Como fazer seu negócio ser mais humano!

Enquanto o espaço digital pode manter as pessoas conectadas, nada substitui o valor de conhecer as pessoas cara a cara, conversar com os clientes, conhecer bem os parceiros estratégicos e tornar-se mentor de seus colaboradores.

Gosto muito do trabalho desenvolvido por John Janstch, líder e dirigente da empresa americana de consultoria em marketing Duct Tape. É muito interessante o tipo de abordagem que ele dá aos seus negócios, bem como o tipo de portfólio de produtos e serviços oferecidos aos clientes. As suas postagens acabam por refletir o que ele acompanha no dia a dia de seus negócios e, hoje, motivei-me por trazer algumas ideias de como se pode construir um ambiente mais humano na empresa.

Um aspecto que ele comenta, já de início, é o quanto ele gosta e acredita em tecnologias para levar as empresas ao sucesso, com efetivos resultados.  Diz John que, no entanto, o excesso de confiança e foco na tecnologia pode ser uma armadilha que afasta o dirigente dos clientes e dificulta a construção de relacionamentos com os públicos do interesse da empresa. Há alguns segredos para não ser vítima dessa armadilha e ficar enrolado com tecnologia, que John faz questão de compartilhar.

Primeiramente, a tecnologia sob a forma de sistemas permite que o negócio funcione com certa independência do seu dono ou dirigente principal. Essa realidade ajudará com que se conquiste mais clareza, controle, consistência, confiança e clientes para o negócio. Quando se aplica adequadamente a tecnologia e os sistemas na vida da empresa, torna-se possível uma maior e melhor dedicação para o ambiente humano.

Estabelecer conexão emocional da empresa com os vários públicos de interesse irá superar aspectos factuais e frios da tecnologia e dos sistemas existentes. Aí está o segundo segredo que John desenvolve: ao automatizar as interações com clientes, minimizando a interação humana real, inevitavelmente perde-se o real valor do relacionamento e isso não é nada bom no médio e longo prazo. Ou seja, deve-se deixar os sistemas e a tecnologia com as interações básicas, dedicando atenção gerencial nas conexões humanas.

Enquanto o espaço digital pode manter as pessoas conectadas, nada substitui o valor de conhecer as pessoas cara a cara, conversar com os clientes, conhecer bem os parceiros estratégicos e tornar-se mentor de seus colaboradores. É incrível como isso é benéfico para a empresa. Além disso, quanto mais o dirigente interage com os outros, mais provável é que ele construa uma rede de referência, o que pode ser extremamente valioso no crescimento do seu negócio.

Finalizando, excelente maneira para construir confiança e relacionamento com os clientes é ficar um bom tempo fora do ambiente da empresa, afastando-se do computador e desconectando-se da tecnologia. Por mais incrível que possa parecer, isso ajudará no esforço criativo e estratégico, bem mais do que ficar sentado na majestosa cadeira do grande diretor do negócio. Ninguém duvida que a tecnologia domina e orienta a vida das empresas e pessoas, mas a conexão gerencial com prioridade em pessoas é que faz o seu cotidiano empresarial ser mais humano. Invista nisso!

Mario Divo Author
Mario Divo tem incrível experiência profissional, tendo chegado a meio século de atividade ininterrupta, em 2019. É PhD e MSc pela Fundação Getulio Vargas, com foco em Gestão de Negócios, Marcas e Design, Marketing e Comunicação Corporativa. Tem formação como Master Coach, Mentor e Adviser pela Sociedade Brasileira de Coaching e pelo Instituto Holos. Consultor credenciado para aplicação do diagnóstico meet® (Modular Entreprise Evaluation Tool), Professor e Palestrante. CEO e Coordenador Executivo da plataforma Dimensões de Sucesso, acumulando com o comando da MDM Assessoria em Negócios. Foi Diretor Executivo do Automóvel Clube Brasileiro e Clube Correspondente da FIA – Federação Internacional do Automóvel, no Brasil. Foi titular do Planejamento de Comunicação Social da Presidência da República (1997-1998) e, anteriormente, comandou a Comunicação Institucional da Petrobras. Liderou a Comunicação Institucional e a Área de Novos Negócios da Petrobras Internacional. Foi Presidente da Associação Brasileira de Marketing & Negócios, Diretor da Associação Brasileira de Anunciantes e, também, Conselheiro da Câmara Brasileira do Livro. Primeiro brasileiro no Global Hall of Fame da Aiesec International, entidade presente em 2400 instituições de ensino superior em 126 países e territórios, voltada ao desenvolvimento das potencialidades das jovens lideranças em todo o mundo.
follow me
Neste artigo


Participe da Conversa