidade Social e Cidadania Global pela PUC RS, Pós-Graduado em Tecnologia Assistiva pela Fundação Santo André/ITS Brasil/Fundação Don Carlo Gnocchi (Itália/Milão). Pós-graduado em Psicologia Organizacional pela UMESP e Graduado em Psicologia pela UNIMARCO. Extensão em Gestão de Diversidade pela PUC (Trabalho final: “O impacto do imaginário dos líderes no processo de diversidade e inclusão nas organizações”), Credenciado em Holomentoring, Coaching e Advice pelo Instituto Holos. Formação em Coaching Profissional pela Crescimentum. Formação em Facilitação Digital pela Crescimentum, Formação em RH e Mindset Ágil pela Crescimentum. Formado como analista DISC. Vivência de 30 anos na área de RH, em subsistemas como Recrutamento & Seleção, Treinamento, Qualidade, Avaliação de Desempenho e Segurança do Trabalho. Desempenhou papéis fundamentais em empresas como Di Cicco., Laboratório Delboni Auriemo, Wal Mart, Compugraf, Mestra Segurança do Trabalho. Atualmente é Diretor da TRAINING PEOPLE responsável pela estratégia e coordenação de equipe multidisciplinar especializada em temas como Diversidade, Liderança e Gestão, Vendas, Educação Financeira, Comunicação, Turismo e Segurança do Trabalho. É Vice-presidente de Diversidade e Inclusão e Líder do Comitê de Diversidade e Inclusão da ABPRH – Associação Brasileira de Profissionais de Recursos Humanos, Presidente e Fundador do Instituto Bússola Jovem, projeto social com foco em jovens de baixa renda que tem por missão transformar vidas através da Educação, Trabalho e Carreira. Colunista das Revista Cloud Coaching. Coautor do livro: Segredos do sucesso: da teoria ao topo – histórias de executivos da alta gestão pela Editora Leader e do livro Gestão Humanizada de Pessoas pela Editora Leader. Coordenador e coautor do livro Diversidade em suas múltiplas dimensões pela Editora Literare Books.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa